domingo, janeiro 18, 2015

DARCY, SAINT-MARTIN, ORREGO-SALAS, DAMARIS FILÓSOFA, AUTRAN DOURADO, SAÚDE NO BRASIL & IRINA KARKABI


NOVELAS DE APRENDIZADO – Explorando os aspectos psicológicos da vida humana, o escritor, advogado e jornalista Autran Dourado (1926-2012) traz na apresentação do livro o texto Começo de aprendizado, reunindo as obras A teia (1947) e Sombra e Exílio (1950), expressando que: “Não sei precisar direito quando foi que primeiro me deu a sapituca de escrever, que viria a me seguir a vida inteira e espero venha a me abandonar afinal, para que eu possa me entregar ao puro gozo da leitura, o vicio impune de que falava Valéry Larbaud se valendo duns versos ingleses. Do que gosto mesmo é de ler, escrever é mais uma questão de querer. Acrtedito que tenha sido quando peguei um lápis e um caderino para livremente escrever, sem ordem ou obrigação, a não ser a minha vontade, um texto qualquer, produto do puro gosto e da imaginação. O que era, não me lembro; sei que não se tratava de exercício escolar. [...] Se na frente veio Herculano me inseminar o germe narrativo, então estarei certo de que escrever é um ato mimético de preservação e astúcia, de desejo e apropriação. Ou como queria a minha saudosa amiga e grande escritora Clarice Lispector: A gente escreve pelo mesmo motivo com que um menino, diante de um objeto de outro, diz “eu também quero um”. [...] Se algum apressado psicanalista de galinheiro atribuir a paixão da leitura e o gosto de escrever à libido, estará cometendo despudorado atrevimento. [...] Às vezes, em dia de pessimismo, acho que devia ter continuado um aprendiz, matéria que deixo aos meus leitores de caderno e ao possível leitor novo”. Veja mais aqui.

Imagem: Silence, da artista plástica Irina Vitalievna Karkabi.

Ouvindo: Obertura Festiva (1919), op. 21, do compositor, musicólogo, professor e arquiteto chileno Juan Orrego-Salas, com a Indianapolis Symphony Orchestra, Izler Solomon, conductor.

CULTURA DA DOENÇA: ONDE A SAÚDE? – Em 1900, registra do antropólogo Darcy Ribeiro, no seu livro Aos trancos e barrancos: como o Brasil deu no que deu, que: “É lançado o Biotônico Fontoura, prometendo vigor incomparavel em seus reclamantes. Com ele, cresce a industria farmacêutica nacional, produzindo o Elixir de Inhame, a Saúde da Mulher, o Regulador Gesteira, o Xarope Bromil, que davam fortunas antes da invasão da Emulsão de Scott, do Bristol Pills, da Cafiaspirina. Mais tarde, vieram as multinacionais farmacêuticas que tomaram tudo. Hoje, doentes, doemos em dólares”. Pois é, desde então, essa política da medicalização requer de forma premente uma humanização da medicina no Brasil. Afinal, onde a saúde, hem? Veja mais aqui e aqui.



O FILÓSOFO DESCONHECIDO - O filósofo, advogado, pensador e místico francês Loius Claude de Saint-Martin (1743-1803), publicou diversos livros sob o pseudônimo de Filósofo Desconhecido, influenciado por Martinez de Pasqually e Jacob Boehme, e criou a sociedade iniciática Sociedade dos Filósofos Desconhecidos, trabalhando a sua ideia teosófica do “homem de desejo”, significando esse desejo a miséria e a grandeza humana, um sentimento doloroso daquilo que separa a existência da essência e a necessidade de as unir. O seu livro O Homem de Desejo foi publicado pela primeira vez em 1790, composto por litânias no estilo do salmista, nas quais a alma humana evolui para o seu primeiro estágio, num caminho que o Espírito pode ajudá-la a percorrer, tendo por objeto mostrar que o homem deve confiar na Regeneração, chamando sua atenção para a necessidade de retorno ao Mundo Divino de onde saiu e ao trabalho que deverá realizar para alcançar esse objetivo, isto é, concentrando suas forças pelo desejo ardente de aperfeiçoar-se e tornar-se um homem de vontade forte. O seu livro Ecce Homo, traz a advertência acerca do perigo de buscar a excitação das emoções das experiências mágicas de baixo nível, das premonições, dos diversos fenômenos que não passam de expressões de estado psicofísicos anormais do ser-humano. No livro O Novo Homem, o autor traz o pensamento como um órgão de renascimento que permite penetrar no mais profundo do ser humano e descobrir a verdade eterna de sua natureza: a alma do homem é um pensamento de Deus. No livro Do Espírito das Coisas, ele declara que o homem, criado à semelhança de Deus, pode penetrar no seio do Ser que está oculto por toda a Criação e que, graças a sua clara visão interior, ele é capaz de ver e reconhecer as verdades de Deus depositadas na Natureza. No livro O Ministério do Homem Espírito, ele complementa todas as indicações precedentes, apresentando um objetivo que não é diferente, qual seja, o da ascensão de uma alta montanha: o homem escala impelido por uma necessidade interior e no antegozo da vitória, que traz a liberdade após tribulações e sofrimentos. Outros dos seus livros são a inacabada Dos Números, o poema épico O Crocodilo e importante Nova Revelação. Outras obras póstumas foram publicadas na confirmação de que toda a sua existência foi dedicada à ideia de um grande renascimento da humanidade e ele desencadeou um eco profundo, não somente na França mas também no Oeste e no Leste da Europa. Veja mais aqui.

