segunda-feira, agosto 10, 2020

BARBARA KRUGER, RAUL PASSOS, MALEBRANCHE, BLANCA VARELA, LÉLIA GONZALEZ, CIRCO & OS ESCRITOS DO RECIFE


DIÁRIO DO GENOCÍDIO NO FECAMEPA – UMA: SABE AQUELA... DA QUARENTENA AO OZÔNIO NO TOBA: Olá, gentamiga! Depois duns dias de descanso merecido, nem havia coragem para retomar agora as atividades. Contudo, acontece tanta coisa nesses tantos Brasis aloprados, que não dá para cochilar na risadagem. Sei, de antemão, que não é de bom tom rir da desgraça alheia. Mas a estupidez dos coisominions & o terraplanismo médico passou das contas, que o diga Nicolas Malebranche: A imaginação é a louca da casa. Só é, haja pano pras mangas estupidológicas. Principalmente diante das alarmantes estatísticas dando o teor da nossa tragédia desgovernada. Não dá para resistir diante das recomendações da cloroquina & hidroxicloroquina, ivermectina & outras baboseiras do negacionismo descarado, agora com a prática da ozonioterapia no reto! A ponto de se arvorar batendo nos peitos: Em breve o Brasil todo ozonizado! Coisa de enrustidos que se mostram homofóbicos, só sendo. Ou de quem apela pro benefício emergencial e não deu em nada. Eu que não vou expor meu frosquete e sair com blábláblá feito um pato rouco por aí, nem amarrado! Vou mesmo com o Currículum da Blanca Varela: digamos que ganhaste a corrida / e que o prêmio / fosse outra corrida / que não bebeste o vinho da vitória / mas teu próprio sal / que jamais escutaste ovações / mas latidos de cães / e que tua sombra / tua própria sombra / foi tua única. Aprendi demais, desaprendi de menos para tanto. Veja mais aqui.

DUAS: AQUELA OUTRA DOS DITOS & DESDITOS - A discriminação é altamente nefasta. Parece mais que ninguém se deu conta das previsões constitucionais vigentes, nem o tanto de marco legal para combate. A torto e a direito flagrantes inexoráveis, sem falar do disfarçado Efeito Matilda execrável. Lélia Gonzalez nos dá o tom do descalabro: Estamos cansados de saber que nem na escola, nem nos livros onde mandam a gente estudar, não se fala da efetiva contribuição das classes populares, da mulher, do negro do índio na nossa formação histórica e cultural. Na verdade, o que se faz é folclorizar todos eles. No momento em que começamos a falar do racismo e suas práticas em termos de mulher negra, já não houve mais unanimidade. Nossa fala foi acusada de emocional por umas e até mesmo de revanchista por outras; todavia, as representantes de regiões mais pobres nos entenderam perfeitamente (eram mestiças em sua maioria). É o que nos sobra destes tantos & muitos Brasis arrevirados e de porteiras escancaradas, gentamiga!

TRÊS: DO CIRCO ITINERANTE - Hoje tem espetáculo? Tem, sim senhor! Todo dia terá! O Circo Itinerante flagra tudo do Oiapoque ao Chuí, das beiradas do Atlântico até as bandas do Pacífico. Em cena pode estar o que não é nada agradável aos olhos, o cotidiano das mazelas e o imprevisível. O que nos salva é o solo do piano com Oblivion de Raul Passos: Tua dúvida, minha ciência / - Porque eu me debruço em ti / Pareces não estar ali - / Não fuja! / És uma ilusão cristalizada / Amargo pensamento de amanhã / - Lamento ou lamúria vã - / Não fale! / Madrugada imaterial - tesouro ardente / Tua sombra, vago relance... / Te peço, para que eu descanse, / Não durma! Ou o recado inflamado Barbara Kruger: Ver não é acreditar. A própria noção de verdade tem sido posta em crise. Em um mundo inchado com imagens, estamos finalmente aprendendo que as fotografias de fato são mentiras. Assim, a gente aprende a discernir do que é e não, o que deve ser feito e o necessário para viver e deixar viver neste tempo e mundo.

O RECIFE DOS ROMANCISTAS
A publicação O Recife dos romancistas: paisagens, costumes, rebeliões (FacForm, 2010), organizado por Abdias Moura, reúne textos Clarice Lispector, Josué de Castro, Mauro Mota, Ariano Suassuna, Jorge Amado, Gilberto Freyre, Osman Lins, Paulo Leminski, José Lins do Rego, Érico Veríssimo, Franklin Távora, Aguinaldo Silva, Amílcar Doria Matos, Raimundo Carrero, Gilvan Lemos, Evaldo Cabral de Melo, Luzilá Gonçalves Ferreiras, Josefa de Farias, Luis Jardim, Israel Felipe, Gastão de Holanda, Bernardo Freire, Mário Sette, Luiz Delgado, Jonas Taurino, Bernardo Guimarães, Lucilo Varejão, Perminio Asfora, José Nivaldo, Theotonio Freire, Faria Neves Sobrinho, Zeferino Galvão, Carneiro Vilela, Manoel Arão, entre tantos outros. Veja mais aqui.


NATALIE GOLDBERG, ANA MARÍA RODAS, HELEIETH SAFFIOTI, HOMENS & CARANGUEJOS

    Imagem: Acervo ArtLAM. Ao som da Fantasia Sul América para violino solo (2022), do compositor Cláudio Santoro; do Canto dos Aroe (20...