domingo, janeiro 21, 2018

ORWELL, CARL SIMONTON, PAT METHENY, LARA, RACHEL PODGER, MARLY OLIVEIRA, CHIPARUS, SANDRO KOPP & DENILSON VASCONCELOS


RÁDIO TATARITARITATÁ:
Hoje na Rádio Tataritaritatá é dia de especial com o guitarrista de jazz estadunidense Pat Metheny apresentando Speaking of Now Live & The Way Up; a violinista e maestro britânica Rachel Podger com as Sonatas de Bach & La Stravaganza de Vivaldi & muito mais nos mais de 2 milhões de acessos ao blog & nos 35 Anos de Arte Cidadã. Para conferir é só ligar o som e curtir.

A ARTE DE DENILSON VASCONCELOS
Projeto Plastic, do fotografo e publicitário Denilson Vasconcelos.

A PERSONALIDADE CANCEROSA – [...] Meu tema é controvertido, vou falar do papel que a mente desempenha na causa e na cura do câncer. [...] A questão não é se há uma relação entre estresse emocional e câncer, e sim descobrir qual é o elo preciso entre ambos. [...] Tenho constatado a existência desses fatores de personalidade em minhs pesquisas, e tais constatações são mais do que corroboradas pela minha experiência pessoal: tive câncer aos dezessete anos, e hoje posso ver como minha personalidade se enquadrava perfeitamente na descrição clássica [...]. Os instrumentos pouco convencionais que utilizo no tratamento do câncer, além da radiação, são o relaxamento e as imagens mentais. [...]. Palestra proferida pelo médico oncologista e radiologista estadunidense Carl Simonton (1942-2009), pioneiro da psicopatologia e fundador do Simonton Cancer Center (SCC), para trabalhar com pacientes com câncer que queriam apoiar ativamente seu processo de recuperação nos Estados Unidos, Europa e Japão. Segundo ele alguns padrões significativos na vida e nas reações emocionais dos pacientes cancerosos, sugerem a noção de uma “personalidade cancerosa”, isto é, da existência de certos padrões de comportamento presentes no estresse que contribuem substancialmente para o aparecimento do câncer, da mesma forma como se sabe que outros tipos de comportamento contribuem de maneira significativa para as doenças do coração. Extraído da obra Sabedoria incomum: conversa com pessoas notáveis (Cultrix, 1995), do físico e escritor austríaco Fritjof Capra. Veja mais aqui.

A ARTE DE DEMÉTRE CHIPARUS
A arte do escultor francês Demétre Chiparus (1886-1947).

REVOLUÇÃO DOS BICHOS – [...] - Houve as mesmas calorosas felicitações de antes, e os copos foram esvaziados. Mas aos olhos dos bichos, que lá de for a espiavam, pareceu que algo estranho estava acontecendo. Que diabo teria alterado a cara dos porcos? Os olhos embaçados de Quitéria iam de uma cara para outra. Algumas tinham cinco queixos, outras quatro, outras três. Mas alguma coisa parecia misturá-las e modificá-las. Então, findos os aplausos, o grupo pegou novamente nas cartas, reencetando o jogo interrompido, e os animais afastaram-se silenciosamente. Não haviam, porém, chegado sequer a vinte metros quando se detiveram, ante o vozerio alto que vinha lá de dentro. Voltaram correndo e tornaram a espiar pela janela. Realmente, era uma discussão violenta. Gritos, socos na mesa, olhares suspeitos, furiosas negativas. A origem do caso, ao que parecia, fora o fato de Napoleão e o Sr. Pilkington haverem, ao mesmo tempo, jogado um ás de espadas. Doze vozes gritavam cheias de ódio e eram todas iguais. Não havia dúvida, agora, quanto ao que sucedera à fisionomia dos porcos. As criaturas de fora olhavam de um porco para um homem, de um homem para um porco e de um porco para um homem outra vez; mas já se tornara impossível distinguir quem era homem, quem era porco. Extraído do livro Revolução dos bichos (Globo, 1980), do escritor e jornalista britânico George Orwell (Eric Arthur Blair – 1903-1950). Veja mais aqui, aqui e aqui.

LARA & ANA MARIA MAGALHÃES
O drama biográfico Lara (2002), dirigido pela atriz, diretora, produtora e roteirista Ana Maria Magalhães, relata a história da atriz, cantora e escritora Odete Lara (1929-2015), baseada em seus livros, com trilha sonora de Dori Caymmi, figurinos de Karla Monteiro, edição de João Paulo de Carvalho e fotografia de José Guerra e Pedro Farkas.

EPÍGRAMABom é ser árvore, vento, / sua grandeza inconsciente; / e não pensar, não termer, / ser, apenas: altamente. / Permanecer uno e sempre / só e alheio à própria sorte, / com o mesmo rosto tranquilo / diante da vida ou da morte. Poema extraído da Antologia poética (Nova Fronteira, 1997), da poeta Marly Oliveira (1935-2007).

A ARTE DE SANDRO KOPP
A arte do artista visual alemão Sandro Kopp.
 

LILI & MAIAKOVSKI, VALIE EXPORT, RAIMUNDO MAGALHÃES JÚNIOR, JACINEIDE TRAVASSOS & ANCHIETA DALI

LILI, MULHER AMADA - Simples como um mugido, sou sem um vintém no bolso, faminto às andanças, sem teto: minha casa é a rua futurista n...