UMA FILÓSOFA NO ILUMINISMO - A filósofa inglesa Damaris Cudworth Masham (1659-1708) defendia a educação das mulheres. Apesar dos problemas com sua visão e falta de acesso a recursos educacionais mais elevados, ela publicou duas obras filosóficas, o Discurso sobre o amor de Deus (1696) e Pensamentos para uma virtuosa vida cristã (1705), que foram publicados de forma anônima para evitar críticas por ser escritos por uma mulher e baseados nos pensamentos de Locke e enfatizando a importancia da moralidade prática e da educação. Ele teve intensa correspondência com o filósofo alemão Gottfried Wilhelm Leibniz e, também, com seu futuro mentor, o filósofo inglês John Locke de quem recebeu rasgados elogios, além de muitos outros filósofos do Iluminismo. Na sua visão: “o catolicismo romano, com sua ênfase sobre os externos da religião é, em grande parte superstição”, defendendo, como Locke, que uma vida virtuosa é mais importante do que um cerimonial religioso e argumentando que a conduta moral é fundamental para a prática religiosa. Para ela a educação é a chave certa para inculcar a virtude, que é a de ser aprendido não através de preceito, mas através do desenvolvimento de uma compreensão racional de princípios morais. Com relação à educação inferior dada às mulheres, ela argumenta que deixa-os impróprios para ser capaz de dar a seus filhos uma educação adequada, como a maioria das crianças durante este período de tempo quando são dadas educação infantil por suas mães e porque a educação ainda é muito reservada a aqueles nas classes de elite, defendendo o acesso das mulheres ao ensino superior, uma vez que lhes teria permitido para melhor educar seus filhos e filhas, e em razão do avanço na sociedade. Além disso, as mulheres devem ter acesso à educação para o bem-estar espiritual, não apenas de seus filhos, mas para o seu próprio bem. Veja mais aqui.


Veja mais sobre:
O pensamento de Erich Fromm aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.

E mais:
A poesia de Cruz e Souza aqui, aqui e aqui.
Amém e amem, Naná Vasconcelos & Lucélia D’ Roquet aqui.
O coração de Iaravi, Manifesto Appellatio, Edgar Degas, Ewa Kienko Gawlik & J. Lanzellotti aqui.
Stéphane Mallarmé, John Updike, César Guerra-Peixe, Luc Besson, Frank Frazetta, Ingrid Koudela, Scarlett Johansson & Brincarte do Nitolino aqui.
Pesquisa & Cia, Fernando Sabino, Eliane Elias, Marcelo Gleiser, Minna Canth, Juno/Hera, Bigas Luna, Alonso Cano & Francesca Neri aqui.
Papa Highirte de Oduvaldo Vianna Filho aqui.
Alexander Scriabin, Cássia Kiss, Denise Georg, Gustave Doré, Mr. Bean, Zé Edu Camargo, Gabi Alves, Márcia Poesia de Sá & Programa Tataritaritatá aqui.
A arte de Darel Valença Lins, A árvore do conhecimento de Humberto Maturana & Francisco Varela, A terra oca de Raymond Bernard, Luiz Melodia & Lady Francisco aqui.
Holística, Claude Debussy & Laurindo Almeida, Carl Rogers, Emily Greene Balch & Pierre Bonnard aqui.
Cassandra, Horácio, Christa Wolf, Woody Allen, Cassandra Wilson, Milena Moraes. Cassandra Peterson, Doro & Fidelia Cassandra aqui.
Sou da terra alma Caeté, a lenda indígena do Sol & Lua Ofaié de Darcy Ribeiro, Yasushi Akutagawa, Kent Williams & Renate Dartois aqui.
Dos desmantelos que deixam qualquer um de cangalha pro ar, John Ross Macduff, Salvador Dali, Stan Getz & Despina Stokou aqui.
A dança tangará festeja a pletora do amor, Robert Gibson, Kleiton & Kledir, Lenda do Itararé & Luciah Lopez aqui.
No reino do Fecamepa nada pode dar certo, Betty Friedan, Celia Mara, Peter Klashorst & OsGêmeos aqui.
Como as coisas são e como podem ser, Lou Andreas-Salomé, Enrica Cavallo, Antoni Tàpies & Misty Copeland aqui.
Marquinhos Cabral, Sandra Fayad, Paulo Profeta, Gisele Lemos/Diana Balis, Carlos Gildemar Pontes, Rita Shimada Coelho, Luís Inácio Araújo & Helena Cristina Buarque aqui.
Wilson Monteiro & Cantarolando pé-de-serra, Legislação & Ambiental Virtual, Acidentes de Trânsito & Psicologia da Saúde aqui.
Zé Linaldo & a pernambucanidade renovada, Apropriação indébita previdenciária, Abuso Sexual, Psicologia & Sociologia aqui.
A Educação Superior aqui.
Os crimes de sonegação aqui.
Entrevista com uma estudante de Cacoal-Rondônia aqui.
Aprumando a conversa que o negócio não está pra brincadeira, João Guimarães Rosa, Poetas dos Palmares, Vera Indignada & Ascenso Ferreira, Antuerpio Pettersen Filho, Fecamepa & Vapapu aqui.
As trelas do Doro: no fuzuê da munheca aqui.
História da mulher: da antiguidade ao século XXI aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
A croniqueta de antemão aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Leitora Tataritaritatá!
Veja Fanpage aqui & mais aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja os vídeos aqui & mais aqui e aqui.




DRUMMOND, RIMBAUD, LEMINSKI, MARITAIN, GILVAN LEMOS, JACOB DHEIN, GENÉSIO CAVALCANTI, CARIJÓ & SÃO BENTO DO UNA

CARIJÓ, SÃO BENTO DO UNA – Imagem: Céu de São Bento do Una , de Renatinha @Renatalcaet – Carijó, meu amigo, minhas mãos limpas e esta mis...