terça-feira, março 18, 2008

AS TRELAS DO DORO - NO FUZUÊ DA MUNHECA



NO FUZUÊ DA MUNHECA


Doro não toma jeito. Indagora saiu com uma das suas.
Todo serelepe manifestou seu injuriamento com a sogra, fulo com a imprevidência das leis de combate ao porte ilegal de armas.
Peraí, cá prá nós: o que será que tem a ver uma coisa com a outra? Nossa, não entendi exatamente o que ele queria dizer com essa relação entre armas e sogra. Coisas do Doro, mesmo. Melhor deixar barato. Mas o lero foi daqueles bem rebuscado.
Dava para buscar nos corrupios da idéia dele os tempos remotos, desde quando o hominídeo apareceu primeiro com uma maça, aquela peça pesada de madeira, ou com arcada de animal, pronto para lascar o primeiro que desse num confronto.
Depois, veio o bastão. Em seguida, a acha e, daí, machados de pedra lascada, armas líticas e de ferro, arcos, lanças, adagas, aríetes, gruas, catapultas, espadas, punhais, trabucos, arcabuzes, canhões, bombas, granadas, minas e mísseis, tudo para remontar o arsenal de arenga a que o ser humano consegue sempre se fazer maiúsculo num arranca-rabo da peste!
- Isso tudo, mai a minha sogra!! -, vociferou ele sem se conter.
- Não entendi, Doro....
- Ih! Esse é broco mesmo! Espie: lei a gente tem que só a porra mas o povo num dêxa de si istranhar! Certo?
- É, parece que é....
- Tumbém, inquanto houvé puliça e otoridade corrupta, o negóço num vai tê jeito que dê!!!! Falta mermo é vergonha na cara do povo!
Nossa, o Doro estava mesmo fulo da vida.
Tentei contornar, mas, besteira minha, fui atiçar fogo com vara curta e já podia adivinhar que lá vinha toleima danada.
- Pode um negóço desses? -, perguntava com boçalidade enquanto eu não conseguia esconder meu desconforto mediante sua irritadiça gritaria.
- Mas Doro, o Congresso Nacional agora está votando uma lei contra o uso ilegal de armas... -, tentei aprumar a conversa na minha atrevida ingenuidade. Tataritaritatá!
- Tais brincano? E tu acredita nisso, é? Quem qui manda no mundo a não ser dinhêro e arma?
- É...
- A vida num vale nada!!!!
- Eita!
- Num tô dizeno: a vida num vale um tustão furado!!!!
- Mas Doro...
- Num tem mais nem menos Doro, tem é que amolá a munheca no maluvido dos qui num quéri tomá jeito mermo!
- Então você é a favor desses tráficos, todo mundo com revólver no quarto, arrotando homência e valentia, matando tudo uns aos outros, é?
- Num sô a favor de nada. Mas, ói, a quizília é da natureza humana. Todo mundo gosta de um bafafá, dum cerca-Lourenço, dum angu azedo, tudo para não perdê o prazo de validade dos estrupícios nem para deixá a coisa ficá morna sem peitica!
- Quer dizer que, a seu ver, a paz é uma utopia?
- Craro! Todo mundo só veve ofendido um co outro?
- Eu mesmo faço parte do mundo e não vivo de litígios, Doro...
- Há! Então me arresponda: tem nicissidadi de um Zé-borná quaiqué tá brigano pro causa de honra com cabôco qui apareça? Prá que inxeste acordo?
- É, sei não...
- Pru qui é qui todo dia omenta mais os ibope do pograma de sangui?
- Porque....
- Pro que o povo gosta de ver o circo pegando fogo!
- Não entendi...
- O povo gosta de espetáclo, sabia? Por um acauso, pruqui é que se nasci rixa?
- Desentendimentos, muitas vezes, de somenos importância...
- S´a genti fô averiguá o motivo de todo renhimento vai dá no quê?
- Muitas vezes interesses, intrigas, fuxicos, coisas de pouca monta...
