sexta-feira, julho 26, 2019

BERNARD SHAW, ANTONIO MACHADO, THILO SCHMIDT, NEL ANGEIRAS & MARAVILHA DE VIVER


MARAVILHA DE VIVER - No meio da noite os pensamentos passam e rolam por aí, a esmo e sem paradeiro certo, pra cima e pra baixo, alguns me assaltam e me escondo no paradoxo: sou o que sou e o contrário, sou livre à vida convcrsável. Tenho pra mim o plural e o amplo para ser melhor que sou no exercício da mútuua piedade. Não julgo, sou pra conversa e conversão: compreender o princípio de vida. Sou-me inteiro na solidariedade humana e a todo ser vivente: diálogo fácil com bichos, plantas, invenções. Tenho comigo que posso mais do que sou, isso eu sei, ação pra quem anda solitário com tudo e todas as coisas. Em silêncio, sozinho vou além das aparências, sei que tudo se manifesta em mais de zis maneiras no grande esquema das coisas e seres. Cogitações, encaro incompreensões – nenhum gênero me é estranho; as ilusões passeiam, não presumo nada. Sigo pela filosofia da vadiagem, poeta à solta: criança maravilhada a dar conta dos fieis do amor no privilégio da felicidade com a doação do amor. E se é noite, tanto faz se dia, o que importa é a maravilha de viver. © Luiz Alberto Machado. Direitos reservados. Veja mais aqui.

DITOS & DESDITOS:
Na calada da noite do G20, a União Europeia conseguiu selar finalmente, após 20 anos de negociação, o acordo de livre comércio com o Mercosul. O texto do acordo tem que passar ainda pelos estados membros do pacto e do parlamento da EU, e pode sofrer alterações. O que está no acordo, é alarmante, para os dois lados do Atlântico. É um retrocesso para a agricultura, os direitos humanos, meio ambiente e clima, proteção dos consumidores. Quem ganha é a agroindústria e a indústria alimentícia. A maior parte das importações europeias do setor agrário e de alimentos vem dos países do Mercosul – Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai (aprox. 90 bilhões de Reais por ano). Com o acordo, a parcela das importações deste setor proveniente do Mercosul pode subir de atualmente 17% para 25% até 2025. Em consequência, a já enorme pressão do setor agroindustrial sobre a Amazônia, terras indígenas, unidades de conservação, direitos humanos ainda tende a subir nos próximos anos. Alguns números: 94% de farelo de soja e 52% de grão de soja que a UE importa do mercado global vem do Mercosul. O superávit de produção alimentícia da EU vem das monoculturas brasileiras, argentinas, paraguaias, uruguaias – destruindo ao mesmo tempo os mercados nos países africanos. Produzindo assim refugiados, sem perspectiva de vida digna nos seus países de origem and so on and so on ... No Brasil, 96% dos campos de soja são cultivadas com Organismos Geneticamente Modificados OGM, 99% na Argentina. Na maioria, variedades de Monsanto/ Bayer. O Mercosul se torna o maior exportador de carne do mundo, o que se reflete nas prateleiras dos supermercados europeias: 73% da carne de boi e 56% da carne de frango vem do Mercosul. O acordo deve ainda aumentar estas cotas. Com isso, precisa-se produzir mais soja geneticamente modificado. A cota de importação de açúcar é de 100.000 t/a, etanol 600.000 hl/a, tendência para cima Brasil é, junto aos Estados Unidos, o maior consumidor de agrotóxicos no mundo. Ao mesmo tempo, com menor controle acerca de resíduos tóxicos nos alimentos. Na UE, o valor residual permitido de glifosato na soja é 0,05 mg/kg, no Brasil 10 mg/kg, 200 vezes mais. Na água potável, Brasil permite 5.000 vezes mais glifosato do que na Europa. Agrotóxicos se acumulam nos solos e no lençol freático, diminuem a fertilidade dos solos por prejudicar os microrganismos, levando assim à desertificação. Afinal, fecharemos o ciclo de intoxicação, com a volta de agrotóxicos europeias à Europa em forma de ração animal e de alimentos. Pelo menos neste sentido, uma contribuição à igualdade entre os povos. A situação “liberal” nos frigoríficos é bem conhecida, basta lembrar o escândalo de carne podre da JBS (Friboi, Seara), e da BRF Foods (Sadia, Perdigão). No âmbito do Mercosul, a EU vai lutar por controles mais rígidos? (Argumento da Angela Merkel no Bundestag, parlamento alemão, em 26.06.2019, ao defender fechar o acordo com o Mercosul no momento da presidência do Bolsonaro no Brasil) Ao contrário: pretende-se tratar a fiscalização de forma mais liberal. Mecanismos de controle serão substituídos por “garantias de suficiência” dos países exportadores – ou seja, mecanismos de autocontrole. Brumadinho manda lembranças! Ademais, o acordo fere o princípio de precaução, quanto a medidas de proteção ambiental e dos consumidores. Na UE, o princípio de precaução é parte do marco legal. A autorização de produtos pode ser negada em caso de dúvidas acerca da sua segurança, impactos para a saúde etc. Não será parte obrigatório do acordo, apenas facultativo, sem sanções – ou seja, não vale o papel impresso! Tem outros pontos críticos, como a representação dos interesses de multinacionais por lobbying, ausência de acordos acerca do desmatamento, da proteção de terras indígenas, dos direitos humanos etc. É necessário ficar de olho!
Texto Após 20 anos: União Europeia e Mercosul fecham acordo de livre comércio - Possíveis consequências do acordo, do Engenheiro alemão que atua na Gestão Sustentável de Resíduos Solidos, Thilo Schmidt, criador da Rede Hortas do Bem Comum e da Felicidade Comunitária. Veja mais aqui e aqui.

