quinta-feira, março 07, 2013

BOLAÑO ÁVALOS, LASKER-SCHULER, BOŽENA NĚMCOVÁ, BAWDEN, ELLEN WOOD, CAO YU, GRILLPARZER & GEORGE MOORE

 

O QUE É DE HOJE SENÃO FOSSE ONTEM – UMA: DE MEMÓRIA & AMIZADE: Muito aprendi com o passado, tanto foi que esqueci. Também dos amigos, hoje conto nos dedos. Valeu mesmo foi a leitura que fiz das ideias da escritora austro-tcheca Božena Němcová (1820-1862) de quem recolhi pérolas indispensável, tais como: Se não fosse pelas memórias, você não acreditaria que já foi feliz... Pois é. Ou sobre os amigos: O melhor amigo é aquele que te adverte, que fala a verdade na sua cara. Valorize isso!... O que é bonito mesmo: A bondade de coração embeleza um rosto bonito... E sobre os disse-me-disse: Um ouvido sábio não ouve o que uma boca tola diz... Ainda bem que ouvi muito e não levei tanto a sério. Fui, na boa. DUAS: DE CULPA & LIBERDADE: Anteontem no meio das minhas leituras dei de cara com as palavras do dramaturgo austríaco Franz Grillparzer (1791-1872), entre as quais dizia: As correntes da escravidão só prendem as mãos. É a mente que faz livre o escravo... Com relação aos remorsos ele tem uma frase irretocável: Existe um remédio para todos os tipos de culpa: reconhecê-las... Só consegui fazer o que quero e gosto justamente por isso: cabeça livre para assumir o que for necessário. TRÊS: DAS BUSCAS & PROPÓSITOS – Não menos interessantes foi aprender um pouco mais com o escritor irlandês George Moore (1852-1933), principalmente quando ele diz: Um homem percorre o mundo inteiro em busca daquilo que precisa e volta a casa para encontrá-lo... Tanto fui e foi justamente quando voltei pra casa que achei o que procurava. Mas outra dele ainda estou digerindo: Um grande artista está sempre antes ou depois de sua época... Não sei, devo ainda estar no meio do caminho, de onde, parece, que nunca saí. Vamos aprumar a conversa!!!

 


DITOS & DESDITOS - Todos os escritores são mentirosos. Eles distorcem os eventos para se adequarem a si mesmos. Eles usam suas próprias tragédias para fazer uma história melhor... Eles são pessoas terríveis... Pensamento da escritora britânica Nina Bawden (1925-2012). Veja mais aqui.

 

ALGUÉM FALOU: Para um escritor, a vida é sempre muito curta para escrever. Vou apenas tentar o meu melhor durante o que resta da minha vida... Pensamento do escritor chinês Cao Yu (1910-1996).

 

