domingo, março 01, 2009

TCHÉQUIA, ART&AMOR & CANTARAU

 
Art by Oleg Vakulin

TCHÉQUIA, O VOO DO BEIJO - Imagem: Kiss, arte do pintor checo Jiří Petr. – Ah, linda mulher! Olhos de céu, boca abissal, corpo de mar. O beijo dela me levou aos cumes de Krkonoše, um beijo de nobre Libuše no que sou nela de seu camponês Přemysl, entre os que falam com clareza pelas montanhas catando cogumelos ou pela cidade das cem torres. O que o amor não faz para quem aprendeu na dor. Só me restava a solidão queimando a pele, desfigurando a face, enquanto ela aliciava feito Lou Salomé, a fazer de mim entre mendigos dos dedos murchos. Eu, um artista da fome e desvalido pela geografia de sua carne caudalosa a me levar incólume pelas ruelas tortuosas com os fantasmas das belas jovens virgens e nuas sacrificadas do parque de Petřín, o humor farsesco dos charlatões e o jogo das três Marias. Agarrado nela eu nem via o fantasma de Horymír saltando as muralhas do castelo de Vyšehrad, montado no seu cavalo Šemík sobre a cidade, nem me lembrava dos meus pesadelos inquietantes de Samsa, a ver o diabo sair pelo teto da Casa de Faust na Cidade Nova, carregando não sei quem para as esculturas do Ossuário de Sedlec, em Kutná Hora, nem o lodo do horror em pleno meio dia entre apressados e belas beldades risonhas. Tinha apenas a força do desejo e nela a rápida respiração de zis ósculos, levantando a saia às minhas mãos frenéticas, era o que eu precisa para ganhar a vida por mim mesmo, desgarrado pelo bairro dos alquimistas ou pelas correntes do Elba, enquanto o vento trazia as labaredas queimando vivo Jan Hus, com o murmúrio de Tycho Brahe, o golem do rio Moldava, os fantasmas de Yakub Khadrava, os demônios de Vaclav Levy, a porta do inferno no Castelo de Houska e quase testemunhar defenestrações e a Primavera de Praga até a Revolução de Veludo, enquanto rapazes jogavam água às moças para baterem às suas pernas com uma trança de galhos de salgueiro com fitas coloridas. Além disso, ouvia de longe os sussurros desesperados de Kafka, o eco dos versos de Rilke. E ao me deparar com as cruzes brancas e a torre astronômica da Old Town Square, o braço mumificado e os berros do enterrado vivo conde Vratislav da Church of St. James the Greater, eu quase morri de medo.  Mas... Ah, o beijo dela e a minha fome, o labirinto do mundo e o paraíso do coração. Ah, esta mulher é um país. © Luiz Alberto Machado. Direitos reservados. Veja mais aqui.

A ARTE DE ALFONS MARIA MUCHA
Stars: The morning star (1902), do pintor, ilustrador e designer gráfico checo Alphonse Maria Mucha (1860-1939), um dos principais expoentes da Art Noveau. Veja mais:
A arte da pintora e escultora tcheca Anna Chromý aqui
A arte do pintor tcheco František Kupka (1871-1957) aqui
A arte do pintor tcheco Emil Orlik (1870-1932) aqui
A arte do pintor Karel Skala (1908-2001) aqui
&
A arte do gravador tcheco Václav Hollar (1607-1677) aqui.

A LITERATURA
Statue of Franz Kafka, do escultor David Černý.
A obra do escritor Franz Kafka (1883-1924) aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.
A poesia de Rainer Maria Rilke (1875-1926) aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.
A obra do educador, cientista e escritor Comenius - Jan Amos Komenský (1592-1670) aqui, aqui e aqui.
A literatura do escritor e dramaturgo tcheco Václav Havel aqui.
A literatura do escritor tcheco Milan Kundera aqui.
A obra do escritor e jornalista húngaro Sándor Márai (1900-1989) aqui.

A FILOSOFIA DE KAREL KOSIK
A compreensão dialética da totalidade significa não só que as partes se encontram em relação de interna interação e conexão entre si e com o todo, mas também que o todo não pode ser petrificado na abstração situada por cima das partes, visto que o todo se cria a si mesmo na interação das partes.
A obra do filósofo Karel Kosik (1926–2003) aqui, aqui e aqui.

