domingo, novembro 11, 2012

BATAILLE, GRAMSCI, BAILLIE, LUKÁCS, LÉODILE BÉRA, KOUROUMA, ESFAHANI SMITH & LITERÓTICA


O CATIVEIRO AMOROSO DA TEIMOSIA DELA - Toda sexta-feira, meio dia em ponto, eu armo meu conto e me faço vigário. Eu domino o cenário, quando nua ela aponta e nem se dá conta que sou perdulário. Mas pelo contrário, timidez faz de conta na farsa já pronta zoar de falsário. É que refratário, faço que não quero, enquanto desespero sua languidez. Não vou de uma vez com sede ao seu pote, vou armando meu bote numa chave em nó cego. Onde bato meu prego, balanço o badalo e aprumo meu falo na sua roseta. Ela fica canhestra, de costa emborcada tão fogosa encarnada repetindo o prato. Não vendo barato e remexe a rabeira toda trampolineira, sestrosa cunhã. Quando geme o cardan, se contorce rameira feito puta fuleira, manhosa demais. Eu na tuia, ai ai ai, ela enche a tirrina e vira cabotina amocega corrimão. E nem vacila não ajeitando o garimpo, deixa o prato limpo, lambuzado nos beiços. Eu viril ofereço toda légua tirana e soluça que abana, maior teretetei. É que desenguiçei sua engrenagem azeitada, ainda se estira deitada, pronta pra outro teitei. Eu nem debreiei e finquei de primeira, lavei a derradeira fazendo escarcéu. Já virei um tetéu e salivo a fubamba pr´ela já perna bamba, refugar toda ardida. Mas é outra pedida, o tiro de misericórdia, ela ativa a concórdia a dengar domingueira. Pois toda sexta-feira, ela chega e destampa, quando não chora na rampa, deixa a tanga voar. E para encurtar o rebuliço medonho, o maior tiro-ponho pra ela esgoelar. É que não vou me esquivar de provar gostosura, pois toda formosura ela inteira me dá. © Luiz Alberto Machado. Veja mais aqui, aquiaqui.

 

DITOS & DESDITOS - A crise consiste precisamente no fato de que o velho está morrendo e o novo ainda não pode nascer. Nesse interregno, uma grande variedade de sintomas mórbidos aparecem. O desafio da modernidade é viver sem ilusões, sem se tornar desiludido. A indiferença atua poderosamente na história. Atua passivamente, mas atua. É a fatalidade; e aquilo com que não se pode contar; é aquilo que confunde os programas, que destrói os planos mesmo os mais bem construídos. É preciso atrair violentamente a atenção para o presente do modo como ele é, se se quer transformá-lo. Pessimismo da inteligência, otimismo da vontade. Contra o pessimismo da razão, o otimismo da prática. Pessimismo no prognóstico e otimismo na ação. Meu estado de espírito sintetiza estes dois sentimentos e os supera: sou pessimista com a inteligência, mas otimista com a vontade. Em cada circunstância, penso na hipótese pior, para pôr em movimento todas as reservas de vontade e ser capaz de abater o obstáculo. Somos criadores de nós mesmos, da nossa vida, do nosso destino e nós queremos saber isto hoje, nas condições de hoje, da vida de hoje e não de uma vida qualquer e de um homem qualquer. Quem é incapaz de construir hipóteses jamais será cientista. As ideias são grandes na medida em que são realizáveis. O presente contém todo o passado. Também no afeto é preciso ser inteligente. Pensamento do filósofo e cientista político italiano, Antonio Gramsci (1891-1937). Veja mais aqui e aqui.

 

ALGUÉM FALOU: Não é a felicidade que faz a vida valer a pena, é o sentido que damos a ela... Pensamento da escritora, psicóloga e jornalista estadunidense Emily Esfahani Smith ao tratar sobre O poder do sentido e os 4 pilares essenciais para a vida plena: pertencimento, proposito, narrativa e transcendência. Veja mais aqui.

 

A POESIA DO TEATRO - Há quem no caminho da vida social Aqueça suas peles manchadas ao sol da Fortuna, E pica a alma... Trecho extraído da cena 2, ato 1, da peça teatarl De Montfort (A Series of Plays - 1798), da poeta e dramaturga britânica Joanna Baillie (1762-1851).Veja mais aqui e aqui.

