quinta-feira, março 07, 2013

NORBERT ELIAS & PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DE FILOSOFIA




PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DE FILOSOFIA – A obra “Principios fundamentais de filosofia” de Guy Besse e Maurice Caveing trata do que é flilosofia, o estudo do método dialético marxista, as características da dialética, o estudo do materialismo filosófico marxista e as suas características, a vida espiritual da sociedade, o papel e a importância das idéias na vida social, a formação, a importância e o papel do socialismo científico, o materialismo histórico, as forças produtivas e relações de produção, a lei de correspondência necessária entre as relações de produção e o caráter das forças produtivas, a luta de classes antes do Capitalismo, as contradições da sociedade capitalista, a superestrutura, o socialismo, do socialismo ao comunismo, a teoria materialista do Estado e da Nação.

FONTE:
BESSE, Guy; CAVEING, Maurice. Princípios fundamentais de filosofia. São Paulo: Hemus, 1970.



A TEIA DA INTERDEPENDÊNCIA & A SOCIOLOGIA FIGURATIVA DE NORBERT ELIAS – As ideias do sociólogo alemão Norbert Elias (1897-1990), foram responsáveis pelo desenvolvimento de uma teoria social inovadora que alargou o campo dos estudos sociológicos e estão voltadas à elucidação de processos sociais, da interação humana no âmbito da sociedade, para a relação entre poder, comportamento, emoção e conhecimento na História. A sua concepção de grandes redes sociais tem tido aplicação nas sociedades ocidentais pós-modernas, por enfatizar a presença da ação individual e a estrutura em vigor sobre o indivíduo. A SOCIOLOGIA FIGURATIVA – É a teoria sociológica que adota uma abordagem de caráter crítico, cujos conceitos fundamentais foram construídos a partir da identificação das deficiências e limitações de perspectivas teóricas consideradas clássicas pelas ciências sociais, associadas, sobretudo, ao funcionalismo parsoniano e a certas versões do estruturalismo. Preocupa-se com a relação entre o indivíduo e a sociedade, analisando os processos sociais baseados nas necessidades do indivíduos na construção de teias de interdependência que, por sua vez, originam configurações como aldeia, família, cidade, estado, nações: "[...] a complexidade de se investigar algumas configurações decorre do fato de que as cadeias de interdependência são maiores e mais diferenciadas". Essas configurações são denominadas de estruturas. A teoria da figuração articula o social e o individual, as estruturas sociais e a subjetividade, o eu e o nós, a identidade individual e a identidade coletiva. Parte do princípio de que a realidade social não se contrapõe aos indivíduos, mas surge da interdependência de suas ações. O autor concebe as ações individuais ou interpessoais no marco das estruturas sociais que as possibilitam e ao mesmo tempo que limitam os cursos de ações e interação possíveis. Assim, a ideia de figuração é semelhante à ideia de totalidade dos psicólogos gestaltistas. A explicação do comportamento só pode ser efetuada em relação às figurações que eles formam entre si e às interdependências que os vinculam. Com isso, ele substitui o conceito de sistema da teoria parsoniana pelo conceito dinâmico de figuração, em uma teoria social da ação entendida como interdependência, semelhante ao conceito de ação recíproca de George Simmel. Os problemas histórico-sociais, para Elias, não podem ser explicados a partir das ações individuais nem das interações entre um ego e um alter, entre um eu e um outro, mas como parte da complexa trama de interdependências em que se desenvolvem as ações das pessoas. Por consequência, o autor torna inteligível a ordem social que se vai constituindo em um período histórico como produto das interações, vinculando as transformações sociais às mudanças na estrutura da personalidade. Sua preocupação está voltada para o comportamento entendido em relação a cada configuração de pessoas e em cada momento histórico. Assim, as figurações são sempre formas de relação historicamente construídas. Veja mais aqui, aqui e aqui.

REFERÊNCIAS
ÁLVARO, José Luis; GARRIDO, Alicia. Psicologia social: perspectivas psicológicas e sociológicas. São Paulo: McGraw-Hill, 2006.
BRANDÃO, Carlos da Fonseca. Norbert Elias: formação, educação e emoções no processo de civilização. Petrópolis: Vozes, 2003.
LEÃO, Andréa Borges. Norbert Elias & e a educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.


Veja mais sobre:
Cobiça na Crônica de amor por ela, Buda, Miguel de Cervantes y Saavedra, Montesquieu, Magda Tagliaferro, Ciro Alegría, Lucrécio, Charles Robert Leslie, Emerico Imre Toth, Millie Perkins & Jussanam Dejah aqui.

E mais:
Edgar Allan Poe, Paul Cézanne, Magda Tagliaferro, Jacques Lacan, Nara Leão, Janis Joplin & Miguel Paiva aqui.
As trelas do Doro aqui.
Émile Durkheim, Paul Niebanck, Mauro Cappelletti, Juliette Binoche, Rodolfo Ledel, Samburá, Intrépida Trupe, Micahel Haneke, Ernesto Bertani, Janaína Amado, O direito como linguagem e decisão aqui.
Quando Ciuço Pacaru embarcou no maior revestrés aqui.
Pra vida ofereço a outra face aqui.
Canto paródia de mim aqui.
Candidato faz tudo cara de pau na maior responsa aqui.
Alagoas e o império colonial português aqui.
A viagem de Joan Nieuhof & Pernambuco nos séculos XVI e XVII aqui.
A croniqueta de antemão aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Veja aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra: 
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.



HERMILO, JESSIE BOUCHERETT, LUIZ BERTO, PINTANDO NA PRAÇA & SERRA DO QUATI – CAPOEIRAS

SERRA DO QUATI, CAPOEIRAS - Imagem: Serra do Quati/Capoeiras/Raimundo Lourenço. - Nasci na beira do Una, andejo do dia singrando na vida. ...