- Ranzizice mesmo!!! Por isso, todo nó só aparece quando aiguém qué dá!
- Não sei se isso serve como regra geral....
- Entonse, me diga: s´a lembra daquelas época do povo todo numa arena enquanto os condenados pateta enfretava leões famintos? A mesma coisa! Quanto maió o salseiro mai o povo gosta!!!
- Mas, Doro...
- Arrepare bem, quem é o desinfeliz-das-costas-ocas que se livra na vida de uma paulada boa no toitiço? A gente nasce, apanha prá chorá logo quano rebenta; adispois, a gente cresce e só leva beliscão prá aprendê o que é certo e o que é errado; fica maior, home-feito, se abestalha, casa e se dana tudo! A gente gosta do furunfado numa priquita boa, tem coisa meió no mundo? Mulé é a mió e pió coisa que inxeste!!!! De mió, só a putaria, a sacangem, eita! Bicho bão. Mas, pro otro lado, tem uma tá de sogra qui é a maior praga amulestada de todos o tempo de inxistênça humana, qui só servi para botar gosto ruim no nosso repasto.
- Que é isso, Doro?
- Verdade! Se você tivé uma sogra iguá qui nem a minha, vai sabê que sogra é a pior gangrena da face da terra!
- Não diga isso....
- Verdade! Qué vê só como a minha tioria é verdadeira?
- Não diga isso, rapaz....
- Digo, redigo e num desdigo: a minha sogra é cheia de pantim! É mais cricri qui quinhentas bombas pipocando juntas e ao mesmo tempo! Si num fosse a minha santa paciênça, já tiria mandado ela prá puta-que-a-pariu!!! Si ocê num sabe, ela tem parentesco ou com Sadham ou com Osama, porque vai gostá de ingrezia assim na casa dum cachipó da ponte!
- Num diga isso!
- É verdade! Isso é uma porqueira danada! -, reclamava ele com todos os arrudeios peculiares que costuma dar na idéia dos outros -, pode um negóço desses? Tanta lei na vida, meno uma para engaiolar sogra! Essa mulé é pió que tanque-de-guerra! Pior que tomarróqui!!! É um atraso de vida. Um dia invento uma frómula e ela desaparece de veizi da minha vida!!! Nem qui seja matando-la, disgraçada!
- Mas Doro...
- A minha sogra é um desse tal de porte inlegal de arma e ninguém toma providênça!
- Rapaz...
- Verdade! Inquanto a lei num toma conta de arribá essa mulé da minha vida, vou tratá-la só na lei da munheca. É maió fuzuê, bote trupé nisso! Ói o muque como tá, espie. Tudo prá ela. E tenho dito!
Bem, como dessa conversa não vai sair mais nada que sirva, é melhor deixar o Doro falando sozinho com seus queixumes enquanto a gente vai vivendo a vida.

© Luiz Alberto Machado. Direitos reservados. Veja mais aqui.  



Veja mais sobre:
As trelas do Doro: vai tomar no quiba, porra! Aqui.

E mais:
Domingo de criança etc & tal, Clarice Lispector, Mozart, Olavo Bilac, Anna Obiols, Jomar Magalhães, Claude Miller, Jean-Antoine Watteau, Audrey Tautou & Joe Simon aqui.
Tanatologia aqui.
Democracia aqui.
A cidade de Deus de Agostinho & Psicologia aplicada ao Turismo e Hotelaria aqui.
Tolinho & Bestinha: Quando Boca-de-frô engrossou o caldo para formar a tríade amalucada aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Leitora parabenizando o Tataritaritatá (Arte: [Ísis Nefelibata).
Veja aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.


 

ARIANO, LYA LUFT, WALLON, AS VEIAS DE GALEANO, FECAMEPA, JOÃO DE CASTRO, RIVAIL, POLÍTICAS EM DEBATE & MANOCA LEÃO

A VIDA NA JANELA – Imagem: conversando com alunos do Ginásio Municipal dos Palmares - Ainda ontem flores reluziam no jardim ornando muros...