domingo, outubro 07, 2012

ELE SEMOG, EUGENIO MONTEJO, FRANCES FARMER, ROALD DAHL, RABELAIS, BOADICEA & LITERÓTICA

Quero ficar no seu coração e assim poder sonhar.... Desejo...

QUARTO POEMA DE AMOR PRA ELA – O quarto poema de amor nasceu numa noite fria. Nasceu duma fantasia que eu sonhava então. Apesar de ser verão, chovia longamente. Foi então no de repente que sonhei, ave-Maria. Eu já sabia porque ela passeia nua de dia e na noite da minha vigília e nos capítulos dos meus sonhos mais medonhos. Sempre nua e minha e toda etérea, vem pousando toda aérea na atmosfera que anoitece. Aí o seu encanto me embevece e tudo em nós nos apetece, nada engilha, tudo enrijece, sorvo muito e bocadão. É de endoidar qualquer cristão porque o beijo da sua boca é o mais gostoso. O seu jeito a se entregar é tão demais delicioso, chega perco a vida e a noção. Isso é só provocação. Aí me torno cativo do carinho, ela faz com que amocegue o seu caminho e lhe sirva de escravo e servil. Estou a mais de mil e faço o que ela quiser. Dou-lhe tudo que tiver, dou-lhe posse e poder. Até não ter mais o que e me tenha despojado, réu confesso e condenado, dela todo poderio. Que desvario! Ela me soma em seus beijos quando em meus desejos ela se subtrai. É tudo demais! A gente se enrosca e se retalha em posta para servir de prazer. A gente abre as comportas, escancara todas as portas, todo limite a vencer. Aí me chama na grande e brame louca a valer, me explora pra sobreviver, a me fazer servo e senhor. E me faz seu pirão, me chama de bestão e me joga no seu balaio. Inda diz: ai, ai, meu papagaio! E a coisa dá na canela, de apertar todas as costelas, de desmaiar de paixão. E me faz seu refrão e quero que ela me ame como a musa de Modigliani, se entregue ronronando entrecortadas frases, feito Amy Winehouse com toda inquietude e deixe a minha morenice na sua branquitude sem que me visse pelas pernas entreabertas, eu que sentisse minha farra ereta no seu corpo lavado pelo estupor e o meu cio a chave certa, o seu grunhido e o seu sabor. Isso é que é show! Ela é linda e nua na minha loucura! É de fato. É como um retrato de valor que emoldura com torpor a candura do amor. © Luiz Alberto Machado. Veja mais aqui, aquiaqui.

 


DITOS & DESDITOS - Comecei a perceber o quanto era importante ser um entusiasta da vida. Se você estiver interessado em algo, não importa o que seja, vá a toda velocidade. Abrace-o com os dois braços, abrace-o, ame-o e, acima de tudo, torne-se apaixonado por ele. Morno não é bom. Quente também não é bom. Branco quente e apaixonado é a única coisa a ser. Pensamento do escritor britânico Roald Dahl (1916-1990). Veja mais aqui.

 

ENNAZINEnnasin, ou ilha das Alianças, é uma ilha triangular, aproximadamente do mesmo formato e mesma localização da Sicília. Seu povo se parece com os pictos (antigos habitantes celtas da Escócia), mas tem nariz em forma de ás de paus. Todos os ilhéus são parentes de sangue ou por casamento, fato de que são extremamente orgulhosos. Os graus de parentesco são tão complexos e as uniões consaguineas tão frequentes que é impossível encontrar alguém que não seja mãe, pai, genro, tia, primo ou sobrinho de outrem. Os visitantes ficarão surpresos, por exemplo, ao ouvir um velho chamar uma menina de três ou quatro anos de pai, enquanto ela o chama de filha. Os casais chamam-se por uma ampla variedade de nomes carinhosos: meu toucinho, minha escrivaninha, meu borzeguim, e minha omelete, são exemplos típicos. O casamento entre os parceiros mais improváveis parece ser o principal passatempo e diversão desse povo, mas os visitantes raramente são convidados a participar. Trecho extraído de Le quart livre des faicts et dicts du bom Pantagruel, da obra Gargântua e Pantagruel (Garnier, 2009), do escritor francês François de Rabelais (1494-1553). Veja mais aqui e aqui.

