sábado, novembro 17, 2012

ROGER VAILLAND, ROBERT BRINGHURST, MAY ALCOTT, SAROYAN & LITERÓTICA

 

A ARTE DE NANCY BOSSERT

Pensar fora da caixa é meu normal enquanto pinto, desenho e esculpo com uma abordagem de perspectiva diferente, usando materiais de uma maneira única e combinando o inusitado. À medida que me aproximo do assunto abstrato, meu trabalho assume uma qualidade sonhadora de fractal, movimento não objetivo na tela.

A arte de Nancy Bossert. Veja mais abaixo.

 


LITERÓTICA: O PRAZER ENLOUQUECEDOR DELA - Ela enlouquece ao perceber meu vibrante desejo descontrolado para tocar suave seus dedos alisantes por toda extenção, até encher a mão e tomá-lo para inspeção apurada por circundar o ápice enrejecido e louvar desesperada o que almeja na ponta da língua para lamber insana e abocanhar impune tudo o que o membro retesado oferta pro seu repasto. Assim mais delira atiçadora a sorver com gosto o acre sabor da minha clava salivada já a esfregá-la às faces, pele e seios, enquato desliza seus lábios atiçadores pela minha carne inchada, alcançando o meu beijo indômito enquanto se ajeita nua estirada para se apossar exageradamente ofegante da glande e todo tronco com a saudade de sempre. E monta ajeitada para cavalgar oferecida e penetrada para mais enlouquecer dominadora entre minhas buliçosas mãos a percorrerem a magnitude de seu corpo convulso e insaciável de cativa escaldante no calor do fascínio tórrido. Ávida pelo trote segue arrepiada como quem geme lancinante com o vigor delirante das profundas estocadas e arremetidas na profusa escalada do meu sexo a se deliciar trepidante por sua envolvente gruta totalmente explorada pela enfiada justa e certeira repetidas vezes até vê-la gritar nua lavada e impulsiva que é minha e toda minha nas pernas entrelaçadas pela fusão do vertiginoso prazer explodindo a libertação do extremo gozo preso ao orgasmo do seu momento de amor em carne viva. © Luiz Alberto Machado. Direitos reservados. Veja mais aqui e aqui.

 


DITOS & DESDITOS - No momento de sua vida, viva - de modo que naquele bom tempo não haja feiúra ou morte para você ou para qualquer vida que sua vida tocar. Busque a bondade em todos os lugares e, quando ela for encontrada, tire-a de seu esconderijo e deixe-a ser livre e sem vergonha. Coloque na matéria e na carne o menor dos valores, pois essas são coisas que contêm a morte e devem passar. Descubra em todas as coisas o que brilha e está além da corrupção. Incentive a virtude em qualquer coração que possa ter sido levado ao segredo e à tristeza pela vergonha e terror do mundo. A arte não pode mais se dar ao luxo de desprezar a política, e parece que está na hora de a política aprender um pouco com a arte. Estou interessado na loucura. Acredito que seja a coisa mais importante da raça humana e a mais constante. A solidão não vem da guerra. A guerra não o fez. Foi a solidão que fez a guerra. Quando você rir, ria como o inferno. E quando você ficar com raiva, fique bem e com raiva. Tente estar vivo. Você estará morto em breve. Afinal, hoje é para sempre, ontem ainda é hoje e amanhã já é hoje. Pensamento do escritor e dramaturgo armênio William Saroyan (1908-1981). Veja mais aqui.

 

ALGUÉM FALOU: Quando você pensa intensamente e lindamente, algo acontece. Que algo é chamado de poesia. Se você pensar dessa maneira e falar ao mesmo tempo, a poesia fica na boca. Se as pessoas ouviam você, fica em seus ouvidos. Se você pensar dessa maneira e escreve ao mesmo tempo, a poesia é escrita. Mas a poesia existe em qualquer caso. A questão é apenas: você vai participar, e se sim, como? Pensamento do escritor estadunidense Robert Bringhurst.

 

OUTROS DITOS: As mentes humanas estão mais cheias de mistérios do que qualquer livro escrito e mais mutáveis do que as formas das nuvens no ar. Combater os defeitos não é tarefa fácil. É incrível como as coisas comuns se tornam adoráveis, se você souber como olhar para elas. Eu preferiria ganhar café do que elogios neste momento. O amor desarma o receio, e a gratidão pode dominar o orgulho. Ao longe, lá no briho do sol, estão minhas mais sublimes aspirações. Posso não alcançá-las, mas consigo olhar para o alto e ver suas belezas, acreditar nelas, e tentar seguir por onde elas me guiam. O poder de encontrar beleza nas coisas mais simples torna o lar feliz e a vida adorável. Pensamento da escritora britânica Louisa May Alcott (1832-1888). Veja mais aqui e aqui.

