quarta-feira, setembro 06, 2017

ATTAR, RAMEAU, DI CAVALCANTI, ASTANOVA, VIÁFORA, BUHR, JOSÉ TERRA CORREIA, ESCRITA, TEATRO & MÚSICA NA ESCOLA & ARTE POPULAR

DE AMOR, SEXO & VIDA – Imagem: Sonhos de carnaval, do pintor e caricaturista brasileiro Di Cavalcanti (1897-1976). - Um a um, nem aí, cada qual para si e mais, muito mais, até ali e olhares se fitam por flertes correspondidos, rubores queimam de lá pra cá e vice-versa, imantação de corpos no pulsante coração, passo a passo, timidez no receio do gesto, o toque e a dança no outro se realiza: os membros se dilatam, fervores ubíquos, entregas mútuas, tudo vibra e levita aos esfregões de pele aos quadris a rondar por valsas e insinuações nas pegadas, nas estreitezas das puxadas, face a face, uma só respiração, pele na pele pelas insinuações dos contornos, descobertas e êxtases, pés nos pés, pernas que se enroscam, coxas que se insinuam entre si, ventres em ebulição pelas mãos buscantes, braços se envolvem, afagos e afetos, beijos e entregas na nudez: a flor brota, o Sol sorri, a chuva nos campos, os rios além das margens, o mar revolto, relâmpagos e trovões, estrelas candentes, carnes trêmulas no estertor do prazer, e se desata pra amarrar, e ejeta para mais dentro, e transpira para orvalhar o gozo, a Terra gira, o universo se agita, o ser nasce, a vida se realiza. © Luiz Alberto Machado. Direitos reservados. Veja mais aqui.

RÁDIO TATARITARITATÁ: 24 HORAS NO AR!!!
Hoje na Rádio Tataritaritatá: Les indes galantes, do compositor francês Jean-Pierre Rameau (1683-1764); Rapsody in blue de Gershwinm, The Chopin Project & Prelude in B minor de Rachmaninoff com a pianista russa Lola Astanova; Amores absurdos e show do cantor, compositor e arranjador Celso Viáfora; e Selvática, Longe de onde & Eu menti pra você da cantora, compositora, percussionista, poeta e atriz Karina Buhr. Para conferir é só ligar o som e curtir.

PENSAMENTO DO DIA - Enquanto caminhavam, falavam; mas quando chegaram ao destino, toda fala cessou. Não mais havia guia, nem viajante; e até mesmo a estrada cessara de existir. Pensamento do poeta místico persa Farīd al-Dīn'Aṭṭār (1145-1221), autor da obra A linguagem dos pássaros (Attar, 1991), da qual extraí o seguinte trecho: [...] O amante lança ao fogo a esperança de qualquer colheita, põe a lâmina em seu próprio pescoço e corta-o se for preciso. Ao amor é necessário a dor e o sangue do coração; o amor ama coisas difíceis. [...].

A ARTE & O POPULAR NO SUBDESENVOLVIMENTO - [...] Somos um país com os momentos das diversas idades, do índio, das selvas, com vestígios do machado de pedra, aos grupos messiânicos da Idade Média – que pouco adiantaram ao período do fraque e eroisée – aos universalistas do mosaico de comunicações eletrônicas. [...] Por outro lado, existe uma interrogação sobre o futuro dessas populações folclóricas jungidas a um estado de primitivismo muito chocante, se comparado com a o desenvolvimento alcançado nos grupos urbanos adiantados. [...]. Trecho extraído da obra Arte, folclore e subdesenvolvimento (Paralelo, 1971), de Souza Barros, tratando sobre folk e arte, condições predominantes do popular, farmacopéia popular e miséria, tabu e magia, alienação, artesanato, produção, consumo e cultura de massa.

MANUAL DO ARTISTA - [...] o artista reúne seus materiais e métodos com a finalidade de adquirir controle possível em suas manipulações, para que assim obtenha as melhoras características da técnica que escolha, expresse e transmita apropriadamente suas intenções e garanta a permanência de seus resultados [...]. Trecho da obra Manual do artista (Martins Fontes, 1999), do artista plástico e engenheiro estadunidense Ralph Mayer (1895-1979), tratando sobre técnicas e métodos, pigmentos, pintura a óleo, acrílica, pintura a têmpera, encáustica, mural, solventes, guache, aquarela, pastel, solventes e diluentes, química, entre outras.