DEMOCRACIA & CAPITALISMO - [...] Não existe capitalismo governado pelo poder popular, não há capitalismo em que a vontade do povo tenha precedência sobre os imperativos do lucro e da acumulação, não há capitalismo em que as exigências de maximização dos lucros não definam as condições mais básicas de vida [...] o capitalismo coloca necessariamente mais e mais esferas da vida fora do alcance da responsabilidade democrática [...] o ideal humano proposto e defendido pelos filósofos nos diz muito sobre quais eram seus compromissos sociais e políticos e que posição defendiam nos conflitos que marcaram suas épocas [...] a disposição de poder entre o capitalista e o trabalhador tem como condição a configuração política do conjunto da sociedade [...] o “ponto-de-partida” da produção capitalista “não é outra coisa senão o processo histórico de isolar o produtor dos meios de produção”, um processo de luta de classes e de intervenção coercitiva do Estado em favor da classe apropriadora. A própria estrutura do argumento sugere que, para Marx, o segredo último da produção capitalista é político [...]. Em outras palavras, a alocação social de recursos e de trabalho não ocorre por comando político, por determinação comunitária, por hereditariedade, costumes nem por obrigação religiosa, mas pelos mecanismos de intercâmbio de mercadorias. Os poderes de apropriação de mais-valia e de exploração não se baseiam diretamente nas relações de dependência jurídica ou política, mas sim numa relação contratual entre produtores “livres” – juridicamente livres e livres dos meios de produção e um apropriador que tem a propriedade privada absoluta dos meios de produção [...] A propriedade privada absoluta dos meios de produção, a relação contratual que prende o produtor ao apropriador, o processo de troca das mercadorias exigem formas legais, aparato de coação e as funções policiais do Estado. Historicamente, o Estado tem sido essencial para o processo de expropriação que está na base do capitalismo. Em todos os sentidos, apesar de sua diferenciação, a esfera econômica se apoia firmemente na política [...]. Trechos extraídos da obra Democracia contra o capitalismo: a renovação do materialismo histórico (Boitempo, 2011), da cientista política e historiadora britânica Ellen Wood (1942-2016), que em outra obra, The Retreat from Class: a new ‘true’ Socialism (Verso, 1998), expressa que: [...] Sua crescente aceitação da “democracia”, como um conceito indeterminado que une em seu seio o capitalismo e a democracia socialista em uma continuidade perfeita, obscurece as contradições, os antagonismos e os conflitos de classe que existem entre socialismo e capitalismo. Com isto, Poulantzas está antecipando um dos mais importantes temas do Novo Socialismo “Verdadeiro”. Porém, desenvolveu estes temas até chegar as últimas conclusões, por isso seria muito mais correto não declará-lo o maior expoente do NSC, mas seu mais importante antecedente [...].

 

ESTRELA DISTANTE - [...] Estou falando sério: o segredo está em proporcionar um enterro digno às pessoas de poucos recursos, inclusive com alguma elegância (nisso os franceses, acredite, são campeões), um funeral de burgueses para a pequena burguesia e um funeral de pequenos-burgueses para o proletariado, esse é o segredo de tudo, não só das empresas funerárias, mas da vida em geral! [...]. Trecho extraído da obra Distant Star (Anagrama, 1996), do escritor chileno Roberto Bolaño Ávalos (1953-2003). Veja mais aqui.

 

FUGA DO MUNDO - Vou-me embora pra lá de além, \ De volta a mim, \ Jacinto em flor terçã \ No temporão de minha alma, \ Quiçá já tarde tarde demais! \ Ah, vou morrendoentre vocês, \ Que me sufocam com vocês! \ Lios queria que me atassem \ — Num vira e mexe que findasse! \ Desconcertante, \ Equívoco por um instante, \ Para que enfim eu escapasse \ No rumo de mim. Poema da poeta alemã Else Lasker-Schuler (1869-1945). Veja mais aqui e aqui.

 


BREVE HISTÓRIA DO FEMINISMO NO BRASIL – O livro “Breve história do feminismo no Brasil”, de Maria Amélia de Almeida Teles, aborda questões que vão desde a condição da mulher no Brasil Colônia (1500-1822), Brasil Império (1822-1889), a influência internacional, na República, na Segunda República (1930-1964), na Terceira República e o golpe (1964-185), 1968 com a certeza: história e flores, a luta armada e o aprendizado para a mulher, as mulheres da periferia de São Paulo, o Movimento do Custo de Vida, a anistia ampla, geral e irrestrita; 1975 – O ano internacional da mulher, jornal Brasil Mulher, Nós Mulheres e Mulherio; 8 de março – Dia Internacional da Mulher no Brasil, a questão feminista vai além do 8 de março, movimento de luta por creche, sindicato, greve, assunto proibido, a época dos congressos paulistas, o II Congresso da Mulher Paulista, a divisão do movimento, o III Congresso da Mulher Paulista, violência, a trabalhadora rural, a mulher e a Constituinte, saúde, sexualidade, assistência integral à saúde da mulher e os encontros feministas. Veja mais aquiaqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.

FONTE:
TELES, Maria Amélia de Almeida. Breve história do feminismo no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2003.