A MÚSICA DE MARKÉTA IRGLOVÁ
Tudo que ouço na minha cabeça é o que eu toco. Eu confio no fluxo da vida.
Curtindo os álbuns Anar (2011) e Live from San Francisco (2012), da cantora, compositora, musicista e atriz Markéta Irglová. Ela atuou e compôs a trilha sonora em parceria com Glen Hansard, no premiado drama/romance Once with Glen Hansard (Apenas uma Vez, 2007), dirigido por John Carney, que conta a história de um músico de rua que conhece uma imigrante tcheca que ganha a vida vendendo flores, também aspirante à compositora. Eles decidem trabalhar juntos e as músicas que compõem refletem o amor que cresce entre eles. A trilha sonora do filme homônimo, lançado pela Columbia Records, em 2007, traz as músicas do casal. Veja mais:
A música do compositor tcheco Leoš Janáček (1854-1928) aqui.
A música do compositor checo Antonín Dvořák (1841-1904) aqui e aqui
A música do compositor tcheco Bedřich Smetana (1824-1884) aqui.

O CINEMA DE VĚRA CHYTILOVÁ
Apreciando filmes da extraordinária cineasta tcheca Věra Chytilová (1929-2014): o interessantíssimo Ovoce stromu rajských jíme (Fruto do Paraíso , 1970), que foi inserido no ano de lançamento no Festival de Cannes, mostrando uma nova história de Adão e Eva, que também serve de alegoria para a invasão de Praga pelas forças soviéticas sob o Pacto de Varsóvia em agosto de 1968; a comédia dramática Sedmikrásky (1966), que marcou o cinema novo no país; o drama Necem Jinem (Algo diferente, 1963), o primeiro longa da diretora, narrando paralelamente o extenuante treinamento da rigorosa ginasta Eva Bosaka e o dia a dia de uma dona de casa tcheca ignorada pelo marido; e o incrível Vyhnání z ráje (Banidos do Paraíso, 2001), que conta a história de um cineasta, Rosta, que está dirigindo um filme chamado "Paradiso" em uma praia nudista e, desde o primeiro dia de filmagem, ele se encontra em situações de conflito com sua equipe, seu elenco e sua esposa.
&
Ectasy (1963), do cineasta, roteirista e ator tcheco Gustav Machatý (1901-1963) aqui
&
Goya´s Ghost (Sombras de Goya, 2006), do premiadíssimo cineasta, ator e roteirista tcheco Milos Forman (1932-2018) aqui.

A ESCULTURA DE DAVID ČERNÝ
A obra do escultor David Černý.

A ARTE DE JANA ANDERT
As vezes tenho medo, claro. É natural ter medo quando você sabe que pode ser morta a qualquer momento. Mas o medo também me mantém concentrada e alerta. Foi a minha primeira vez numa zona de conflito. Vi como a vida é difícil na guerra e que existem muitas histórias a serem contadas e registradas.
A arte da fotógrafa e documentarista Jana Andert.
&
A arte do fotógrafo tcheco Jan Saudek aqui e aqui




CANTARAU TATARITARITATÁ – O recital musical Cantarau Tataritaritatá – Vamos aprumar a conversa, reúne músicas e poemas que fizeram parte do show Tataritaritatá, com as músicas Nunca chore por mim (parceria gravada por Santanna, o Cantador), Aurora/Minha Voz (gravada pela cantora Sonia Mello), Cantador (gravada por Wilson Monteiro), Entrega (parceria gravada por Mazinho – Jucimar Luiz Siqueira), Sanha (gravada pelo saudoso Auri Viola), Desnorteio (gravada por Wilson Monteiro), Santa Folia (parceria gravada por Cikó Macedo), os frevos da Folia Caeté, Abusão (parceria com Gulu & Fernando Melo Filho), o cordel Tataritaritatá, entre outras. Confira os clipes aqui.




Veja mais sobre:
Lagoa Manguaba & Deodorenses, Jorge de Lima, Dominguinhos, Nando Cordel, Arriete Vilela & Nitolino aqui e aqui.

E mais:
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
A Política aqui.
A poesia de Catulo da Paixão Cearense aqui.
Orientação sexual aqui.
Velta, a heroína brasileira aqui.
Sexo, sexualidade, educação sexual & orientação sexual para educação materna/paterna aqui.
A poesia de Braulio Tavares aqui e aqui.
Big Shit Bôbras aqui.
Os clecs de Eno Teodoro Wanke aqui.
A psicologia, os adolescentes & as DST/AIDS aqui.
Cidadania & Direito aqui.
Educação para vida e para o trabalho aqui.
A família, entidade familiar, paternidade/maternidade e as relações afetivas aqui.
Educação Ambiental aqui.
Probidade Administrativa aqui.
Contratos Administrativos aqui.
Musa Tataritaritatá aqui.
Responsabilidade Ambiental aqui.
Qualidade no Atendimento do Serviço Público aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Art by Karel Skala. Veja mais aqui e aqui.


CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA

GAUGUIN, NAZIK AL-MALAIKA, ASCENSO & OSCAR MENDES, DANI ACIOLI, ALOISE BAHIA & INJUSTIÇA

TEHURA DE GAUGUIN – Chega uma hora em que se tem que se valer só de si e o que fazer da vida. Emigrei com Le mariage de Loti , e o meu ...