 

O CAVALO ACADÊMICO[...] apesar de o sangue correr no interior do corpo numa quantidade que, de cima para baixo e de baixo para cima, é a mesma, há uma ideia formada quanto ao que se eleva, e a vida humana é erroneamente olhada como uma elevação. Dividirmos o universo em inferno subterrâneo e em céu perfeitamente puro é uma concepção indelével, já que a lama e as trevas são os princípios do mal, como a luz e o espaço celeste são os princípios do bem: com os pés na lama mas a cabeça mais ou menos na luz, os homens imaginam obstinadamente um fluxo que os elevaria sem retorno no espaço puro. De fato, a vida humana comporta a raiva de vermos que se trata de um movimento de vaivém, desde o esterco até ao ideal e desde o ideal até ao esterco, raiva que é fácil fazer incidir num órgão tão baixo como o pé [...]. Trecho extraído da obra A mutilação sacrificial e a orelha cortada de Van Gogh (Hiena, 1994), do escritor francês Georges Bataille (1897-1962). Veja mais aqui e aqui.

 

PENSAMENTO DO HOMEM – [...] O homem torna-se um ser que dá repostas, precisamente na media em que – paralelamente ao desenvolvimento social e em proporção crescente – ele generaliza, transformado em perguntas sem próprios crescimentos e suas possibilidades de satisfazê-los; e, quando, em sua resposta ao carecimento que a provoca, funda e enriquece a própria atividade com tais mediações, frequentemente bem articulada. [...]. Trecho da obra Bases ontológicas do pensamento do homem (Revista Temas de Ciências Humanas, 1978), do filósofo, crítico literário e pensador marxista húngaro Georg Lukács (1885-1971). Veja mais aqui e aqui.

 

DIREITO DA MULHER - [...] O direito, que de agora em diante decorre do indivíduo, confere à mulher, como a todo ser humano, a igualdade. [...] A mulher nunca foi senão mãe e, para isso, deve ser o mais educada, o mais ponderada, o mais inteligente que se possa ser. [...] No direito oriundo do ser humano, ao contrário, não há sujeição que não seja desordem, não há injustiça que não seja crime, não há ponto de compressão que não fira todo o corpo social. A ordem verdadeira está na harmonia produzida pelo livre desenvolvimento de todos. Duvida da liberdade aquele que não vê nem a família regenerada, nem a maternidade enobrecida. [...] Trechos extraídos da obra Le Droit des Femmes (Almanach de la Coopération pour 1869), da escritora, jornalista e feminista francesa Victoire Léodile Béra (1824-1900), sob o pseudônimo de Léo André, adotado em 1866, ao participar de um grupo feminista chamado Société pour la Revendication du Droit des Femmes, que se concentrou em ações para educação das mulheres. Ela lutou com os republicanos franceses durante a Comuna de Paris e na Associação Internacional de Trabalhadores. Seus escritos, especialmente sobre questões sociais e educacionais, expressam ideias que ainda permanecem altamente atuais. Veja mais aqui e aqui.

 

QUANDO NOS RECUSAMOS, DIZEMOS NÃO... – [...] Eu não sou arrumadinho e bonitinho porque sou perseguido pelos gnamas de várias pessoas (Gnama é um palavrão preto negro africano nativo que tem que ser explicado aos franceses brancos. Ele significa, segundo o Inventário das particularidades lexicais do francês da África negra, a sombra que sobra depois da morte de um indivíduo. A sombra que se torna uma força imanente má que segue aquele que matou uma pessoa inocente) [...] E agora estou apresentado em seis pontos, nem um a mais, em carne e osso, e com meu jeito malcriado e insolente e falar na ponta da caneta. (Não é na ponta da caneta que se deve dizer mas sim ainda por cima. É preciso explicar o que significa ainda por cima aos pretos negros africanos nativos que não entendem nada de nada. Segundo o Larousse, ainda por cima significa aquilo que se diz a mais, en rab) [...] Por causa do haxixe, a gente sentia ainda mais fome [...]. A gente tinha começado a comer frutas, depois foi a vez das raízes, depois as folhas. Apesar disso, Yacouba disse que Alá, em sua imensa bondade, nunca deixa vazia uma boca por ele criada [...] Parecia milagre. Alimentar umas cinquenta pessoas naquela Monróvia saqueada, abandonada, durante quatro meses era extraordinário. Parecia milagre. Tudo o que Maria Beatriz tinha conseguido fazer durante os quatro meses daquele cerco era extraordinário. Parecia milagre. Maria Beatriz tinha realizado atos milagrosos. Ela era uma santa, a santa Maria Beatriz. Apesar de todo mundo saber e dizer que Alá nunca deixa vazia uma boca por ele criada, todo mundo se espantou e todo mundo concordou que Maria Beatriz era uma verdadeira santa por ter alimentado tanta gente durante quatro meses. Ora essa, não vamos criar polêmicas, vamos dizer como todo mundo: santa Maria Beatriz. Uma verdadeira santa! Uma santa de touquinha e kalach! Gnamokodé [...] Trechos da obra Quand on refuse on dit non (Seuil, 2004), do escritor marfinense Ahmadou Kourouma (1927-2003). Veja mais aqui e aqui.

