sexta-feira, janeiro 06, 2017

O BEIJO DELA DE SOL NA MINHA VIDA DE LUA


O BEIJO DELA DE SOL NA MINHA VIDA DE LUA – Imagem: arte da poeta, artista visual e blogueira Luciah Lopez. - Ela me deu seu beijo e se fez poema rubro com a sua reluzência caingang, a me ensinar da vida o que jamais poderia alcançar, a saber-me sozinho na minha inquietação mundo afora sem ter paradeiro. Ela me beijou com seus lábios Iaravi da manhã ensolarada, e me beijou com seus lábios de Freya da noite estrelada, ósculos querentes e requerentes de Freyaravi, carregados de paixão eterna a me eternizar no que é de seu para ser meu e sendo minha mais que a posse de tudo. Ela me beijou como quem soubesse das minhas misérias mais agudas e seus lábios bons de beijar e de lamber com minha língua profana de cupidez, para recolher o mel de sua boca com todos os eflúvios de céu e de mar, de flores e rosas, de frutos e de pomares. Era o beijo da mulher amada enquanto eu adormecia cansado de guerra para dançar nua insone sobre minha vida rendida, a recolher dos meus cheiros e odores para incensar com o seu perfume para que não mais houvesse escuridão na minha noite interminável. E me beijou a carne ardente e a alma em pânico, eclipsando-se no que sou e a se fazer em mim Senhora do Destino com seu ritual druídico majestoso e druidesa servil a me entronizar. Ela me deu seu beijo de Sol que se fez poema na minha vida de Lua. © Luiz Alberto Machado. Veja mais aqui.

Curtindo o álbum Silencia (Circus, 2014), da cantora, produtora, arranjadora e compositora Ceumar.

Veja mais sobre:
Ardência na Crônica de amor por ela, Pitágoras, Jacques Lacan, Max Bruch, Mariano Latorre, Jules Laforgue, Philip Kaufman, Chloe Hanslip, Ashley Judd, Nina Kozoriz, Gustave Doré, Teatro Elisabetano & Rachel Levkovits aqui.

E mais:
Nise da Silveira & Todo dia é dia da mulher aqui.
Alexander Scriabin, Cássia Kiss, Gustave Doré, Denise Georg, Mr. Bean, Márcia Poesia de Sá, Gabi Alves & Zé Edu Camargo aqui.
Primeiro encontro: o voo da língua no universo do gozo aqui.
A poesia de Bráulio Tavares aqui.
Jung & a alma, Educação, Psicologia & Sociologia, Crimes Ambientais, Oração do Justo Juiz, Serpente de Asas & Literatura Pernambucana aqui.
O pensamento de Antonio Gramsci aqui.
Fecamepa, Psicologia Escolar, Sonhoterapia, Direito & Família Mutante aqui.
O monge e o executivo de James C. Hunter, Neuropsicologia, Ressocialização Penal & Educação aqui.
Sexualidade na terceira idade aqui.
Homossexualidade & Educação Sexual aqui.
O beijo que se faz poema aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
A croniqueta de antemão aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

DESTAQUE: SONETO DE AMOR, DE JOSÉ RÉGIO
Não me peças palavras, nem baladas,
Nem expressões, nem alma... abre-me o seio,
Deixa cair as pálpebras pesadas,
E entre os seios me apertes sem receio.
Na tua boca a minha, ao meio,
Nossas línguas se busquem, desvairadas...
E que os meus flancos nus vibrem no enleio
Das tuas pernas ágeis e delgadas.
E em duas bocas uma língua... – unidos,
Nós trocaremos beijos e gemidos,
Sentindo o nosso sangue misturar-se.
Depois.... – abre os teus olhos, minha amada!
Enterra-os bem nos meus; não digas nada...
Deixa a Vida exprimir-se sem disfarce.
Soneto de Amor, extraído da Antologia (Nova Fronteira, 1985), que reúne a poesia do escritor, dramaturgo, ensaísta e critico português José Régio (1901-1969). Veja mais aqui e aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Ah, eu beijei voce enquanto seus olhos estavam adormecidos... Senti o cheiro da sua pele e a vida dançava lá fora. Ah, eu beijei você entre a noite e a escuridão. Senti o cheiro do seu amor quando Nix sutilmente abriu o dia, retirando o manto da noite. Amanheceu - eu beijei você.
Beijo, poema/fotos da poeta, artista visual e blogueira Luciah Lopez.
Veja aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra:
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.


ANNIE BESANT, RAMOS ROSA, ARTHUR MILLER, TORERO, LORI KIPLINGER PANDY & VLAHO BUKOVAC

IARAVI & A LUA – No dia que a apaixonada cunhã Iaravi perdeu o caminho de volta pra sua casa caingang e se desencontrou do seu amado F...