terça-feira, março 25, 2008

MILLÔR, LACAN, ESPINOZA, FRANÇOISE DASTUR, VIOLET LANG, SILVIA GALLERANO, PSICOLOGIA & FECAMEPA



A arte da atriz italiana Silvia Gallerano.


FECAMEPA: QUANDO O FURACÃO DÁ NO SUSPIRO DO BANDIDO, DE UMA COISA FIQUE CERTA: A GENTE NÃO VALE NADA!!! Gente, eu vi! Que anguzada carocenta é essa, hem? Parece mais um festival de furacões, tornados, ciclones e tufões na maior tormenta de tsunami, com desalinhamento de todos os planetas para embananar mais nossa mais ocrídia compreensão e deixar a gente com o queixo caído por cima da proeminência sebácea de nossa índole letárgica a perguntar atarantado: e foi, foi? Foi mesmo? Danou-se! Apois, tá! Na terra do mensalão, dos sanguessugas, dos gabirus, anacondas, chacais, taturanas, diluvistas e afins dos 5 deitados, 1 em pé e 4 rodando, uma coisa dessa era só o que faltava para arrebentar de vez a nossa descrença nos homens públicos do Brasil. É nessa hora que o Doro mais ancho de razão, ainda arremeda: - Se apertá mai um tiquim, ôxe, a coisa fica muito mai coisada! Maió afolosamento. É só inventá de levá a coisenta na vera mermo, encarcando no furico do negóço, que a bomba istóra e é munto mai maió de grande! Instou cansado di dizê: isso num é um país, é pandorenta iscuiambação! Tome fé! Até o eremita sorumbático padre Bidião saiu de seu enclausuramento por causa das escrituras do seu santificado evangelho e arrematou: - Se arrochar mais um tantinho de nada, uma volta de cabelinho-de-sapo de nada na chave-de-fenda do toitiço da macacada, caem os poderes, o Estado e toda a parafernália da mentira democrata! Este é o sinal. Está chegando a hora da Povocracia, a genuína anarquia ideal! Quem viver, verá. E recolheu-se às suas elucubrações místicas e aos afazeres do seu evangelho próprio. Foi mal! Só me lembro do santo bode Frederico antes de ser abatido a bala, balindo babujado o Hino Nacional: Bé, bé, bébé, bebé, bebé, bebé, bebé! Realmente, queimou o filme. Na fita, a gente só vê que isso ou é um pega-pra-capar fuderoso ou desfile de achacadores do panteão nacional, hem? Nossa! O fogaréu virou incêndio no meio dum cataclismo sem precedentes na república tupiniquim. E no meio do samba apocalíptico todo, somente uma ala expressiva com 25 investigados apanhados em flagrante delito, entre eles graudões desembargadores, procuradores, juízes, delegados, advogados, bicheiros, bingueiros e sei lá que mais, tudo envolvido na exploração de jogos ilegais, corrupção de agentes públicos, tráfico de influência, receptação e um tanto de impropérios de indignação no meio para salgar mais um pouquinho o salseiro todo. Tudo recolhido na “enxovia” suntuosa da PF em Brasília. Será a boba torreiro? Valha-me minha santa niilista do rebuceteio ineivado! Tem mais! No meio do rolo espetacular, ainda tem coisas que ampliam mais a hecatombe do vitupério: 51 possantes luxentos, bufunfa grossa entocada em paredes falsas, ralo, fundos e outras maracutaias. Com um detalhe: isso com a Polícia Federal em greve por melhores condições e salários. Imagine, se tivesse na medida, hem? Uma coisa fica de certa lição: quando o furacão acerto no olho do suspiro do bandido, a gente fica com a sensação de que não valemos pirocas nenhuma! E vamos aprumar a conversa & tataritaritatá!  © Luiz Alberto Machado. Direitos reservados. Veja mais aqui.  


Leitora curtindo e parabenizando o Tataritaritatá

PENSAMENTO DO DIA –[...] o espírito humano não pode ser inteiramente destruído com o corpo, mas nele subsiste alguma coisa de eterno [...] Pensamento extraído da obra Ética (Gallimard, 1954), o filósofo racionalista holandês Baruch Espinoza (1632-1677). Veja mais aqui.

MORTE, GILGAMESH & ENKIDU - [...] Um dos testemunhos mais antigos que nos foram conservados de nossa própria história, a epopeia mesopotâmica de Gilgamesh, que remonta ao início do segundo milênio antes da nossa era, conta a descoberta feita por Gilgamesh, rei legendário de Uruk e semideuss da condição mortal no momento da morte de seu amigo Enkidu, o qual tinha, ele próprio, o status intermediário de um homem-animal, e narra a perigosa viagem que empreende, então, à procura de um remédio que servisse para evitar a morte. É significativo que a relação com a morte seja descrita, nesse texto que inaugura de alguma fora toda a literatura, como diz respeito à morte do outro, como se a humanodade do homem não pudesse ser constituída senão no quadro de uma comunidade de vida, de um ser-com-os-outros que simboliza aqui a amizade que liga Gilgamesh e Enkidu. [...]. Trecho extraído da obra A morte: ensaio sobre a finitude (Difel,2002), Da filósofa e tradutora francesa Françoise Dastur, tratando sobre a grandeza da morte, o luto e a origem da cultura, a invenção escatológica, tragédia e mortalidade, a metafísica da morte, a substituição hegeliana, a metafísica do devenir, a fenomenolodia do ser-mortal, entre outros.