FEMININO/MASCULINO NO IMAGINARIO DE DIFERENTES EPOCAS -O livro “Feminino/masculino no imaginário de diferentes épocas”, organizado por Eloá Jacobina e Maria Helena Kühner, traz a discussão que envolve uma série de palestras e debates do ciclo temático realizado em 1996. Inicialmente traz a questão dos mitos, quando Estrella Bohadana aborda o tema A unidade primordial: perda ou fantasia? Em seguida, no teatro grego, Maria Helena Kühner trata acerca do tema “O espelho em que os rostos se dividem”. Na poesia do Renascimento, Marco Lucchesi traz “As bodas místicas”. No romance do séc. 19, Rachel Gutiérrez traz “O amor sublime e os perigos da paixão”. Em seguida, acerca dos 100 anos de cinema, Moema Toscana aborda “Um espaço para a mulher”. Na música popular brasileira, Eloá Jaconia traz “Letras em canto-cantigas”. Na televisão, Sócrates Nolasco traz “Representações masculinas e femininas”. Nas letras, Eliana Yunes traz “O feminino e a literatura (dita) infantil”. Por fim, na Psicanálise Roberto Bittencourt Martins traz “Vagas divagações em torno de Eva, Adão e seus descendentes”. Obra imperdível.

Fonte:
JACOBINA, Eloá; KÜHNER, Maria Helena. Feminino/masculino no imaginário de diferentes épocas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998.   Confira mais sobre o assunto aqui

PSICOLOGIA ESCOLAR E EDUCACIONAL – O livro Psicologia escolar e educação: saúde e qualidade de vida (Alínea, 2008), organizado por Zilda Aparecida Pereira Del Prette, trata de temas como a teoria, a pesquisa e pratica na interface psicologia-educação, saúde psicológica, sucesso escolar, eficácia da escola, desafios da psicologia escolar no novo milênio, os impasses da educação, a prática do psicólogo na educação, modelos interpretativos da criatividade e alternativas de atuação psicossocioeducativa, habilidades sociais e educação, trabalho infanto-juvenil, a criança em desenvolvimwento, escola pública e significações de professores sobre a escola, saúde do adolescente, entre outros assuntos. Veja mais aqui.

PLURALIDADE DE FAMÍLIA NA UNIÃO ESTÁVEL – Para realizar um trabalho acadêmico sobre esta temática, faz-se necessário abordar as entidades familiares a partir de uma revisão da literatura que compreende os antecedentes históricos e a fundamentação conceitual da família, efetuar a distinção entre a entidade familiar, o casamento e a união estável, tratar sobre o conceito, requisitos e regime de bens no instituto da união estável, os deveres dos coniventes, os princípios normatizadores, observância da obrigação de lealdade e fidelidade, a unidade das reações e as previsões do §1º do art. 1723 do Código Civil. Veja mais aqui.


Veja mais sobre:
Eu te amo no Crônica de amor por ela, Darel Valença Lins, Laura Finocchiaro, Adolfo Sánchez Vázquez, José Craveirinha, Calderón de la Barca, Alejandro Amenábar, Nicole Kidman, Rogério Manjate, A pequena sábia & Fátima Maia aqui.

E mais:
A poesia de João Cabral de Melo Neto aqui.
A poesia veio dos deuses & Patrick Louth aqui.
Responsabilidade civil, dano estético & erro médico aqui.
A família, Entidade Familiar, Paternidade/Maternidade e as relações afetivas aqui.
Literatura de Cordel, Mulher Escandinava, Shaktisangama, Etore Scola, Francisco Julião, Sophia Loren, Jarbas Capusso Filho & Fetichismo aqui.
Paulo Freire: pedagogia do oprimido e da autonomia aqui.
Psicopatologia & Direito Autoral aqui.
A teoria de Erich Fromm & A dialética do concreto de Karel Kosik aqui.
Absolutismo aqui.
O pensamento de Theodor Adorno aqui.
A croniqueta de antemão aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Leitora Tataritaritatá!!!!
Veja mais aqui. aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra: 
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.

TAJA KRAMBERGER, LÍDIA JORGE, HILARY PUTNAM & NORDESTE

  Imagem: Acervo ArtLAM . Ao som dos álbuns Source (2014) e Upstream (2019), do grupo Dreisam – “ Triângulo perfeito, nada geométrico, ...