quarta-feira, dezembro 27, 2017

OUSPENSKY, PAVESE, ANTÔNIO CÍCERO, NÊUMANE, BÁRBARA EUGENIA, GIL COHEN, ALESSANDRA FAVETTO, TATÁ AEROPLANO & FREYA

QUANDO FREYARAVI É SÓ FREYA – É dia dela e do Vale do São Francisco eu voo para recebê-la em festa - ela aniversaria duas vezes por ano. E eis que surge deusa mãe das entranhas álgidas de Vanir, quando os deuses se reúnem para romper o acordo com o construtor das muralhas de Asgard. Vem ela da Völva para ser minha noiva na sua mágica aura glacial, feita de brisa tropical com a música na Völupsa da Edda poética. E em mim ela é a magia venerada pelo êxtase das sacerdotisas do Seiðr para as sagas das viagens espirituais nas mudanças dos tempos e de todas as coisas curadas e amaldiçoadas, que caçam suas lágrimas de deusa da riqueza transformadas em ouro na terra e âmbar no mar, quando é a beleza, a flor entre as flores, a fertilidade da vida para consagrar felinos, corvos e lobos para mim. Em mim ela é a guerra no seu carro puxado por linces para o pacto de Asgard entre os Aesir, é a morte ao receber de suas lideradas valquírias as almas de todas as mulheres no palácio de Fólkvangr, como também a metade das almas dos homens mortos em combate. Em mim ela é a sabedoria que me atrai com sua beleza voluptuosa e olhos vivos realçados pelo colar mágico de Brisingamen na expressão do Sol e os dias e as noites, e é o amor com toda sensualidade e luxuria entre o céu e a terra, a procurar por mim e encontrar-me cativo na sua exuberância divinizada, carregada de raios e trovões. E refém do seu encanto eu sou para retirar o bustiê e vendar meus olhos na surpresa da sua nudez mágica, e um filme revela as minhas encarnações passadas ao seu lado, passeando de mãos dadas pela Cordilheira dos Andes, o sexo selvagem na Barreira do Inferno, o Kama Sutra na muralha chinesa, o namoro agarradiço na ilha atlântica de Hy-Breazil, o abraço quente pra entrega setentrional no Ártico, a nudez na madrugada da Ilha Grande da Terra do Fogo, a despedida amorante no Salto das Sete Quedas dos gozos ubíquos na redondeza ensolarada do Taj Mahal, na relva do Kilimanjaro, no munumento de La Mano em Punta Del Este, no Jeju Loveland, e ela gritando todas as vezes para que eu não vá, até adormecer no feitiço de suas imprecações. Desperto com o hálito de primavera dos seus lábios rentes ao meu, sua língua aveludada por minhas faces, suas mãos estivais incendiando meu sexo, o toque macio dos seus dedos nórdicos esfregando-o à palma da sua mão reveladora e envolvê-lo com as estrelas do céu da sua boca, agasalhado por suas lambidas acasaladoras, a iluminá-lo com o prateado do seu sobejo e aprontá-lo para ser tomado pelo vulcão ventral de sua gula vaginal, na contagem regressiva pro lançamento do meu foguete singrando os seus sete céus inflamáveis para explodir o gozo dos seus zis orgamos e beijares feitos girândolas de fogos de artifícios, estrelas cadentes e galácticos sóis. E dela sou súdito e cultor, duas vezes por ano, para sempre. © Luiz Alberto Machado. Direitos reservados. Veja mais aqui.

RÁDIO TATARITARITATÁ:
Hoje na Rádio Tataritaritatá especial com a cantora e compositora Bárbara Eugenia: Frou frou & Jornal Bad; com o músico, compositor e andarilho urbano Tatá Aeroplano: Step Psicodélico; e da dupla Vida ventureira. Para conferir é só ligar o som e curtir.

PENSAMENTO DO DIAA voz do morto: Estava com Penélope, conheci Elsa, reencontrei Helena, abandonei Penélope, deixei Helena. E sinto saudade de Esmé. Respeito todas, valorizo todas, todas foram importantes para mim. Será por isso que dizem que não presto? Será? Se os mortos cantassem eu entoaria: “Eu não presto, mas eu te amo, eu não presto mas eu te amo”. Sim. E daí? O amor, ah, o amor! Amor. Quem o merece? [...]. Trecho extraído da obra O silêncio do delator (A Girafa, 2004), do jornalista e escritor José Nêumane Pinto.

