domingo, dezembro 24, 2017

FELIZ NATAL PARATODOS

Muito ouvi dizer: ano meiou, ano findou! E num é que é mesmo! Ainda ontem era primeiro de janeiro de dois mil e dezesseis, êpa, leia-se: dezessete pé que foram dois anos tão iguais, talqualzinhos, cara dum, cu de outro, que nem deu preu notar que haviam passados. Quando dei fé, véspera de natal! Como é mesmo? Na vera. Nem me dei conta, como sempre, passei batido. Bem que desconfiei dos insistentes convites para confraternizações, relevei, nunca fui e quase nunca vou. Se me chamar pra trabalhar, para agir, conte comigo; pra festa, não mais. Destá, sou assumidamente farrapeiro. Agora vou aproveitar e fechar pra balanço!


Emparelhando tudo, ativo e passivo: zero. Na batata! Balanço fechado, carea lisa, bolsos vazios e uma esperança imorredoura. Algumas felicitações recebidas, todas devidamente retribuídas como manda o figurino. Se escapou alguma, minhas reiteradas escusas, aproveito aqui para mandar o recado: obrigado, retribuo todos os votos e saudações recebidas. Feito.


Não fossem neres de nada mesmo que sobrasse nem na algibeira, eu presentearia cada um de vocês com uma baita caixa, um caixão decente, papel de presente e tudo o mais, com o melhor do mundo e cada um de vocês. Mas, como as coisas andaram bem pra trás, o golpe não me poupou e sou mais um entre os que não têm nem onde cair morto. Por isso, o que desejo pra mim, desejo para todos: muita Paz, Saúde, Felicidades. Assim seja.


Ah, outra coia: o ano foi bão demais, viva! E mesmo que não teha sido de verdade, que seja. Viva, de novo. Se o restino do ano está brabo ou capengando na claudicância da Nação, nem ligue, faça como eu: viva!


Mais outra coisa: quero agradecer por tudo aos amigos, parceiros, achegados e desafetos. No frigir dos ovos, deu tudo certo mesmo. Tirante as sobradas, escorregões, topadas e chás de cadeira, no mais, tudo na mesma e estou pronto pra outra. No ponto. E vamos nessa!


Pronto. E sem mais delongas, mais de dois milhões de beijabrações paratodos. E como dizem os da tuia: ano que vem é noise na fita traveiz! E vamos aprumar a conversa & tataritaritatá!


Veja mais:
Papai Noel amolestado aqui
Crônicas Natalinas aqui.
Ato de Natal de Hermilo Borba Filho aqui.
Conto de Natal de Rubem Braga aqui.
Véspera de Natal aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.

Faça seu TCC sem Traumas: livro, curso & consultas aqui.

&
Agenda de Eventos aqui.


GOLDING, BALMONT, STEINER, NORBERT ELIAS, MILTON NASCIMENTO, KIAROSTAMI & FRANÇOISE GILOT

TRÊS & UMA VIDA SÓ – Imagem: A Gordiuszi csomó III (2005), da pintora francesa Françoise Gilot . - Numa bela manhã de 1552, nascia E...