quinta-feira, janeiro 22, 2015

BACON, GRAMSCI, STRINDBERG, MARÍLIA PÊRA. LIDIA WYLANGOWSKA, LUCIANA MELLO & VAGNER SANTANA


LITERATURA E POLÍTICANo livro Literatura e vida nacional, o filósofo, cientista político e comunista italiano, Antonio Gramsci (1891-1937), fala a respeito da Literatura e da Política, considerando: [...] no que toca à relação entre literatura e política, deve-se levar em conta o seguinte critério: que o literato deve ter perspectivas necessariamente menos precisa e definidas que o político, deve ser menos sectário, se assim se pode dizer, mas de uma maneira contraditória. Para o político qualquer imagem fixada a priori é reacionária; o político considera todo o movimento em seu devenir. O artista, pelo contrário, deve possuir imagens fixadas e articuladas em sua forma definitiva. [...] O artista representa necessariamente o que existe, num certo momento, de pessoal, de não-conformista, etc., de um modo realista. [...] O mais comum preconceito é o seguinte: o de que a nova literatura deva se identificar com uma escola artística de origem intelectual, como foi o caso do futurismo. A premissa da nova literatura não pode deixar de ser histórica, política, popular: deve tender a elaborar o que já existe, não importa se de um modo polemico ou de outro modo qualquer/ o que importa é que aprofunde suas raízes no húmus da cultura popular tal como é, com seus gostos, suas tendências, etc., com seu mundo moral e intelectual, ainda que este seja atrasado e convencional. Veja mais aqui e aqui.

Imagem: Nude, de Lidia Wylangowska

Ouvindo: 6º Solo, 2011, sétimo álbum da cantora, compositor e apresentadora Luciana Mello.

NOVUM ORGANUM – Tratando por sofista não só o Organon como toda filosofia aristotélica, o filósofo inglês Francis Bacon (1561-1626), em seu Novum Organum assinala que: O intelecto humano não é luz pura, pois recebe influencia da vontade e dos afetos, donde se pode gerar a ciência que se quer. Pois o homem se inclina a ter por verdade o que prefere. Em vista disso, rejeita as dificuldades, levado pela impaciência da investigação; a sobriedade, porque sofreia a esperança; os princípios supremos da natureza, em favor da superstição; a luz da experiência, em favor da arrogância e do orgulho, evitando parecer se ocupar de coisas vis e efêmeras; paradoxos, por respeito à opinião do vulgo. Enfim, inúmeras são as fórmulas pelas quais o sentimento, quase sempre imperceptivelmente, se insinua e afeta o intelecto. Veja mais aqui.

O TEATRO DO INFERNO – No epílogo do seu livro Inferno, o escritor, pintor e dramaturgo sueco, August Strindberg (1849-1912), conclui: “[...] É assim a equação da minha vida: um sinal, um exemplo para servir de aperfeiçoamento aos outros; um joguete para mostrar a vaidade da fama e da glória; um joguete para esclarecer a juventude sobre a maneira pela qual não se deve viver; um joguete que se crê um profeta e termina desmascarado como impostor. Veja mais aqui.

A DAMA DE PIXOTE – De tudo que vi de teatro, cinema e televisão da grande atriz Marília Pêra, pra mim, ela já havia se imortalizado com sua arte no filme Pixote, a lei do mais fraco (1980), dirigido por Hector Babenco e inspirado no livro Infância dos Mortos, do escritor e roteirista José Louzeiro. Evidente que tudo que tem a marca dessa maravilhosa atriz é sinônimo de talento expressivo. Por isso mesmo a nossa tirada de chapéu com aplausos de pé. Veja mais aqui.



Veja mais sobre:
O reino das águas aqui.

E mais:
Eu nasci entre um rio e um riso de mulher aqui e aqui.
Cantando às margens do Una aqui.
A correnteza do rio me ensinou a nadar aqui.
Penedo, às margens do São Francisco aqui.
Sou deste chão como a terra, o fogo, a água e o ar, André Gide, Brian Smith, Friedrich Hundertwasser & Carol Andrade aqui.
O que era Mata Atlântica quando asfalto que mata, António Salvado, João Parahyba, Don Dixon & Nini Theiladetheilade aqui.
Existe gente pra tudo, Os Apinajé, Harriet Hosmer, Josefina de Vasconcelos, Anelis Assumpção & Banksy aqui.
Rascunho solitário, Edino Krieger, Arturo Ambrogi, Jean-Baptiste Camille Corot & Jim Thompson aqui.
Centenário de Hermilo Borba Filho, Orquestra Armorial & Cussy de Almeida, Augusto Boal, Joshua Reynolds, Ginofagia & Sedução aqui.
As águas de Alvoradinha, Bhagwan Shree Rajneesh, Milan Kundera, Endimião & Selene, Jorge Ben Jor, Anatol Rosenfeld, Lena Olin, Anthony van Dyck, Teco Seade,:Socorro Cunha & João Lins aqui.
O monge e o executivo de James Hunter, Neuropsicologia, Ressocialização penal, Psicologia escolar & educacional aqui.
Sexualidade na terceira idade aqui.
Homossexualidade & educação sexual aqui.
Globalização, Educação & Formação Pedagógica, Direito Constitucional Ambiental & Psicologia Escolar aqui.
Homofobia, Sexualidade, Bissexualidade & Educação para as diferenças aqui.
A literatura de Goethe aqui, aqui, aqui & aqui.
História da mulher: da antiguidade ao século XXI aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
A croniqueta de antemão aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Art by Ísis Nefelizibata
Veja Fanpage aqui & mais aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja os vídeos aqui & mais aqui e aqui.



E como todo dia é dia da mulher, hoje a nossa homenagem pra ela vai pela arte do tricordiano Vagner Santana.

A MULHER & BOM PASTOR, JEAN DE LÉRY, BARDAWIL, GALBRAITH, DESIGUALDADE, PICA-PAU & ARRELIQUE DE OZI

Livro, curso & consultas aqui . ARRELIQUE - Arrelique é coisa de menino, dona Judith, de menino levado da breca que sai bandolei...