sexta-feira, junho 24, 2016

ENTRE NÓS, VIVO VOCÊ

ENTRE NÓS, VIVO VOCÊ - Imagem: Mulher Tomate, arte da escritora, artista visual e blogueira Luciah Lopez. - A sua presença, Freyaravi, me chega como a festa do dia por todas as manhãs de ontem e de sempre, e o seu vulto é maior que a graça de todos os benfazejos milagres da vida e do amor. E o seu riso de pavios acesos realçam seus olhos de filha do fogo que me incendeiam cheios de esperança das semeaduras e colheitas mais promissoras, a me presentearem as paisagens de todas as maravilhas da Terra por todos os confins do mundo. E é mais que bem-vinda achegada de perto e aliso as suas faces benignas das maçãs saborosas matando a fome de mortes infindas a me dá boca cheia a maior gostosura ao paladar que desconhece do azedo ou insosso de todas as doçuras ocultas na Natureza. E roço a pele dela amanhecida de acetinado verão no meio da invernada de todos os sapos e rãs namorando nas lagoas dos espelhos do céu, a nos fazer mais que canoros tangarás nos galhos das mais envolventes paixões. E os meus beiços carentes de tudo se lançam nos seus lábios gostosos de drupa boa de chupar, madura no pé e dá na canela do tronco que sou dos ventos tempestuosos de todas as gritarias das dores e festas que eclodem imprevisíveis nas curvas do tempo. E sou OVNI de todas as viagens siderais no céu da sua boca mais que prazenteira e deliciosa, onde a alma de Deus me faz maior que a imensidão e a não saber mais de mim depois de maior que todo o tamanho. E sou refém de sua língua abrasadora que serpenteia a minha carne esquartejada pro sobejo da sua degustação aguda a me dar o paraiso de janelas abertas e portas escancaradas. E vou pelas ondas do seu cabelo caingang de rio revolto na correnteza que dá pro mar a escorrer por sua assimetria índia mais que as quedas de todas as ribanceiras na maior das ofertas de fauna e flora. E faço arrimo ao seu ombro que carregam passados e antepassados, pra deitar minha cabeça repleta de todas as cenas de céu e inferno, e a me abrigar no seu corpo desnudo de deusa noturna com toda magia fantástica do prazer e satisfação, e a me dar dos seus seios maternos a sustância vital de todos os poderes extraídos da imantação subterrânea do seu ventre a eclodir erupções estonteantes na confusão de braços, pernas e mãos, e não haja senão nem poréns, desvãos ou teréns, dos quadris ao passo, na ponta do dedo o compasso e tudo por segundos, minutos, horas e dias até semanas de meses, anos, séculos, milênios além, a se fazer minha nave para que eu possa percorrer todas as distâncias além dos limites do horizonte, com meu sexo engatado ao seu em plena comunhão e não há nada que não seja sobrepujado além das labaredas da nossa combustão. Entre nós, vivo você. © Luiz Alberto Machado. Direitos reservados. Veja mais aqui e aqui.


Imagem: arte do pintor, escultor e gravurista judeu brasileiro nascido na Lituânia, Lasar Segall (1891-1957). Veja mais aqui, aqui e aqui.

Curtindo o álbum Terra Esperança (Kuarup, 2007), do multi-instrumentista, maestro, arranjador, compositor e orquestrador Sivuca – Severino Dias de Oliveira (1930-2006). Veja mais aqui e aqui.

PESQUISA
 O livro Cartilha do cantador (Ed. Autor, 1985) do pesquisador, professor, poeta e folclorista Aleixo Leite Filho (1930-2013), que trata desde a poesia popular, as regras de improviso, o mourão, a décima, o quadrão, galope à beira-mar e outras modalidades de cantoria com diversas quantidades de sílabas, anexando um pequeno vocabulário do cantador. Veja mais aqui e aqui.

LEITURA 
Livro com a peça teatral Cancão de Fogo (EdUFPE, 1977), do premiado poeta, dramaturgo e publicitário Jairo Lima, que edita o sítio Infâmia – o site que bota fé mas não cobra dízimo! e o blog Papo Furado. Veja mais aqui.

PENSAMENTO DO DIA:
Imagem: Beijos entre cactos, xilogravura de J. Borges.
Quem beija moça solteira,
Deve estar apaixonado;
Talvez nem seja pecado
Um beijo na sexta-feira!
Um beijo, por brincadeira,
É coisa muito comum;
A gente só dando um,
Antes do almoço ou da janta:
Mesmo na semana santa
Fará quebrar o jejum?
Trecho de poema popular do poeta, violeiro e repentista Belarmino França (1894-1982)– Um trovador do sertão. Veja mais aqui.

IMAGEM DO DIA 
Antologia Poética Casa da Poesia – Volume 1 (Scortecci, 2016), comemorando os sete anos da Casa da Poesia, reunindo diversos poetas, entre eles a escritora, artista visual e blogueira Luciah Lopez. Veja mais aqui.

Veja mais sobre Viva São João, Brincarte do Nitolino, Luiz Gonzaga, Ascenso Ferreira, Artur Azevedo, José Condé, Ângelo Monteiro, Dira Paz, Rosangela Borges, Valquíria Barros & José Barbosa aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Imagem: arte da escritora, artista visual e blogueira Luciah Lopez.
Veja aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Forró, xilogravura de José Costa Leite.
Recital Musical Tataritaritatá.
Veja aqui.