sexta-feira, fevereiro 09, 2018

SHAKESPEARE, EMERSON, GILBERTO MENDES, MARAÑON, BORDENAVE, SAMIR AMIN, DANIELA SPIELMANN, PATRIC JEAN & KEES VAN DONGEN

FOLIA SÓ É BOA NO MAIOR ESPALHAFATO – Imagem: arte do pintor fauvista holandês Kees van Dongen (1877-1968). - UMA: É CARNAVAL NO FECAMEPA, GENTE! – É festa no Fecamepa, agora vale tudo! O libertário Reino de Dioniso reencarna no colorido do carnaval. Vale tudo mesmo: sair do armário, acender a fluorescente, virar homem, virar mulher, vira lobisomem, a festa do vira virou! Cada qual arreia suas máscaras, ninguém está nem aí pro que vier depois. Não há censura por trás de toda repressão, nem há seriedade por trás de toda coação, tudo é legítimo mesmo que esteja embaixo dum grande golpe ou traição. É carnaval, ora. Pra quem quiser entrar na folia é só cair na Troça do Fabo! Pra quem não quer é só ficar na brechada do Trupe do Fecamepa e seja feliz – se puder ou for capaz - no feriadão. O resto do ano é pro trampo e pras eleições! Vamos aprumar a conversa! DUAS: MACHETES DO NOTICIÁRIO – O Fecamepa oferece o seu Jornal BãoBobo, a notícia que é paratodos! Apresentação de Danado Bochecha, o maior chupeta da imprensa brasileira! (Sobe o BG aí, meu! Agora corta pro locutor, porra! Close no apresentador, jumento!) Bom dia, boa tarde, boa noite! Essa é a principal manchete do seu Jornal Bão Bobo (Sobe e desce BG pro fuleiro falar aí, cara!): Desgoverno garante folia & 104 anos de vida pra todo Fabo Brasileiro! (Sobe BG de novo, alesado! Isso! Agora desce o BG e close no locutor aí, trepeça!) O desgoverno Gol da Pista garante um carnaval tranquilo de nortasul e lestoeste, trabalhando 24 horas na aprovação da reforma previdenciária que garantirá vida longa para todo Fabo brasileiro! Veja o que diz disso a economista Virilha Cunhão: Isso mesmo, mundiça, o desgoverno melhor do mundo, está trabalhando para ajustar suas contas com o maior glamour, garantindo na reforma previdenciária uma vida longa para todo mundo, tanto para o Brasil como para todo planeta. A medida promoverá uma aposentadoria que só ocorrerá depois disso, nada melhor, evidentemente, que ter uma vida saudável e centenária, com toda assistência desgovernamental ao dispor, o que é economicamente viável e, com certeza, resultando numa qualidade de vida jamais vivida pra bocoiós e mocreias que nunca tiveram sequer onde morar ou morrer! A proposta traz a certeza de que vingará (para isso toda tropa de caboetas e mercenários já caiu em campo), e ofertará uma velhice maravilhosa para todo aquele ou aquela que se dispuser a dar um acocho no seu deputado federal e senador para aprová-la a partir da quarta-feira de cinzas. A promessa é fazer desta Nação do Fecamepa o mais feliz e melhor país do mundo! Faça a sua parte de cidadão ou cidadã Fabista enquanto cai na folia! (Corta da comentarista e volta pro locutor, cacete!) Agora já está sacramentado que a expectativa de vida de todo Fabo brasileiro será de 105 anos! Quer melhor que isso? É só sacar que este é um oferecimento da Casa Funerária do Gal Langal, com promoções espetaculares de caixões, velórios e sepultamentos de todo Brasil! (Sobe o BG e vão todos se foder, porra! Fui!). TRÊS PRA SUMIDEIRA – Agora chega de lorota que eu também sou filho de Deus e mereço, pelo menos, uns dias de descanso. E isso no normal: sábado e domingo com a Folia Tataritaritatá rolando com muito frevo pra rapaziada e pras minas, voltando na segunda-feira com todo gás pras novidades. Está dado o recado! Enquanto isso, desejo paratodos uma tranquila e apaziguadora folia para renovar as energias e jogar fora todas as neuras e estresses, retomando tudo na quarta de cinzas, ou na quinta que mais parece de finados ou na segunda de ressaca emendada pela semana toda só de carnaval! E vamos aprumar a convera & tataritaritatá! © Luiz Alberto Machado. Direitos reservados. Veja mais aqui.

RÁDIO TATARITARITATÁ:
Hoje na Rádio Tataritaritatá é dia de especial com a música do compositor, regente orquestral, professor e jornalista Gilberto Mendes (1922-2016): O anjo esquerdo da história, Alegres trópicos - um baile na mata atlântica & Qualquer música; da saxofonista, flautista, compositora e arranjadora Daniela Spielmann com Brazilian Breath, Saudades do Paulo com Cliff Korman & Chorinho pra você com Paulo Moura & muito mais nos mais de 2 milhões de acessos ao blog & nos 35 Anos de Arte Cidadã. Para conferir é só ligar o som e curtir.

PENSAMENTO DO DIAHumanismo é muito mais gesto e conduta do que saber: é a capacidade de agir, guiada pela reflexão, mas com base nos sentimentos e em certos traços do caráter conhecidos como virtude. Pensamento do filósofo, médico, cientista, historiador e escritor espanhol Gregório Marañon (1887-1960).

