domingo, junho 10, 2012

JAMES MERRILL, ERNST FISCHER, MAMIE VAN DOREN, LISÍSTRATA & LITERÓTICA


Porque o amor é mútua condecoração (O amor, música & Letra de Luiz Alberto Machado)

A ENTREGA TOTAL DOS NAMORADOS - Ao seu encontro, o dia era tarde, pleno meio dia. Foi quando a minha nudez reluziu, todos os meus segredos – ou quase todos – haviam se revelados. Não menti, não poupei um só mínimo detalhe de tudo que transitava na minha vida. Desde os moinhos de ventos da minha inútil e quixotesca existência, dos muros e paredes levadas no peito, dos naufrágios e perfídias, da solidão e decepções, das guerras perdidas, das idas arrastando as malas, dos enterros voltando, das topadas e tranqueiras, das doidices e frustrações, dos arames farpados entre os dentes e a lágrima tolhida no peito. Nada ficou incólume de mim na vida, tudo em pratos limpos. Tudo isso porque amei desde o primeiro segundo aquela menina azul silente, tímida e inteiramente minha com seus olhos de Aleph e sua alma de rio cristalino para o meu deleite. Não precisei de bote ou remo, mergulhei suas correntezas, nadei sua superfície, boiei as profundezas de suas margens até chegar na terceira via onde o limite era o meu fôlego. Ela era a fonte e é meu elixir: boca que me seduz menino manhoso, seios de pomar delicioso, ventre de todas as primaveras mais fragrantes e embriagadoras, braços de ninho acolhedor, corpo de rio que me batiza e faz viver. Timbungando noitedia nela, aprendi o dia, o amor e a felicidade. E sua corredeira dava sempre no mais absoluto prazer que me fazia renascido a cada instante. E o prazer era repetidamente fascinante como a água límpida lavando a alma no mormaço da vida para quem se via recolhido das cinzas. E a vida era o seu corpo nu que me deu azo, riso e esperança. Hoje me dá muito mais: o prazer de ser vivo. . © Luiz Alberto Machado. Veja mais aqui, aquiaqui.

 


DITOS & DESDITOSA função da arte é refundir esse homem, torna-lo de novo são e incitá-lo à permanente escalada de si mesmo. Pensamento do sociólogo, crítico literário e professor Antônio Candido (1918-2017). Veja mais aqui.

 

ALGUÉM FALOU: Minha natureza é a de me ligar por amor e não pelo ódio. Palavras da personagem Antígona, na peça homônima de Sófocles. Veja mais detalhes a respeito aqui.

 

MAIS UMA OUTRA VEZ: A única profundidade que os homens admiram em uma mulher é a do seu decote. Nunca se conhece realmente um homem até que se divorcie dele. Maridos são como fogo: alastram-se para além da cerca se não forem controlados. Uma das minhas teorias é que os homens amam através dos seus olhos; as mulheres, através dos ouvidos. A garota deve se casar por amor, e continuar casada até ela encontrá-lo. Ser amado é uma força. Amar é uma fraqueza. Eu não sei nada sobre sexo, porque eu sempre estou casada. Expressões da atriz austro-húngara Zsa Zsa Gabor (pseudônimo de Gábor Sári). Veja mais aqui.

 

NECESSIDADE DA ARTE – [...] a arte tem sido, é e será sempre necessária [...] O homem anseia por absorver o mundo circundante, integrá-lo a si; anseia por estender pela ciência e pela tecnologia o seu “Eu” curioso e faminto de mundo até as mais remotas correlações e até os mais profundos segredos do átomo; anseia por unir na arte o seu “Eu” limitado com uma existência humana coletiva e por tornar social a sua individualidade. [...] A arte é o meio indispensável para essa união do indivíduo com o todo; reflete a infinita capacidade humana para a associação, para a circulação de experiências e ideias [...] Toda arte é condicionada pelo seu tempo e representa a humanidade em consonância com as ideias e aspirações, as necessidades e as esperanças de uma situação histórica particular [...] cria também um momento de humanidade que promete constância no desenvolvimento. [...] Trechos extraídos da obra A necessidade da arte (Zahar, 1983), do filósofo austríaco Ernst Fischer (1899-1972). Veja mais aqui.

