sábado, abril 22, 2017

O BRASIL & OUTROS BRASIS, SICKO DE MOORE, SOS SAÚDE & BEATRICE TOSI.

O BRASIL & OUTROS BRASIS -Tem Brasil pra todo gosto, quem manda é o freguês. Todo mundo está careca de saber que tem o Brasil pra FIFA, pra Fórmula 1, pras Olimpíadas, tem até o mundo todo dentro do Brasil. Duvida? Tem o das tantas e muitas crenças e cultos, dos tantos e muitos carnavais, de todas as ideologias, das loterias & apostas, das festas de dia santo e feriados, das ondas de todas as modas, das gafes e chistes, da hipocrisia e falso moralismo, do que se diz que é e não é, do que não se diz e é, da propaganda enganosa, do BBB, dos telejornais – que apesar da espetacularização e da instantaneidade, mostra só uma banda das bandas: os interesses dominantes; tem o da roubalheira e das belezas naturais poluídas; o dos políticos que abusam do óleo de peroba, o das florestas que quase nem existem mais; o dos novos ricos e falidos metidos a besta; o das epidemias de todos os tipos de epidemias que logo viram calamidade pública e até as que foram erradicadas ou as que nunca existiram e aparecem assim do nada de repente quando menos se esperava; tem o dos helicópteros e dos recordes negativos, o dos remédios e placebos de ocasião, o da soja, o da cana, o do ouro que ninguém sabe de onde vem, o do tráfico de tudo, o da formação de todas as quadrilhas, o dos fazendeiros e latifundiários de todas as monoculturas, o dos bacanas, o dos salafrários, o dos sacanas e o dos usurários, e tantos muitos outros que se misturam e se renovam na mais inovadora diversidade. Tem Brasil de todo tipo: o do primeiro mundo que é só de fachada, o do segundo mundo pras arrumações dos seletos e servir ao primeiro, e o terceiro que é a tragédia de tudo e ninguém faz nada porque não se vê no meio da desgraça, mas que serve ao primeiro e ao segundo, sim senhor, tudo certo, muito bem. Tanto é que em uma pesquisa os brasileiros foram indagados: - Você é feliz? Sou, dentro da minha realidade, sou (e essa a resposta da esmagadora maioria consultada de norte a sul, leste a oeste do país). E o brasileiro é feliz? Nunca, nunquinha (resposta de 100% dos entrevistados). E você nasceu e vive aonde mesmo? Nasci e vivo no Brasil (idem anterior). E é? Eu, hem!?! Que coisa! Pois é. O Brasil de verdade, esse é pouco, senão minimamente mostrado, afora o que não é nem cogitado quanto menos visto – mesmo que se veja ou esteja a um palmo do nariz é ignorado. Tem até o Brasil dos invisíveis, esse o maior de todos: ninguém vê, não sai na telinha, é reprimido e expulso pras escondidas periferias e pendurados na beira de qualquer morro em qualquer cidade desse Brasilzão afora, sem contar com a que ninguém vai ou nem quer saber. Se tantos ou muitos, ainda é pouco. Na verdade, por trás de cada um há outros Brasis. © Luiz Alberto Machado. Veja mais aqui.

O BRASIL & OUTROS TANTOS BRASIS
O Brasil é o país da violência institucional. As primeiras e principais vítimas: todo cidadão e cidadã deste país que, inevitavelmente, precisam dos serviços públicos. Os servidores são conscientemente algozes dos primeiros e, inconscientemente, as segundas vítimas de um sistema perverso que permeia a engrenagem de toda disfuncional burocracia brasileira que só serve pra uns poucos milhares de gatos pingados lavarem a jega. (LAM)

Veja mais sobre:
O Brasil na festa do Fecamepa, a música de Marlos Nobre, a literatura de Anna Bolecka, a arte de Adriana Varejão & Sophia Monte Alegre aqui.

