terça-feira, maio 28, 2019

EMERSON, BARBARA HEPWORTH, LUCRÉCIA FERRARA, HELENA IGNEZ, MEMENTO MORI, TERRITÓRIO DA SAÚDE & MÔNICA FALCON


MEMENTO MORI - Diante de si e de tudo, a hora. Quem se recusa com o beiço virado e um deus na barriga, dono de si desafiando a vida, pisando gente com a soberba descarada, autossuficiência de semideus e o domínio ao umbigo, a mandar e desmandar aos quatro ventos e astros, na avareza e possessão, acumulando ao mandonismo, agiotagem, ambições, para gozar uma vida eterna aqui na Terra, agora e sempre, guerras, epidemias, traições, quanta húbris! Todos sonham em ser auriga no memento homo, segurando a sua coroa de louros, vitoriosos. Mas quem, diante de si e de tudo, agora, de que adianta passar os outros para trás, tirar proveito da ignorância alheia, enganar, enrascar, fazer os demais de tolos, otários, para vangloriar-se o rei da cocada preta no exagero do exibicionismo. Ah, esquece-se que se pode sucumbir à doença, indiferente ao fatídico suicídio, à calamidade do inopinado, o desassossego dos aflitos, as colisões, os destroços dos míseros, tudo tão conspícuo. Quantos se apegam e se agarram à correnteza da vida. A gente cada vez menos conhece o que é o ser humano. Quase impossível lembrar-se que é mortal, isso é líquido e certo. Não há o que temer. É preciso elaborar, saber-se das cartas de Sêneca, do beijo de Epiteto e do que rondava os pensamentos de Wittgenstein, o tratado samurai, o respeito ao povo dos túmulos. Lembrar-se da morte, do quanto tudo é perecível, efêmero, nada além de saber que tudo morre e não é o fim. © Luiz Alberto Machado. Direitos reservados. Veja mais aqui.

DITOS & DESDITOS:
[...] a cidade como mídia só se revela como mediação à medida em que contempla as diferenças entre cidades e as características dos seus lugares. Se a cidade como mídia supõe a lógica redundante da midialogia, a mediação supõe reação e ação atentas ao movimento contínuo que organiza e reorganiza a cidade como um sistema. Em consequência e enquanto mediação, a cidade não é marcada pelas imagens que a simbolizam, mas é ela própria, enquanto produtora de ações e comportamentos, que se caracteriza pragmaticamente e se revela como mediação na grande experiência coletiva que é dada ao homem descobrir e viver. [...] Como grau zero da mídia, a mediação não é, mas está disponível e inaugura-se como escritura cuja função não é exprimir ou transmitir valores e ações, mas impor a semiose que parte da dimensão semiótica das interações, para superá-la e escrever uma história da cidade feita do modo como nela operamos ou dela fazemos parte. A mídia sinaliza a cidade através das suas imagens, mas a mediação permanece cognitivamente na experiência que produz sua metamorfose feita de convergências e divergências.
Trechos do artigo Cidade: meio, mídia e mediação (Matrizes, abril 2008), da professora e pesquisadora Lucrécia Ferrara, autora da obra Os significados urbanos (Edusp/Fapesp, 2000).

CANÇÃO DE BAAL
O longa-metragem Canção de Baal (2008), escrito e dirigido pela cineasta, atriz, diretora e roteirista Helena Ignez, é baseado na peça Baal, de Bertolt Brecht, contando a história de um artista liberal que tem casos com várias mulheres e um homem, de quem morre de ciúmes. Em um jantar, ele se torna sarcástico com os convidados e atrai a mulher do amigo. Veja mais aqui, aqui, aqui & aqui.

A ESCULTURA DE BARBARA HEPWORTH
O escultor tem de procurar apaixonadamente o principio subjacente à organização da massa e da tensão – o significado do gesto e a estrutura do ritmo.
A arte da escultora britânica Barbara Hepworth (1913-1975), com suas obras abstratas, de formas côncavas e convexas e superfícies polidas. Baseado na vida dela, o drama independente The Sculptress (2018), dirigido por Alex Bailey e estrelado por Cassie Compton como protagonista, traçando a trajetória da artista, alimentado por seu caso de amor com o pintor inglês Ben Nicholson (1894-1982). Veja mais aqui.

O TERRITÓRIO SAÚDE DE MÔNICA FALCON
O programa Território Saúde, apresentado pela jornalista, produtora e diretora Mônica Falcon, na TV Padre Cícero, traz questões atinentes aos cuidados com a saúde. Ela edita o blog Atelier Mônica Falcon e atua como palestrante de conteúdo motivacional, além de produzir, atuar e dirigir conteúdo para tevê, peças publicitárias e varejo televisivo. Veja mais aqui e aqui.
&
A OBRA DE RALF WALDO EMERSON
O que nos outros chamamos de pecado, para nós é experiência.
A obra do escritor e filósofo estadunidense Ralf Waldo Emerson (1803-1882) aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui & aqui.


JUDITH SCHALANSKY, TRIIN PAJA, ANNA LEMBKE, VCA & CRÔNICA NA ESCOLA

  Imagem: Acervo ArtLAM . Ao som dos álbuns Morning Star (2021), Beethoven: Piano Sonatas nº 3 in C Major, Op. 2 & nº 16 in G Major, ...