 

LISÍSTRATA - ... Vocês não sentem saudades de seus pais e de seus filhos que estão na guerra? Sei que os maridos de todas estão no combate... Desde que a guerra começou está difícil encontrar algum homem pela cidade ! Se continuar assim, deixaremos de ser cortejadas! É por isso que criei um plano! A nossa força de vontade acabará com essa guerra!... Então vamos agir! Caras amigas, só há uma saída: se quisermos recuperar nossos maridos teremos de abrir mão de... O plano é este: não fazer sexo sob hipótese alguma... Palavras da personagem Lisístrata, da comédia homônima de Aristófanes, relato sobre uma mulher de caráter forte entre as mulheres gregas, fartas da guerra entre Atenas e Esparta, trancam-se num templo e decidem por votação deflagrar uma greve sexual para forçar uma negociação de paz, uma estratégia ousada para acabar com a Guerra do Peloponeso. Entre as tantas adaptações para o cinema e o teatro, destaco a Lisa, a Mulher Libertadora, de Augusto Boal, que possui a música Mulheres de Atenas, composta por Chico Buarque. Veja mais aqui, aqui, aqui e aqui.

 

DOIS POEMAS - VOZES DO OUTRO MUNDO: Então, ao nosso toque, a xícara de chá se mexeu, / então circulou ao redor / A a Z. A primeira voz ouvida / (se são vozes, estas são escritas mudas) / era o de um engenheiro / Originalmente de Colônia. / Morreu em seu vigésimo segundo ano / de cólera no Cairo, não conhecia a / felicidade. No entanto, uma vez que ele conheceu Goethe. / Goethe lhe dissera: PERSEVERE. / Nosso cão cego reclamou. Com isso, uma horda / de vozes reunidas sobre o tabuleiro Ouija, / alguns infantis e, pode-se dizer, embaçados / para o sonho; filho / chamado Will, relutante, possivelmente zangado, / como uma página com grandes capas de El Greco, retiradas / os arras para a próxima voz, / Frio e portentoso: TUDO ESTÁ PERDIDO. / Fuja desta casa. OTTO VON THURN E TÁXIS. / OBEDECER. VOCÊ NÃO TEM ESCOLHA. / Assustados, paramos; mas jogado / Até o amanhecer riscar de ouro os lençóis enrugados. / Todas as noites desde então, a lua cresce, / pequenos insetos esvoaçam em torno de uma tocha fria. nós ligamos / , que os envia para a varanda.../ Mas não há sinal real. Novas vozes chegam / ditam endereços, implorando que escrevamos; / Alguns alertam para vidas desperdiçadas, e toda desgraça. / De uma forma tão estimulante. / Estamos dormindo tarde. / Ontem à noite, a xícara de chá quebrou. / Na verdade, nos tornamos indiferentes / para o outro mundo. Na escuridão aqui / Com os cotovelos apoiados no / mesa limpa, conversamos e fumamos, contentes de ser sacudidos / pelo zumbido no jasmim, pelo zumbido / De nossas próprias vozes e o chiado do pobre Rover cego, / que para aqueles que choram acima, / obcecado ou lamentável, por um compromisso / Eu ainda tenho inteligência para adiar / Porque, uma vez visto iluminado / Pelos reflexos frios dos mortos / Ressuscitado extinto mas irresistível, / Nossas vidas nunca pareceram mais completas, mais reais, / Nem mesmo a lua cheia mais rápida para esfriar. O POETA AFOGADO: O poeta afogado, horas antes de afogar-se, / tinha olhos de redemoinho, sal em seus pulsos, e exibia / uma líquida aparência. O mar estava inteirado / como as flores na cabeceira de uma ferida, / de uma responsabilidade iminente, / como um ímã tendendo para o lado dele durante todo o dia azul, / ambíguo como um pulmão. / Ele observava os mergulhadores estudar um elemento / familiar como as escalas para o músico, / em que nadar é uma progressão de longos vocais, / uma comunicação que nunca pode ser buscada / pois em si mesma é completa: evidente como as pérolas, / simples como as pedras ao sol, uma felicidade / ligada aos acontecimentos. / Afogar-se foi a perfeição da técnica / a palavra envolvendo seu próprio sentido, como o Tempo; / e voltando-se para si o mar penetrou nele / como se falássemos de poemas num poema, / ou no momento culminante numa sonata citássemos / exercícios de digitação: um elogio / para o sucesso completo. Poemas do poeta estadunidense James Merrill (1926-1995).