 

BOADICEA - Boudicca, conhecida pelos romanos como Boadicea, foi uma rainha celta que liderou os icenos, juntamente com outras tribos bretãs, em levantes contra as forças romanas que ocupavam a Grã-Bretanha em 60 a.D., durante o reinado do imperador Nero. Esta lendária guerreira celta uniu as várias tribos, que constantemente lutavam entre si, em um objetivo comum, usando lanças e machados contra os disciplinados e super equipados exércitos romanos. A fama desta rainha, como a de algumas outras mulheres celtas, assumiu a dimensão de mito em toda a Grã-Bretanha. Como visto, Boadicea era apenas a rainha de uma tribo celta em um canto da Grã-Bretanha. Mas – após a morte de seu marido e de ver sua tribo ser invadida, suas terras tomadas e testemunhar o estupro de suas filhas – ela entrou para a história. A rainha celta liderou a maior revolta contra os romanos em 400 anos de domínio da Britânia. A rainha furiosa colocou abaixo 3 das mais importantes cidades da ilha, incluindo Londres, e massacrou 70 mil romanos. Ainda fez o imperador Nero considerar a possibilidade de recolher as tropas e desistir da região. Boadicea seguia sua marcha e os romanos se posicionaram no caminho para esperar a chegada dos celtas para a batalha final. Apesar de estarem em desvantagem numérica, os romanos tinham a seu favor armamentos melhores, além de disciplina e estratégia militar superiores. Os eventos sobre a atuação da rainha Boudicca, foram relatados pelos historiadores romanos Tácito e Dião Cássio em História Romana. Uma estátua de Boudicca, representada segundo a concepção da memória popular, é encontrada em Londres, ao lado do rio Thames, próximo das casas do Parlamento. Veja mais aqui e aqui.

 

CONVERSANDO COM DEUS – [...] A religião era muito vaga. Deus era diferente. Ele era algo real, algo que eu podia sentir. Mas havia apenas certos momentos em que eu podia sentir isso. Eu costumava deitar entre lençóis frescos e limpos à noite depois de tomar banho, depois de lavar o cabelo e esfregar os dedos, unhas e dentes. Então eu poderia ficar quieto no escuro com o rosto voltado para a janela com as árvores e conversar com Deus. "Estou limpo agora. Nunca estive tão limpo. Nunca estarei mais limpo. [...] Eu me perguntei um pouco por que Deus era uma coisa tão inútil. Parecia uma perda de tempo tê-lo. Depois disso ele se tornou cada vez menos, até que ele era... nada. [...]. Trechos extraídos do ensaio God Dies (1931), da atriz estadunidense Frances Farmer (1913-1970), também autora da frase: Chega um momento em que um sonho se torna realidade e a realidade se torna um sonho. Veja mais aqui.

 

DOIS POEMASPERFIL - você é como um poema. /sem passado e futuro. / trilha de pólvora. / cego jogo em chamas: palavras. / você é como uma surpresa / para cada tempo. com detalhes / em todas as letras. AMOR DO FRUTO DEFORMADO - eu sangro e choro / sou quase capaz de ser refeito. / falo às pedras que um dia / elas serão instrumento / para eu conseguir o nosso pão. / falo o meu silêncio / no vácuo das emoções que me arrancaram. / só os escorpiões não sabem / quantas vezes me ferrei de solidão. / eu, maldito nós, sempre feito de pedra / que não se dá jamais ao absurdo / que nunca se vê fora do próprio útero / mas que finge ser vida da vida. / te encontrei semente estéril / flor de todas as culpas e sem mistério / sendo por dentro um só vazio / peito amargo, cheio de feridas. / te vi transformada num lugar / que ninguém ousaria se esconder / que nem mesmo um verme habitaria. / mas raspei da mente o medo / a hipocrisia, os sonhos pretendidos / ensanguentei minha cultura e mitos / até que por fim juntei-me a ti. / agora o tempo é um / amontoado de horas sórdidas / e o ódio se tempera com angústia / e a frustração remenda trapos / e as cinzas do amor já são do vento / eu me vejo por dentro dos momentos / tramando sinais esquizofrênicas / te suicidando num caso ao acaso / utilizando a morte pra te ver morta / e ter com isto / um sofrimento só pra mim. / amores...busquei-os feito tolo / e em desamores desaguei. / bebi a seiva das dores / na fonte dos sonhos. venenos / embriagar-embriaguei: embrionei-me / sinas inesperadas / tristezas somente imaginadas / nos versos de ocasionais poetas / e nas verdades contidas / no coração da gente simples / que o cotidiano esmaga e oculta / sem que ninguém veja / o desespero exposto nos varais. / não encontrei minha cria, meu rebento. / o silêncio do teu corpo / posso traduzir agora / com meu próprio silêncio / pois o passado nos deixou apenas / esta ausência da nossa carne / entre os fatos da vida. / por amor mata-se as ilusões / cega-se o coração, vende-se a alma / e, ainda, por amor perde-se a calma / de esperar que o amor se faça amor. Poemas do poeta, ativista e agitador cultural, Ele Semog (Luiz Carlos Amaral Gomes) que integrou os grupos ativistas “Garra Suburbana” e “Bate-Boca”, fundador do grupo Negrícia – Poesia e Arte de Criolo.

