quarta-feira, dezembro 05, 2007

ERASMO, JHUMPA LAHIRI, VIRGINIA ROSA, ELAINE CASSIDY, HELENA IGNEZ, SEXO & A SIMPATIA TIRO & QUEDA DO DORO!



A MILAGROSA TIRO E QUEDA! OUTRA SIMPATIA PARA ABAFAR EM 2016!!! - Seguinte, gente! Se a simpatia da virada do ano não acontecer como esperado ou não der certo até a primeira hora do ano novo, deixe para lá. Se você, minha amiga, escapou incólume até essa hora, agora, babau: só no ano que vem. Contudo, para abafar e virar a roliúde em 2016, num oferecimento do Fecamepa – Festival de Cagadas Melando o País, os promotores dessas seboseiras estão gentilmente cedendo uma outra miraculosa patranha do Doro. É tiro e queda mesmo! Trata-se de uma simpatia para a madame ficar rica na hora! Isso mesmo! Quer perder essa oportunidade? Então, lá vai: no primeiro dia do ano novo, isso só vale até o meio-dia, viu? Faça o seguinte: some (de somar, viu?) o dia do seu nascimento com o mês. Depois adicione o ano e faça toda adição. O resultado divida por 100. Depois, multiplique tudo por 10, Bote mais 1000 em cima e subtraia por 2957. Tire a prova dos nove de tudo. Depois recomponha tudo e separe de cada operação efetuada o número 9. Coloque a quantidade de 9 que houver no final da doideira toda e some trazendo um total geral. Se der zero, não esquente, vai dar tudo errado mesmo. Se não der, parabéns, eu nem sei o que o Doro disse mesmo de tão indecifrável caligrafia: uma garrancheira dos diabos. Dá no mesmo, né? A dica é que o que sobrar de tudo isso é o seu número da sorte. Ou azar. Fique atenta. Enfim, boa sorte assim mesmo. Bem, quem quiser maiores detalhes sobre suas previsões, já está disponível o Tarô do Doro, esse é o mais ineivado e fuderoso de todas as cartas adivinhatórias da história da humanidade. Tudo nele é na batata (isso foi o que me disseram alguns testadores desavisados, pois batem o pé de que o cara deslavada adivinha mesmo até o pensamento!). Tanto é que as cartas foram criadas, banhadas e confeccionadas com bosta do boi jauaraicica: é na batata. Eu digo: não vi, não avalizo e nem assino embaixo, cada um sabe onde meter o seu frosquete ou bedelho. É de sua inteira e total responsabilidade, não me envolva nisso, viu? Estou apenas reproduzindo as idéias do sujeito que não larga do meu pé para eu divulgar estas flatulências intelectuais.De posse de tais informações, desejo a todos bom proveito, um Natal bem legal e um ano novo cheio de muitas comemorações. Do contrário, feliz 2017! Bié, bié, glup!glup!!!!!
Veja mais simpatias e as previsões do Doro acessando:



Curtindo o álbum A voz do coração (Lua Discos, 2001), da cantora Virgínia Rosa.

ADÁGIO – Do latim adgium, ditado provérbio, designa os ditos provérbios, sentenças ou máximas que transmitem um saber de modo conciso e claro. Via de regra, o adágio registra a experiência culta dos antigos, universalmente difundida. Quando de origem não literária, diz-se adágio popular. Um do adagiários mais famosos é o de Erasmo de Roterdam, Adágios (1500-1506), que compila mais de quatro mil espécimes colhidos nos autores da antiguidade greco-latina. O termo adágio ainda se usa na linguagem musical, para indicar um movimento vagaroso e gracioso, menos lento,porém, que o denominado largo. (Fonte: MOISÉS, Massaud. Dicionário de termos literários. São Paulo: Cultrix, 2004).