MEIOS DE COMUNICAÇÃO –[...] Os meios de comunicação parecem ter a estranha virtude de servir de “espelhos” para a comunidade se enxergar a si mesma e ficar consciente de seus problemas, normalmente sofridos mas não percebido como problemas. [...]. Trecho extraído da obra O que é comunicação rural (Brasiliense, 1985), do intelectual paraguaio que estudou a comunicação, Juan Diaz Bordenave (1926-2012). Veja mais aqui.

A NATUREZA & O MEIO AMBIENTE – [...] Não se trata de saber se a natureza existe ou não; ela existe, bem entendido, intervenham ou não as “forças da natureza” no processo produtivo, e é logico que intervêm. A questão é saber quais as questões sociais que regulam a utilização destas forças [...]. Trecho extraído da obra Questão agrária no capitalismo (Regra do Jogo, 1978), do economista egípcio Samir Amin.

PALAVRAS, PALAVRAS - [...] Sim, há palavras e palavras e palavras. As palavras podem exprimir servidão, as palavras podem gritar também de revolta. Há palavras que implicam obediência mas tambem há palavras de protesto. Algumas palavras servem o conformismo, outras exprimem ressentimento. Algumas palavra são utilizadas pelos fracos e pelos obedientes, outras por almas que se respeitam e são rebeldes. [...]. Trecho de A tempestade (Relume Dumará, 1991), do poeta, dramaturgo e ator inglês William Shakespeare (1564-1616). Veja mais aqui.

DOA TUDO AO AMORDoa tudo ao amor / segue o teu coração / amigos todos dias / riqueza fama planos / crédito e às nove musas / nada nada recuses. / Ele é um bravo mestre, / que tem o seu escopo, / segue-o sem restrição. / De esperança em esperança / alto e sempre mais alto /mergulha no meio-dia / com intento intraduzível. / Porém ele é um deus / conhece a sua trilha / e os atalhos do céu. / Jamais para o que é baixo / requer duma coragem. / Alma acima da dúvida / valor inquebrantável. / Ele premiará / e eles voltarão / mais do que eram antes / e sempre em crescimento. / Deixa tudo ao amor. / Porém me escuta ainda / uma palavra mais / a teu coração toca, / mais uma vez o pulso / da firma diligência / conserva-te por hoje, / amanhã para sempre / liberto, tal um árabe, / da tua bem-amada. / Agarra-te à donzela / porém quando a surpresa / de prima vaga sombra / de cisma de um prazer / alheio a ti perpassa / pelo seu jovem seio; / que seja ela liberta. / Não lhe colhas o vestido / nem a pálida rosa / que lhe cai da capela. / Embora amaste-a tanto / como a ti próprio, ser / de puríssima argila. / Embora tal partida / escurecendo o dia / roube a graça aos vivos, / saibas, no coração, / se vão os semideuses / logos chegam os deuses. Poema do escritor e filósofo estadunidense Ralf Waldo Emerson (1803-1882). Veja mais aqui.

LA RAISON DU PLUS FORT
O documentário La raison du plus fort (2003), dirigido pelo cineasta belga Patric Jean, denuncia a mudança política implementada pela Europa desde o final da década de 1990, baseando-se em argumentação rigorosa a partir das ideias dos párias urbanos do sociólogo Loic Wacquant e do fim da democracia do filósofo Jean-Paul Curnier, contando sobre a destruição de fábricas para construção de prisões, sugerindo que na França, Bélgica e em outros países europeus foram implementadas políticas para lutar contra o aumento do desemprego que são mais seguras e econômicas, do que combater a pobreza, tendo em vista ao lado dos bairros ricos é tolerada a existência de subúrbios da miséria onde há a generalização da tolerância zero. O filme mostra a concentração das áreas de miséria com todos os problemas da sociedade: altas taxas de desemprego, analfabetismo, pobreza, precariedade e criminalidade, justamente onde o Estado é ausente, identificando assim as consequências da lógica discriminatória peculiar às sociedades ocidentais.

Veja mais:
Bloco descontentes do Fecamepa, a música de Alban Berg, a poesia de Wilson Araújo, a arte de Andy Golub, a pintura de Cristiane Campos & Márcio Melo aqui.
No reino do Fecamepa nada pode dar certo aqui.
Terça-feira no trâmite da solidão aqui.
Auto do Maracatu aqui.
Baile de Carnaval aqui.
Karen Horney, Manuel Castels, Edson Cordeiro, Carmen Miranda, Amelinha, Mônica Waldvogel, Frevo & Branca Tirollo aqui.
A literatura de Dostoiévski aqui.
Dois poemetos de amor demais pra ela aqui.
Doro invocado denuncia abuso em mais uma presepada aqui.
Zé Ripe entre amigos & pé de serra aqui.
A esfíngica amante aqui.
Literatura de Cordel: Melancia & Coco Mole aqui.
O ser humano e seus papéis construtivos e não-construtivos aqui.
A mútua colheita do amor aqui.
Padre Bidião & o papa Chico aqui.
Psicopatologia & Semiologia: sensação, percepção e consciência aqui.

A ARTE DE KEES VAN DONGEN
A arte do pintor fauvista holandês Kees van Dongen (1877-1968).
 

MÓNICA OJEDA, BORA CHUNG, AZA NJERI & DÉBORA LAÍS FERRAZ

  Imagem: Acervo ArtLAM . Ao som dos concertos Nights from the Alhambra (2007), A Mediterranean Odyssey (2010), Troubadours On The Rhine...