terça-feira, novembro 13, 2007

GOETHE, MESTRE ECKHART, LÚCIO CARDOSO, SUZANA FLAG, EMBOLADA, VIOLÕES DO BRASIL, GONG LI & MUITO MAIS!!!!


AVISO: A CORAGEM É UMA QUESTÃO DE EMBRIAGUÊS. ISSO PORQUE TODO SÓBRIO SABE QUE QUEM TEM CU, TEM MEDO - Já vi que você é persistente mesmo e se chegou até aqui é porque quer entrar no embalo. Então, vamos aprumar. Pra onde? Sei lá! Pra começo de conversa acho que tudo está equivocado na vida. E acredito, mesmo sem ter fé em nada, que a gente não nasce pra viver. Se assim fosse, seria uma parcialidade que não combinaria com o que podemos chamar de verdade, mas só para o equívoco. Agora, tenho pra mim que a gente rebenta mesmo é pra morrer. O que se comemora na ordem crescente quando das festas de nossos aniversários, é a contagem regressiva. E se brechar direitinho no toitiço da pinoia, você vai ver que quanto mais o tempo passa, mais a gente envelhece e se arruma para se escafeder. Aí sim, a meu ver há razão para comemorar porque, afinal, vamos bater a caçoleta a qualquer tropicada mesmo. Quando der fé já fomos pro saco e tudo que a gente fez na vida vai pro beleleu. Então, em razão disso é que eu acho que a vida não é só comer e cagar, beber e mijar, foder e gozar, comprar e passar troco, se pendurar na cacunda dos outros, futucar as oportunidades, se inficar no furico da ocasião para ser melhor que tudo e todos, pois que como estamos todos equivocados, a vida pode ser outra coisa além do que percebemos na nossa caolhice sectária. Veja só, se a gente parar para pensar a merda rá, num é? É, como dizem: pensou, peidou; falou, cagou. Mas como a cabeça não foi feita só para levar gaia ou pra elas darem circuito quando a gente pega o pé-de-pano no bem-bom do sujeito, aí é bom a gente ocupar os miolos com coisa que não bostência de nada. E mesmo correndo o risco eu coloco a questão daquelas três perguntinhas irrespondíveis que ficam martelando o cocuruto do apaideguado: de onde eu vim? Que é que estou fazendo aqui? Pra onde eu vou? Pois bem, se botar na roda, as respostas serão óbvias: você veio da casa-de-caralho, porra! Hum... Quanto ao que você está fazendo aqui, pode testar, pois, a grande maioria dos marmanjos mangadores vai responder na bucha: você veio pra tomar no cu, seu fresco! Com relação à terceira inquirição, todo maloqueiro vai cuspir na sua cara que você vai findar na casa-da-peste! É ou não é? Apois, será que a vida não teria outro sentido? Vamos aprumar a conversa & tataritaritatá! Veja mais aqui.


Imagem: a arte do pintor e ilustrador britânico Spencer John Derry.


Curtindo O cd/dvd/livro Violões do Brasil (Senac, 2007), organizado pela pesquisadora Myriam Taubkin, apresentando a trajetória do instrumento no país. Veja mais aqui.

EPÍGRAFEPara compreender que o céu é azul em qualquer parte, não é preciso dar a volta ao mundo, frase atribuída ao poeta, filósofo e cientista alemão Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832). Veja mais aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.

A SABEDORIA E A MAESTRIA – Entre as obras do teólogo, filósofo neoplatônico e místico Mestre Eckhart (1260-1320), um dos grandes símbolos da intelectualidade da Idade Média e fecundo pensador da filosofia medieval, destaco o trecho do seu pensamento: Em verdade, um homem que se tenha despojado inteiramente do que é seu estará de tal modo envolvido por Deus, que nenhuma criatura o conseguirá tocar, sem tocar primeiro em Deus; e aquilo que deverá chegar até ele, deverá primeiro passar por Deus; aí receberá primeiro o seu sabor e tornar-se-á divino. Veja mais aqui.