 

ADEUS AO SÉCULO XX - Cruzo a rua Marx, a rua Freud; / ando por uma margem deste século, / devagar, insone, caviloso, / espia ad honorem de algum reino gótico, / recolhendo vogais caídas, pequenos calhaus / tatuados de rumor infinito. / A linha de Mondrian frente a meus olhos / vai cortando a noite em sombras retas / agora que já não cabe mais solidão / nas paredes de vidro. / Cruzo a rua Mao, a rua Stalin; / olho o instante onde morre um milênio / e outro desponta seu terrestre domínio./ Meu século vertical e cheio de teorias… / Meu século com suas guerras, seus pós-guerras / e seu tambor de Hitler lá longe, / entre sangue e abismo. / Prossigo entre as pedras dos velhos subúrbios / por um trago, por um pouco de jazz, / contemplando os deuses que dormem dissolvidos / na serradura dos bares, / enquanto decifro seus nomes a cada passo / e sigo meu caminho. Poema do poeta venezuelano Eugenio Montejo (1938-2008). Veja mais aqui.

 

PROGRAMA DOMINGO ROMÂNTICO – O programa Domingo Romântico que vai ao ar todos os domingos, a partir das 10hs (horário de Brasilia), é comandado pela poeta e radialista Meimei Corrêa na Rádio Cidade, em Minas Gerais. Confira a programação deste domingo aqui. Na edição deste 07/10 do programa Domingo Romântico Especial Brasil, uma produção da radialista e poeta Meimei Correa e apresentado por Luiz Alberto Machado, conta na sua programação as atrações: Antonio Carlos Gomes, Egberto Gismonti, Hermeto Pascoal e Sivuca, Paulinho Nogueira, Chico Buarque, Amylson Godoy e Orquestra Arte Viva, Joyce, Toquinho, Eduardo Souto Neto, João Gilberto, Elis Regina, Gonzaguinha e Ivan Lins, Mlton Nascimento, Tom Jobim, Lenine, Simone, Geraldo Azevedo, Ney Matogrosso, Djavan, Beth Carvalho, Quinteto Violado, Fagner, Gal Costa, Caetano Veloso, Beto Guedes, Maria Rita, Fafá de Belém, Palavra Cantada, Íbys Maceioh, Gaby Amarantos, Seu Jorge, Vania Bastos, Maria Gadú, Monica Salmaso, Marquinhos Cabral, Mazinho, Eliezer Setton, Roberto Carlos, Emilio Santiago, Auri Viola, Sonekka – Osmar Lazarini, tudo isso muito mais!! Veja mais aqui.


Confira mais detalhes e veja outras edições do programa aqui.




Veja mais sobre:
Ginofagia aqui, aqui e aqui

E mais:
O presente na festa do amor aqui.
Primeiro encontro, a entrega quente no frio da noite aqui.
Primeiro encontro: o vôo da língua no universo do gozo aqui.
Ao redor da pira onde queima o amor aqui.
Por você aqui.
Moto perpétuo aqui.
O uivo da loba aqui.
Ária da danação aqui.
Possessão Insana aqui.
Vade-mécum – enquirídio: um preâmbulo para o amor aqui.
Eu & ela no Jeju Loveland aqui.
O flagelo: Na volta do disse-me-disse, cada um que proteja seus guardados aqui.
Big Shit Bôbras aqui.
A chupóloga papa-jerimum aqui.
Educação Ambiental aqui.
Aprender a aprender aqui.
Crença: pelo direito de viver e deixar viver aqui.
É pra ela: todo dia é dia da mulher aqui.
A professora, Henrik Ibsen, Lenine, Marvin Minsky, Columbina, Jean-Jacques Beineix, Valentina Sauca, Carlos Leão, A sociedade da Mente & A lenda do mel aqui.
Educação no Brasil & Ensino Fundamental aqui.
Bolero, John Updike, Nelson Rodrigues, Trio Images, Frederico Barbosa, Roberto Calasso, Irma Álvarez, Norman Engel & Aecio Kauffmann aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Leitora Tataritaritatá!!
Veja aqui, aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra: 
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.






MARTIN AMIS, PHYLLIS A. WHITNEY, ROSANA PALAZYAN & PAULA BERINSON

    Ao som dos álbuns Violão Popular Brasileiro Contemporâneo (1985), Camerístico (2007), Original (2002) e Dois Destinos (2016), do vio...