DESEJO E FANTASIA SEXUAIS – O processo para aquisição das fantasias sexuais e o desenvolvimento do desejo surge de alguma experiência sexual, por meio da prática que pode variar de um simples toque até a relação propriamente dita, seja pela observação visual ou auditiva de alguma cena sexual, ou através da excitação sexual que pode ocorrer independentemente da vontade. Desejar ou fantasiar tem por base a curiosidade que determina o desejo de vivenciar a situação desconhecida. As fantasias potencializam o desejo e exercem papel bastante significativo na sexualidade. O desejo quando realizado, se foi bem-sucedido, transforma-se em prazer e a tendência é tentar repeti-lo. Se a experiência foi negativa, logo se transforma em frustração e a tendência é não repetir a experiência e distanciar-se do episódio. Por isso, as primeiras experiências sexuais devem ser bem-sucedidas para que haja uma vida sexual futura positiva, sem medos ou bloqueios.

O XARÁ – No livro O xará (Companhia das Letras, 2004), da premiada escritora estadunidense de origem indiana. Jhumpa Lahiri, destaco os trechos: [...] Aniversário de catorze anos de Gogol. Como quase todos os acontecimentos de sua vida, é mais uma desculpa para os pais darem uma festa aos amigos bengaleses. Seus próprios amigos da escola são convidados na véspera, uma ocasião doméstica, com pizzas que o pai pegou na volta do trabalho, um jogo de beisebol assistido em grupo na televisão, um pouco de pingue-pongue na saleta. Pela primeira vez na vida, disse são ao bolo confeitado, à caixa de sorvete napolitano, aos cachorros-quentes, às bexigas e às bexigas e às faixas pregadas nas paredes [...] A outra comemoração, a bengalesa, é feita no sábado mais próximo da verdadeira data de seu nascimento. Como sempre, a mãe fica cozinhando dias antes, enchendo a geladeira com pilhas de bandejas cobertas de folha de alumínio. Ela cuida de preparar as coisas preferidas dele: curry de carneiro com muita batata, luchis, channa dal bem Gros com passas escuras estufadas, chutney de abacaxi, sandeshes moldadas com ricota tingida com açafrão [...].

ANTIGA – Em 2001, tive a oportunidade de assistir no Centro Cultural São Paulo, à montagem do espetáculo Antiga, a milagrosa história da imagem que perdeu seu herói, do dramaturgo Dionisio Neto, contando a história de um encontro ocorrido durante uma festa de revellon, entre um alto empresário, sua esposa diva reclusa, sua filha adotiva e um pichador, no qual ocorrem revelações e conflitos. O destaque fica por conta da interpretação da atriz Helena Ignez.

O FIO DA INOCÊNCIA – O drama suspense O fio da inocência (Felicia’s journey, 1999), dirigido por Atom Egovan e baseado na obra homônima de William Trevor, conta a história de uma jovem grávida, fugitiva da casa de seus pais na busca do pai de seu filho, auxiliada por um estranho solitário. O destaque do filme fica por conta da atuação da atriz irlandesa Elaine Cassidy.

IMAGEM DO DIA
Todo dia é dia de Elaine Cassidy.

Veja mais:
A mulher gaulesa aqui.

Blaise Cendrars, Gustave Courbet & Ginofagia aqui.

O amor & as previsões do Doro aqui.  

Pierre Mérot, Xico Sá, Sarah Vaughan, Helen Keller, Lírio Ferreira, Teoria da Decisão, Margherita Fascione, Boris Vallejo, Urinoterapia & Hygiene aqui.  

CRÔNICA DE AMOR POR ELA

Leitora parabenizando o Tataritaritatá!
Veja aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.


PAULO FREIRE, LEWIS CARROLL, COOMBS, SILVIO ROMERO, BRECHERET, GUIOMAR NOVAES, SEBASTIÃO TAPAJÓS, FÁBIO DE CARVALHO, ARANTES GOMES DO NASCIMENTO & EDUCAÇÃO

CRIATIVIDADE & INOVAÇÃO NA PRÁTICA EDUCATIVA – Imagem: Luta dos índios Kalapalo (1951), do escultor Victor Brecheret (1894-1955) - A...