E mais:
Numa roda de choro, Chorinho brejeiro de Dalton Trevisan, Almanaque do choro de André Diniz da Silva, a música d’O Charme do Choro, a pintura de Marina Bonifatti & Sérgio Marques da Silva Júnior aqui.
O jacaré & a princesa, Catxerê, a mulher estrela, a Metafísica de Immanuel Kant, Lolita de Vladimir Nabokov, a música de Bach & Yehudi Menuhin, o teatro de Thomas Stearns Eliot, o cinema de Éric Rohmer, a arte de Mae West. a pintura de Paul Sieffert, Domingo com Poesia & Natanael Lima Júnior aqui.
Aurora nascente de Jacob Boehme, a Teoria Quântica de Max Planck, o teatro de William Shakespeare, a música de Pixinguinha, o cinema de Michael Moore, a pintura de Marcel René Herrfeldt, a arte de Brigitte Bardot & a Biopoesia de Silvia Mota aqui.
Educação & direito ambiental porque todo dia é dia da terra aqui.
Eu & ela naquela noite todas as noites aqui.
O evangelho de José Saramago aqui.
Günther Jakobs & o direito penal do inimigo e do cidadão aqui.
Educação Infantil, a psicologia de Abraham Maslow, a música de Sergei Rachmaninoff, a poesia de Nauro Machado, a pintura de Edgar Leeteg, A pesca das mulheres, a arte de Luz del Fuego & Lucélia Santos aqui.
O teatro de William Shakespeare, a literatura de Émile Zola & Hans Christian Andersen, Casanova de Fellini, a música de Emmylou Harris, a escultura de Harriet Hosmer, a Rainha Zenóbia, a pintura de Max Ernst & Contos de Magreb aqui.
Até onde o amor levar, Sidarta Gautama, o teatro de Constantin Stanislavski, a música de Maria Rita, a escultura de Carlos Baez Barrueto, a pintura de Clare Rose, Luciah Lopez & a poesia de Ieda Estergilda de Abreu aqui.
Da vida, meio a meio, O suicídio de Karl Marx, a poesia de Mário Quintana, a música de Girolamo Frescobaldi & Jody Pou, A estrutura do todo de Andras Angyal, a fotografia de Mário Cravo Neto, a pintura de Mario Zanini & Arna Baartz aqui.
O poema nasce na solidão, a poesia de Adélia Prado, a psicanálise de Carl Gustav Jung, a psicologia educacional de David Ausubel, a arte de Salvador Dali & Cristiana Reali, a música de Cynthia Makris, a pintura de Catherine Abel & Luciah Lopez aqui.
Andejo da noite e do dia, O caminho interior de Graf Dürckheim, A cultura da educação de Jerome Bruner, a poesia de Giuseppe Ungaretti, a música Ricardo Tacuchian, a fotografia de Ana Carolina Fernandes, a coreografia de Célia Gouvêa, a pintura de Tess Gubrin & Kerry Lee aqui.
Nunca fui e quando inventei de ir não era pra ter ido, A pedagogia do sonho de Paulo Freire, O narratário de Vitor Manuel de Aguiar e Silva, a literatura de Tessa Bridal, a música de Quinteto Violado & Dominguinhos, a escultura de Pedro Figueiredo, a arte de Marcela Tiboni & a pintura de Victoria Selbach aqui.
História da mulher: da antiguidade ao século XXI aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
A croniqueta de antemão aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

SICKO: A SAÚDE DE LÁ – E A DE CÁ, COMO SERÁ?
Sicko (S.O.S. Saúde, 2007), drama independente do cineasta Michael Moore que trata do sistema de saúde dos Estados Unidos, analisando as crises e observando porque milhões continuam se seguro saúde adequado para tratamentos. PS: Se lá que é lá é assim, como será aqui no Brasil? Veja mais aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra: arte da artista italiana Beatrice Tosi.
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja os vídeos aqui & mais aqui e aqui.
 

JAMES JOYCE, DELEUZE, JOAQUIM CARDOZO, AGAMBEN, RODOLFO AMOEDO, ARRIGO BARNABÉ & VÂNIA BASTOS, LUCIAH LOPEZ, NA ERA DO RADIO & BEZERROS

COMEÇAR, RECOMEÇAR & DOIS MILHÕES DE BEIJABRAÇÕES - Imagem: foto de Alexandre Buisse – A vida pra ser vivida é feita de ação, movimen...