AS MULHERES - As mulheres são audaciosas na paixão. Elas tomam a iniciativa. A mulher bate à porta de um homem para realizar o que ela quer. O sentimento da mulher, inclusive o sexual, deve ser quinhentas vezes maior do que o do homem. Deve ser de perder a cabeça, de largar tudo. Extraído de Conpozissõis imfãntis, extraído da obra Trinta anos de mim mesmo (Nórdica, 1974), do escritor, dramaturgo, tradutor, desenhista, humorista e jornalista Millôr Fernandes (1923-2012). Veja mais aqui.

A ESPERA E À ESPREITANinguém crê mais nos fados / ninguém escuta a Deusa do Destino / ninguém pede mais alho ou clara de ovo / ou se teme de efígies. / De qualquer modo as coisas continua, / percebendo tudo o que acontece. / Muitas pessoas pensam mal das outras. / Particularmente estas / cobrem-se de horríveis exantemas / ou morrem em convulsões. / Espíritos espalham-se e rastejam / e as pedras vêem para trás. / Árvores, pedras, água e objetos / nos públicos jardins / continuam em segredo conhecendo. / E cada quieta e espessa coisa / mantém a própria vida e seus poderes / e nos espreita ainda. Poema da poeta, dramaturga e atriz estadunidense Violet Lang (1924-1956).


A arte da atriz italiana Silvia Gallerano.

A FAMÍLIA – A obra A família, do psicanalista, médico, neurologista e psiquiatra francês, Jacques Lacan (1901-1981), aborda tema como a instituição familiar, a estrutura cultural da família humana, o complexo como fator concreto da psicologia, o complexo do desmame, o complexo da intrusão, o complexo de Édipo, os complexos familiares em patologia,as psicoses de tema familiar, as nevroses, textos e contextos, entre outros importantes assuntos. Fonte: LACAN, Jacques. A família. Lisboa: Assírio& Alvim, 1978. Veja mais aqui.

PSICOLOGIA EXPERIMENTAL – A obra Psicologia experimental: psicologia para compreender a pesquisa em psicologia, de Barry H. Kantowitz, Henry L Roediger III e David G. Elmes, trata de temas como fundamentos da pesquisa, explicação na psicologia científica, inércia social, fontes de conhecimento, a natureza da explicação científica, a ciência psicológica, técnicas de pesquisa, observação e correlação, observação naturalística, reatividade, pesquisa de levantamento de dados, método relacional, pesquisa de contingencia, pesquisa correlacional, o coeficiente de correlação, experimentação, variáveis, dados, ética na pesquisa em psicologia, relatos de pesquisa, princípios e práticas da psicologia experimental, medindo as sensações, a psicofísica clássica, métodos psicofísicos, percepção, atenção e tempo de reação, lembrança e esquecimento, pensamento e resolução de problemas, diferenças individuais e desenvolvimento, psicologia social, fatores humanos, psicologia experimental, raciocínio estatístico, tabelas estatísticas, valores críticos, curva normal, distribuição para o teste de sinais, números aleatórios, psicologia cognitiva, estatística inferencial, coeficiente de correlação, amostragem, magnitude do efeito, Ebbingaus, Ernst Weber, Gustav Fechner, Wilhelm Wundt, psicologia em ação, fatores humanos e comportamento humano, entre outros importantes assuntos. Fonte: KANTOWITZ, Barry; ROEDIGER III, Henry; ELMES, David. Psicologia experimental: psicologia para compreender a pesquisa em psicologia. São Paulo: Thomson Learning, 2006. Veja mais aqui.

O LABIRINTO HUMANO – O livro O labirinto humano: causas do bloqueio da energia sexual, de Elsworth F. Baker, trata de assuntos como formação do caráter, os fatores de encouraçamento, desenvolvimento emocional, zonas erógenas e estratégias libidinais, estrutura psíquica, genitalidade, tipos de caráter, tipos genitais e fálicos, tipos anais e orais, tipos oculares de caráter, psicopatias somáticas comuns, trabalho caracterologico, terapia orgonômica biopsiquiatrica, prevenção da couraça, cuidados natais e pré-natais, bebês, cuidados infantis, entre outros temas. Fonte: BAKER, Elsworth. labirinto humano: causas do bloqueio da energia sexual. São Paulo: Summus, 1980.

A FILHA DO HERÓI – O livro A filha do herói: mito, história e amor paterno, de Maureen Murdock, trata de temas como filhas prediletas, identidade pessoal sexualidade, o pai como herói e a filha como destino, nutrindo a criatividade ou rompendo com ela, as mulheres e o poder, as mulheres e a espiritualidade, não mais filha predileta, chegando a um acordo, entre outros. Fonte: MURDOCK, Maureen. A filha do herói: mito, história e amor paterno. São Paulo: Summus, 1998.




Veja mais sobre
Manchetes do dia de sempre, Elsworth F. Baker, Guilherme de Almeida, Wesley Ruggles, Peter Fendi, Romero Britto, Mácleim, Samara Felippo & Carole Lombard aqui.

E mais:
A Primavera de Ginsberg, Libelo & Anátema aqui.
Big Shit Bôbras: liderança, a segunda emboança aqui.
Teibei, a batida aqui.
Big Shit Bôbras: carnaval, a terceira emboança aqui.
História do cinema aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Leitora parabenizando o Tataritaritatá.
Veja aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.

CERNUDA, BAUMAN, AHMED SEFRIOUI, SANTANA, ACKERMAN, DAVID GISTA & BIBLIOTECA

OS FANTASMAS DA BIBLIOTECA – Imagem: Him Again , do pintor francês David Gista . - Ao regressar para minha terra, resolvi fazer uma resid...