 

RETRATO DE LIBERTINO – [...] O libertino reserva a ternura à parceira que após muitas lutas mostrou ser adversário digno dele e a quem pode proclamar sua igual. Conquistou ela a sua estima e o seu respeito, e ele elevou-a à categoria de cúmplice. [...] A ternura que nasce da estima recíproca em que se têm dois libertinos é de uma espécie muito particular. Mais ainda que dos laços da cumplicidade, é feita da mútua piedade de dois seres igualmente conscientes do gratuito, da inutilidade fundamental do jogo a que consagram as suas existências [...]. Trechos extraído da obra Esboço para um Retrato do Verdadeiro Libertino (&etc, 1976), do escritor e dramaturgo francês Roger Vailland (1907-1965), autor também de A Virisova (Europa América, 1987).

 

O ELOGIO A XILO - a xilo / o isso / da xilo / o aquilo / a eira / a beira / da madeira / a xilo / a arte da / xilo / a feira / o cordel / a bandeira / o corte / a parte da / madeira / o ferro / o norte / o recorte / do ferro / na madeira / a xilo / o elo /da xilo / o azul / o vermelho / o ocre / o amarelo / da xilo / a doce / curva do / ferro / a arte chim / da xilo / a vez do / chinês na / xilo / a via do / índio / a voz do / afro / na xilo / o aquilo / o doce / morder do / ferro / na eira / na beira / no belo / da madeira /a xilo / o solo /da xilo / o fácil- / -difícil / da xilo / o demo / pavão / o lampião / a vênus /da xilo / o cristo / da xilo / o isto / a arte / a matéria / a medida / a mestria /a madeira /da xilo / o aço / o osso / o dado / o dedo / o índio / o afro / o chim / o não / o sim / o sem-fim / da xilo /o belo /solo de celo / da xilo / a bela / viola canora /da xilo /a xilo. Poema do poeta e tradutor Haroldo de Campos (1929-2002). Veja mais aqui e aqui.

 

A arte de Nancy Bossert.

 


CRÔNICA DE AMOR POR ELA – Tudo começou em 2002 com o Ela nua é linda. E foi a poetamiga Mariza Lourenço que concretizou a ideia com a criação do blog Crônica de amor por ela. Nesses 10 anos, muita pesquisa a partir de Reay Tannahill a Michel Foucault, passando por Engels, Kierkegaard, Nietzsche, Schopenhauer, Georges Bataille, Heleith Saffioti, Cecilia Toledo, Maria Amélia Teles e Monica Melo, afora uma abordagem feita desde a mulher na civilização celta, fenícia, suméria, até os dias atuais, na tentativa de realizar uma modesta visualização da trajetória da mulher na humanidade.


Resultado disso: poemínimos, poemetos e proserótica reunidas no livro Crônica de amor por ela, edição limitadíssima com capa dura e sob encomenda.


Também canções que viraram o Cantarau de amor por ela, um show realizado em dezembro de 2011, no teatro do Espaço Cultural Linda Mascarenhas, em Maceió.


E muito mais: a campanha Todo dia é dia da mulher. Até chegar no Cordel da Mulher. Por isso digo: o melhor do Dia Internacional do Homem é saber que todo dia é dia da mulher.  Confira os clipes realizados pela arte de Meimei Corrêa para os poemas do livro e canções do show aqui. Veja mais Crônica de amor por ela - Poemas & Canções aqui.



Veja mais sobre: 
Big Shit Bôbras, Machado de Assis, Bocage, Pablo Picasso, Milton Nascimento, Alfredo d'Escragnolle Taunay, Mike Featherstone, Fox Harvard, Julia Broad, Alessandra Maestrini, João Falcão & Maria Martha aqui.
 
E mais:
Henry Miller & 30 anos de arte cidadã aqui.
Quarto poema de amor pra ela aqui.
O Direito aqui.
Emma Bovary & Gustave Flaubert aqui.
A criação do mundo aqui.
Cantiga de amor pra ela aqui.
Crônicas palmarenses: gratidão aos professores aqui.
A pobreza aqui.
Saúde no Brasil aqui.
Dois poemas pra ela nua sexta-feira meio dia em ponto aqui.
Aos professores da gramática portuguesa aqui.
Eu & ela a festa do amor aqui.
A trajetória da mulher aqui.
Padre Bidião e o fim do mundo aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Art by Derinha Rocha
Veja aqui aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra: 
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.



NATALIE GOLDBERG, ANA MARÍA RODAS, HELEIETH SAFFIOTI, HOMENS & CARANGUEJOS

    Imagem: Acervo ArtLAM. Ao som da Fantasia Sul América para violino solo (2022), do compositor Cláudio Santoro; do Canto dos Aroe (20...