Percebo que há uma linha entre parecer bem e ser uma vergonha. Eu não quero ser uma daquelas damas que está se esforçando demais para parecer jovem. Sou Mamie Van Doren, e pretendo representar minha idade. Às vezes sou incompreendido e é difícil chegar a isso. Minha vida tem sido cheia de emoção. Eu fiz muito o que eu queria fazer. Eu vim do Centro-Oeste, de Dakota do Sul, e vim da maneira mais difícil. Morávamos em uma fazenda; não tínhamos eletricidade nem água encanada, se é que você me entende. As pessoas não sabem como é essa vida. Eu nunca agi da minha idade e nunca vou agir. É apenas o jeito que eu sempre fui...

A arte da atriz, modelo e cantora estadunidense Mamie Elena Van Doren – (Joan Lucille Olander), sex symbol durante a década de 1950.

 

PROGRAMA DOMINGO ROMÂNTICO – O programa Domingo Romântico que vai ao ar todos os domingos, a partir das 10hs (horário de Brasilia), é comandado pela poeta e radialista Meimei Corrêa na Rádio Cidade, em Minas Gerais. Confira a programação deste domingo aqui. Na edição deste 10/06 do programa Domingo Romântico dedicado ao Dia dos Namorados e comandado pela radialista e poeta Meimei Correa, está com uma programação maravilhosa, com a participação de Egberto Gismonti, Bibi Ferreira, Chico Buarque, Rosinha de Valença, Chick Corea, Grande Otelo, Geraldo Carneiro, Beth Goular, Ivan Lins, Pink Floyd, Eugenia Melo e Castro, João Gilberto, Ray Charles, Danilo Caymmi, Ney Matogrosso, Olivia Byington, Ivete Sangalo, Djavan, Maria Rita, Geraldo Azevedo, Dire Straits, Claudio Nucci, Maria Bethania, Jorge Vercilo, Marisa Monte, Rita Lee, Luciana Melo, Pedro Mariano, Orlando Moraes, Sonia Mello, Claudia Telles, Simone, Charlie Brown Junior, Nando Cordel, Guns in Rose, Elaine Kundera, Millane Hora, João Pinheiro, Sandra Regina Alves Moura, Gainsbourg, Air Supply, Lyara Velloso, Luiz Alberto Machado & muito mais! Confira mais aqui.



Veja as edições anteriores do programa aqui.



Veja mais sobre:
Ginofagia aqui, aqui e aqui

E mais:
O presente na festa do amor aqui.
Primeiro encontro, a entrega quente no frio da noite aqui.
Primeiro encontro: o vôo da língua no universo do gozo aqui.
Ao redor da pira onde queima o amor aqui.
Por você aqui.
Moto perpétuo aqui.
O uivo da loba aqui.
Ária da danação aqui.
Possessão Insana aqui.
Vade-mécum – enquirídio: um preâmbulo para o amor aqui.
Eu & ela no Jeju Loveland aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
O flagelo: Na volta do disse-me-disse, cada um que proteja seus guardados aqui.
Big Shit Bôbras aqui.
A chupóloga papa-jerimum aqui.
Educação Ambiental aqui.
Aprender a aprender aqui.
Crença: pelo direito de viver e deixar viver aqui.
É pra ela: todo dia é dia da mulher aqui.
A professora, Henrik Ibsen, Lenine, Marvin Minsky, Columbina, Jean-Jacques Beineix, Valentina Sauca, Carlos Leão, A sociedade da Mente & A lenda do mel aqui.
Educação no Brasil & Ensino Fundamental aqui.
Bolero, John Updike, Nelson Rodrigues, Trio Images, Frederico Barbosa, Roberto Calasso, Irma Álvarez, Norman Engel & Aecio Kauffmann aqui.
Por você aqui.
Eros & Erotismo, Johnny Alf, Mário Souto Maior & o Dicionário da Cachaça, Ricardo Ramos, Max Frisch, Marcelo Piñeyro, Letícia Bretice, Frank Frazetta, Ricardo Paula, Pero Vaz Caminha, Gilmar Leite & Literatura Erótica aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
 Leitoras comemorando a festa Tataritaritatá
Art by Ísis Nefelibata
Veja aquiaqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra: 
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.



ANNE-MARIE DE BACKER, EUGENIO MONTEJO, JASON STANLEY & ROALD DAHL

    TRÍPTICO DQP: A certidão da sobrevivência... Ao som do concerto Delicate Sound of Thunder - Live in New York (1988), da banda britâni...