 

O PRINCÍPIO - O princípio da poesia / nas dobras de uma palavra / (viés de dulcíssima / rosa) onde pousa / o pólen do nada. / Fuso de prata que a mão, / submergindo, / ilude-se agarrar. / Rosto de relance / perdido (definitivo) na cidade, / na avalanche. / Ácido má viagem. / Vertigem ciclotímica de anular-se. / Olho cego, surdo, mudo / de Dédalo, / enreda pétala a pétala o seu botão de fracasso. Extraído da obra Corola (Ateliê, 2000), da poeta Claudia Roquette-Pinto.

 


PROGRAMA DOMINGO ROMÂNTICO – O programa Domingo Romântico que vai ao ar todos os domingos, a partir das 10hs (horário de Brasilia), é comandado pela poeta e radialista Meimei Corrêa na Rádio Cidade, em Minas Gerais. Confira a programação deste domingo aqui. Na edição deste 11/11 do programa Domingo Romântico, apresentação da radialista e poeta Meimei Correa e produção de Luiz Alberto Machado, conta na sua programação as atrações: Augusto dos Anjos, Eduardo das Neves, Tiradentes, Elis Regina, Bjork, Saulo Laranjeira, Paulinho da Viola, Edmundo Vilani Cortes, Dominguinhos & Chico Buarque, Milton Nascimento, Coral da Unesp, Uakti, Marina Lima, Sueli Costa, João Nogueira & Diogo Nogueira, Elizeth Cardoso, Djavan, Caetano Veloso, Dinho Nascimento, Paulo Profeta, Ademir Bacca, Dani Calabresa, Cantora Sol, Marcus Viana & Marilia Abduani, Kelly Rosa, Dery Nascimento/Efrank e Orkestra Invisivel, Eduardo Santhana, Pedro Moreno & Tatto Fisher, Fabiana Cozza, Caito e Marco Araujo, Ojana Gouveia, João Pinheiro, Ozi dos Palmares, Marquinhos Cabral, Vlado Lima & Lis Rodrigues, Paulinho Cuíca, Fernando Cavalieri, tudo isso muito mais!! Veja mais aqui


E  veja outras edições do programa aqui.




Veja mais sobre:
Ginofagia aqui, aqui e aqui

E mais:
O presente na festa do amor aqui.
Primeiro encontro, a entrega quente no frio da noite aqui.
Primeiro encontro: o vôo da língua no universo do gozo aqui.
Ao redor da pira onde queima o amor aqui.
Por você aqui.
Moto perpétuo aqui.
O uivo da loba aqui.
Ária da danação aqui.
Possessão Insana aqui.
Vade-mécum – enquirídio: um preâmbulo para o amor aqui.
Eu & ela no Jeju Loveland aqui.
O flagelo: Na volta do disse-me-disse, cada um que proteja seus guardados aqui.
Big Shit Bôbras aqui.
A chupóloga papa-jerimum aqui.
Educação Ambiental aqui.
Aprender a aprender aqui.
Crença: pelo direito de viver e deixar viver aqui.
É pra ela: todo dia é dia da mulher aqui.
A professora, Henrik Ibsen, Lenine, Marvin Minsky, Columbina, Jean-Jacques Beineix, Valentina Sauca, Carlos Leão, A sociedade da Mente & A lenda do mel aqui.
Educação no Brasil & Ensino Fundamental aqui.
Bolero, John Updike, Nelson Rodrigues, Trio Images, Frederico Barbosa, Roberto Calasso, Irma Álvarez, Norman Engel & Aecio Kauffmann aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Leitora Tataritaritatá!!
 Veja aqui, aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra: 
 Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.




TAJA KRAMBERGER, LÍDIA JORGE, HILARY PUTNAM & NORDESTE

  Imagem: Acervo ArtLAM . Ao som dos álbuns Source (2014) e Upstream (2019), do grupo Dreisam – “ Triângulo perfeito, nada geométrico, ...