MALEITA – No livro Maleita (1934 - Civilização Brasileira, 2005), do escritor, jornalista, dramaturgo e pintor Lúcio Cardoso (1912-1968), conta a história de um viajante às margens do rio São Francisco, que funda uma pequena cidade que atrai imigrantes de várias partes e, com eles, a tragédia: a maleita que pode destruir o povoado. Da obra destaco o trecho: Com a doença, os urubus aumentavam. As rodas, no alto, cresciam, silenciosos e inumeráveis. Sobre o rio, as garças fugiam agora. [...] Agua estagnada em latas e bacias abandonas nas vielas. O calor ardendo sobre aquilo tudo, uma preguiça doentia correndo no sangue dos homens, a aldeola, para trás, aborrecida no desespero e inutilidade [...]. Veja mais aqui.

EMBOLADA – No livro Cantadores: poesia e linguagem do sertão cearense (Cátedra, 1978), do escritor, professor, advogado, jornalista e historiador Leonardo Mota (1891-1948), encontro um trecho de uma embolada recolhida pelo autor: Sou cobra de veado, / esturro de leão, / fiz pauta do cão, / mato envenenado, / sou desembraçado, / eu estruo gente, / sou que nem serpente, / rife carregado... / cantado lesado / mato de repente. Veja mais aqui e aqui.

MEU DESTINO É PECAR – Em 2002, tive oportunidade de assistir no Teatro Planetário da Gávea, no Rio de Janeiro, à montagem da peça teatral Meu destino é pecar, de Suzana Flag, pseudônimo de Nelson Rodrigues, com direção de Gilberto Grawronski, contando a história do viúvo Paulo que sem conseguir esquecer Guida, a mulher morta, se casa com uma jovem, Leninha, que não o ama, mas aceita o matrimonio para evitar que o pai alcóolatra vá para a cadeia. Na fazendo onde passará a morar, ela sofre o assédio do cunhado Maurício. O destaque é para atuação das atrizes Bel Garcia, Susana Ribeiro e Malu Galli. Veja mais aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.

TEMPTRESS MOON – O filme Temptress Moon (Tentação da Lua, 1996), dirigido por Chen Kaige, conta a história ocorrida em 1912, na queda da dinastia Qing com a abdicação do imperador, provocando o declínio de famílias e a história de crianças que crescem, vão e retornam para Xangai, com a inversão de papéis numa trama para lá de interessante. O destaque do filme vai para atua da atriz chinesa Gong Li. Veja mais aqui.

IMAGEM DO DIA
Todo dia é dia da atriz chinesa Gong Li.
 

VEJA MAIS:

Gruta do Céu, Platão, Manuel Vásquez Montalbán, Brad Fraser, Amos Gitai, Roberta Sá, Bruno Steinbach, Sexualidade Humana, Yael Abecassis & Benvinda Palma aqui

Fecamepa, Franz Joseph Haydn, César Vallejo, Augusto Boal, Teresa Berganza, Sabina Spielrein, Rosa Bonheur, William-Adolphe Bouguereau & Keira Knightley aqui.  


Paul Celan, Elizabeth Savalla, A mulher da sombrinha, Cláudio Santoro, A mulher do pai, Carmine Gallone, Pierre-Paul Prud'hon, Suzy Smith, A lenda de Alamoa, Maria Félix & Carmen Silvia Presotto aqui.  
CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Leitora parabenizando o Tataritaritatá!
Veja aqui e aqui.


RILKE, HUYSSEN, MARIA IGNEZ MARIZ, ANTÔNIO PEREIRA, LUCIAH LOPEZ & ARTE NA PRAÇA

PRIMEIRO ENCONTRO: MEU OLHAR, SEU SORRISO – Imagem: arte da poeta, artista visual & blogueira Luciah Lopez . - Da tarde a vida fez-se ...