sexta-feira, julho 29, 2016

ELA, MARÉS DE SIZÍGIA


ELA, MARÉS DE SIZÍGIA (Imagem: arte da poeta, artista visual e blogueira Luciah Lopez) - É ela lua nova, maré cheia quando Iaravi da Terra me oferta a abundância de todos os olores, cores, flores, humores, errâncias, para que me seja feita valhacouto de sua altaneira exuberância e eu rio corrente braços abertos sou coração na sua aura e sirvo-me por libação da opulência de todos os seus dotes. É ela lua cheia na preamar de sua magnificente estatura de deidade, quando noturna Freya carregada calipígia me enfeitiça com todos os poderes ubíquos de sua magia clarividente, a me fazer mar revolto rebentando na pedraria com todas as ondas impetuosas do prazer sedento, a avançar invasor inclemente por entre as vagas continentais de sua compleição robusta fenomenal. É nela transversalizada e superposta emergente Freyaravi toda a atração gravitacional nas mais altas dimensões imperceptíveis a me flagrar todo desídia para ser aurígia imantada ao meu comando, qual arquétipo da alteridade na pletora dos antípodas: a união estreita de Soloviev, a comunhão do amor. © Luiz Alberto Machado. Direitos reservados. Veja mais aqui e aqui.


Imagem: a arte da Privare Colletion Home do escritor e empresário estadunidense James Halperin.

AMANHÃ
Amanhã será um lindo dia, da mais louca alegria
Que se possa imaginar, amanhã redobrada a força
Pra cima que não cessa, há de vingar
Amanhã mais nenhum mistério, acima do ilusório
O astro rei vai brilhar, amanhã a luminosidade
Alheia a qualquer vontade, há de imperar, há de imperar
Amanhã está toda a esperança por menor que pareça
O que existe é pra vicejar, amanhã apesar de hoje
Será estrada que surge, pra se trilhar
Amanhã mesmo que uns não queiram será de outros que esperam
Ver o dia raiar, amanhã ódios aplacados temores abrandados sera pleno.
Curtindo os grandes sucessos do cantor e compositor Guilherme Arantes.

PESQUISA:
Pensamento crítico é o que nos habilita a determinar se nos devamos deixar persuadir que uma afirmação é verdadeira ou que estamos perante um bom argumento; é o que nos capacita também em saber formular bons argumentos.
Trecho extraído do livro Pensamento crítico: o poder da lógica e da argumentação (Ridel, 2011), de Walter A. Carnielli, Richard L. Epstein com Desidério Murcho.

LEITURA
E agora, mulher, / Que soltou seus freios, / Que saiu dos eixos. / E agora, camélia, / Sua carne manchada, / Transada, se salva? / E agora, o pecado / Tão moderno e quente / Vai ter Happy-end? /E agora, mulher, / Você vai poder / Pisar firme e reta? / Borboleta bêbada / De vinho e desejo, / Depois desta entrega. / Depois deste incêndio, / Cadê seu sossego, / Cadê seu roteiro? / E agora, mulher, / Que você aborta, / Que você desbunda. / E que arromba portas / Erguendo um revólver, / E que faz negócios. / E que puxa fumo, / Você desconfia / Que tudo é um gemido? / E agora, mulher, / Nordestina, escória, / Que virou carioca? / Que virou miragem, / Robô, operária, / Puta e favelada? / Tão trivial e exposta / Ao consumo e à sorte / De uma coisa morta?
Poema Mulher, extraído do livro Mulher (FCC, 1981), da premiada poeta e psicóloga Yone Giannetti Fonseca.

PENSAMENTO DO DIA: A PRESUNÇÃO
[...] a presunção de que a qualidade um ato manifesta a da pessoa que o pratiucou; a presunção da credulidade natural, que faz com que nosso primeiro movimento seja acolher como verdadeiro o que nos dizem e que é admita enquanto e na medida em que não tivemos motivo para desconfiar; a presunção do interesse, segundo a qual concluídos que todo enunciado levado ao nosso conhecimento supostamente nos interssa; a presunção referente ao caráter sensato de toda ação humana. As presunções estão vinculadas, em cada caso particular, ao normal e ao verossímil [...]
Trecho extraído do livro Tratado da argumentação: a nova retórica (Martins Fontes, 2000), de Chaïm Perelman e Lucie Olbrechts-Tyteca.

IMAGEM DO DIA: 
The Living Canvas: For the People!, espetáculo apresentado no National Pastime Theater: Art Stripped Down, da trupe Vaudezilla com Urban Jungle, um burlesque que imita um passeio em uma noite quennte usando corpos com uma tela, contando histórias de projetar imagens em formas humanas nuas, coreografado por Derek Van Barham.

Veja mais sobre Zine Nascente Poético, Moacir Santos, Roberto DaMatta, José J. Veiga, Joaquim Cardozo, Alexis de Tocqueville, Louis Jouvet, Bahman Ghobadi & Vilma Caccuri aqui.

DESTAQUE:
silêncio corre até onde os sonhos saem de suas cascas douradas. Na linha do horizonte as folhas secas me distraem e se vestem de cores enfeitando o meu vestido de noiva. E a outra metade da tarde se emborca sobre o ventre e anoitece enquanto escolho outro caminho, o vento vai levando um tranquilo olhar a embalar o sorriso do poeta em mil pedaços de estrelas azuis nos meus olhos/céu.
Infinito olhar de poeta, poema/imagens: arte da poeta, artista visual e blogueira Luciah Lopez.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
A arte do pintor Tom Pks Malucelli.
Veja aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Mother Earth, body painting by Time Honored Desins.
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja aqui e aqui.



KRISHNAMURTI, MILLÔR, CELSO FURTADO, JOSEPH CAMPBELL, BARBOSA LIMA SOBRINHO, GILVAN LEMOS, RIO UNA & MARQUINHOS CABRAL

MARQUINHOS CABRAL: DESDE MENINO SOLTO NA BURAQUEIRA – A gente aprontou muitas e tantas no quintal lá de casa e nos cômodos da casa dele ...