LEI DOS TRÊS PRINCÍPIOS OU TRÊS FORÇAS – [...] todo fenômeno, em qualquer escala e em qualquer mundo que ocorra, do plano molecular ao plano cósmico, é o resultado da combinação ou encontro de três forças dirferentes ou opostas. O pensamento contemporâneo reconhece a existência de duas forças e a necessidade dessas duas forças para a produção de um fenômeno: força e resistência, magnetismo positivo e negativo, eletricidade positiva e negativa, células masculina e feminina e assim por diante. Ainda assim, não constata sempre nem em toda parte a exist~encia dessas duas forças. Quanto á terceira força, jamais se preocupou com ela ou, se lhe aconteceu um dia levantar tal questão, ninguém disso se apercebeu. [...]. Trechos da obra Fragmentos de um ensinamento desconhecido: em busca do milagroso (Pensamento, 1982), do filósofo e psicólogo russo Piotr Demianovitch Ouspensky (1878-1947). Veja mais aqui.

O BELO VERÃO - Naquele tempo tudo era festa. Bastava que saissemn de casa e atravessassem a rua para ficarem como loucas, e tudo era tão bonito, princpalmenet à noite, que, mesmo chegando mortas de cansaço, esperavam que alguma coisa acontecesse, que rebentasse um incêndio, que em casa nascesse uma criança, ou que de repente rompesse o dia e todo mundo saísse às ruas, e se pudesse continuar andando andanto até chegar aos campos, até chegar além das colinas. – Têm saúde, são jovens – diziam -, são moças, não têm preocupação, a gente entende. No entanto, uma delas, Tina, que saíra do hospital manca e que em casa não tinha o que comer, também ria por nada e, uma noite, correndo atas dos outros, parara e comçara a crhorar porque era uma besteira dormir, era como roubar tempo à alegria. [...]. Trechos da obra O belo verão (Brasiliense, 1987), do escritor italiano Cesare Pavese (1908-1950). Veja mais aqui.

QUATRO POEMAS DO GUARDAR  – Logrador: Você habita o próprio centro / de um coração que já foi meu. / Por dentro torço por que dentro / em pouco lá só more eu. / Livre de todos os negócos / e vícios que advém de amar / lá seja o centro de alguns ócios / que escolheirei por cultivar. / Para que os sócios vis do amor, / rancor, dor, ódio, solidão, / não mais consumam meu vigor, / amado e amor banir-se-ão / do centro rumo a um logrador / subúrbio desse coração. Simbiose: Sou seu poeta só / só em você descubro a poesia / que era minha já / mas eu não via. / Só eu sou seu poeta / só eu revelo a poesia sua / e à noite indiscreta / você de lua. Maresia: O meu amor me deixou / levou minha identidade / não sei mais bem onde estou / nem onde há realidade / Ah, se eu fosse marinheiro / era eu quem tinha partido / mas meu coração ligeiro / não se teria partido/ ou se partisse colava / com cola de maresia /eu amava e desamava / sem peso e com poesia / Ah, se eu fosse marinheiro / seria doce meu lar / não só o Rio de Janeiro / a imensidão e o mar / leste oeste norte sul / onde um homem se situa / quando o sol sobre o azul / ou quando no mar a lua / não buscaria conforto / nem juntaria dinheiro / um amor em cada porto / Ahhhhhh se eu fosse marinheiro.../ não pensaria em dinheiro / um amor em cada porto... / Ahhhhhh se eu fosse marinheiro... O país das maravilhas: Não se entra no país das maravilhas / pois ele fica do lado de fora, / não do lado de dentro. Se há saídas/ que dão nele, estão certamente à orla/ iridescente do meu pensamento,/ jamais no centro vago do meu eu./ E se me entrego às imagens do espelho/ ou da água, tendo no fundo o céu,/ não pensem que me apaixonei por mim./ Não: bom é ver-se no espaço diáfano/ do mundo, coisa entre coisas que há/ no lume do espelho, fora de si:/ peixe entre peixes, pássaro entre pássaros,/ um dia passo inteiro para lá. Poemas extraídos de Guardar (Record, 1997), do poeta, compositor, critico literário e filósofo Antônio Cícero. Veja mais aqui.

A ARTE DE GIL COHEN
A arte do desenhista, ilustrador, professor e pintor Gil Cohen.

Veja mais:
O amor de Freyaravi aqui, aqui, aqui & aqui.
A arte de Fulvio Pennacchi aqui.
Neuroeducação aqui, aqui & aqui.
Vygotsky, o teatro e a criança aqui.
Brincar para aprender aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
Faça seu TCC sem Traumas: livro, curso & consultas aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

A ARTE DE ALESSANDRA FAVETTO
A arte da fotógrafa, artista plástica e visual italiana Alessandra Favetto.

JUDITH SCHALANSKY, TRIIN PAJA, ANNA LEMBKE, VCA & CRÔNICA NA ESCOLA

  Imagem: Acervo ArtLAM . Ao som dos álbuns Morning Star (2021), Beethoven: Piano Sonatas nº 3 in C Major, Op. 2 & nº 16 in G Major, ...