NOSSAS ESCOLAS NÃO CANTAM MAIS - [...] Vendo na música uma linguagem, acreditando na sua importância no desenvolvimento harmonioso do ser humano, em razão do seu potencial na conscientização da interdependência entre corpo e mente, razão e sensibilidade, ciência e estética, e no processo de socialização do aluno, ela busca entender as razão desse silenciamento. Busca, ainda, caminhos que apontem o tipo de educação musical a ser oferecida numa sociedade como a nossa, marcada pelo avanço tecnológico e pela exclusão social, uma sociedade que se caracteriza, segundo Koellreuter, “pela cultura de massa, constituída por uma pluralidade de indivíduos cuja consciência do eu e cujo senso de responsabilidade individual vêm sendo reduzidos ao mínimo”. [...]. Trecho do prefácio escrito por Ana Maria Casasanta Peixoto, na obra O ensino da música na escola fundamental (Papirus, 2010), de Alícia Mara Almeida Loureiro.

O ATOR E O AMANHÃ - [...] a organização teatral de amanhã é imprevisivel. A multiplicação das redes hertzianas, os circuitos de televisão, os vídeos-cassetes difundindo em escala nacional a única manifestação regional, reduzirão em muito as series de representações que conhecemos. Opondo-se a esse crescimento do mass media, perfila-se uma volta à comunhão por pequenos grupos, a celebração de um rito em que celebrantes e fieis respirem juntos, mobilizem suas forças fisiológicas e psíquicas, querem sair de si mesmos, começar-se uma troca fraterna. O ator continua sendo aquele que propõe essa troca, que dá ao outro, que recebe e se oferece de novo, qualquer que seja a mensagem [...]. Trecho da obra O ator no século XX (Perspectiva, 2008), da artista vanguardista francesa de música, teatro e dança, Odete Aslan, tratando sobre as formas de interpretação, o gestual, personagens, laboratórios e comunidades teatrais, tendências atuais, ética pessoal e de grupo, o ator de amanhã, entre outros.

A ESCRITA E O ESCREVER - [...] Primeiro, escrever bem requer mais do que a produção de sentenças corretas, também envolve a comunicação bem-sucedida de mensagens significantes para outros. Segundo, a escrita é um processo que leva tempo e incorpora muitas diferentes atividades. Terceiro, o ensino da escrita que ajuda alunos a alcançarem o sucesso acadêmico, precisa atender a todos os tipos de escrita que são necessários não somente para o estudo da linguagem ou da literatura, mas também para as disciplinas de história, ciência, filosofia e política. Quarto, os alunos, ao terminarem seus estudos, precisam estar aptos a produzir muitas diferentes formas de escrita [...]. Para isso é necessário considerarmos a organização social discursiva pela qual nosso conhecimento e produzido e realizado dentro dos vários dominios da vida. Trechos extraídos da obra Gêneros textuais, tipificação e interação (Cortez, 2005), do educador estadunidense Charles Bazerman, organizado por Angela Paiva Dionisio e Judith Chambliss Hoffnagel, tratando sobre atos da fala, formas sociais com habitats para ação, enunciados singulares, gêneros diferenciados, identidade, internet e capitalismo global, entre outros assuntos.

 Mulatos de São Cristobao, do pintor e caricaturista brasileiro Di Cavalcanti (1897-1976). Veja mais aqui e aqui.

Veja mais:
De amor, sexo e vida aqui, aqui, aqui & aqui.
A música de Jean-Pierre Rameau aqui.
A arte da pianista Lola Astanova aqui.
A arte de Karina Buhr aqui.
Faça seu TCC sem Traumas: livro, curso & consultas aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

TODO MISTICISMO
Tua alma carrega o Rio Una
E teu corpo o Atlântico em chamas
Em teu fogo sagrado
Sou apenas o poema do regresso
Teu coração bendiz
A volúpia dos meus escritos
Apaixonada, alimentas meu espírito com tua mensagem
E a elegância do meu manto azul
Decifra tuas lágrimas de Mulher da Solidão
Poema extraído da obra Música de rua (Panamérica Nordestal, 2014), do poeta José Terra Correia. Veja mais dele aqui, aqui e aqui.

ZÉ LINALDO & MARQUINHOS CABRAL
Nesta quarta, O Nordestão apresenta Zé Linaldo Acústico com participação de Marquinhos Cabral. Imperdível.

 

EMMA LAZARUS, NADINE GORDIMER, LAGERLÖF, YOURCENAR & JOAN RODRIGUEZ

    Ao som de Pavane por une infante défunte (1899), de Maurice Ravel , com a Orchestre National de France, sob a regência da maestrina fin...