A POESIA DE ANTONIO MACHADO
XVI - O homem, por índole, é besta paradoxal, / precisa de lógica esse absurdo animal. / Criou do nada um mundo e, obra terminada, / “Já sei o segredo – se disse – , tudo é nada.”
XLIV - Tudo passa e tudo fica, / e o que nos cabe é passar, / passar fazendo caminhos, / caminhos por sobre o mar.
LI - Luz do espírito, luz sagrada, / lanterna, tocha, estrela, sol… / Um homem às cegas na estrada; / leva nas costas um farol.
SEM TÍTULO -  De noite quando dormia / sonhei, bendita ilusão!, / que uma nascente fluía /dentro do meu coração. / Por que ribeira escondida, / agua, vienes hasta mí, / água, vens tu até mim, / manancial de nova vida / onde jamais eu bebí? / De noite quando dormia / sonhei, bendita ilusão!, / que uma colmeia vivia / dentro do meu coração; / e as douradas abelhas / iam fabricando nele, / com as amarguras velhas, / branca cera e doce mel. / De noite quando dormia / sonhei, bendita ilusão!, / que um ardente sol luzia / dentro do meu coração. / Era ardente porque dava / o calor de um rubro lar, / e sol porque alumiava, / porque fazia chorar. / De noite quando dormia / sonhei, bendita ilusão!, / que era Deus o que eu trazia / dentro do meu coração.
Poemas da obra Provérbios e cantares (El Pais, 2003), do poeta e dramaturgo espanhol Antonio Machado (1875-1939). Veja mais aqui e aqui.

A ARTE DE NEL ANGEIRAS
A arte do quadrinista, ilustrador, desenhista, publicitário e webdesigner Nel Angeiras, criador da série & blog Noturnos. Ele também é o criador de diversos personagens, a exemplo do Ponto Zero, e participando de publicações como Areia Hostil, Projeto Continuum, Cabal e no HQNado. Veja mais aqui.

A OBRA DE BERNARD SHAW
Só triunfa no mundo quem se levanta e procura as circunstâncias - e as cria quando não as encontra.
A obra do dramaturgo, escritor e jornalista irlandês Bernard Shaw (1856-1950) aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.


STELLA NYANZI, NASTASSJA MARTIN, AGUSTINA BAZTERRICA & SEMANA HERMILO

    Imagem: Acervo ArtLAM . Ao som dos álbuns Liszt: Piano Sonata & other works (Hyperion Records, 2015), Bach: The Art of Fugue (Hy...