segunda-feira, setembro 05, 2016

ANDARILHO DAS MANHÃS E LUARES

ANDARILHO DAS MANHÃS E LUARES - (Imagem: Hiker In The Dawn, do pintor norueguês Ludwig Munthe (1841-1896) –Andarilho sou coração na mão, peito aberto, quisera tudo nem tão efêmero, mãos dadas com o irmão que nunca tive. Andejo sou por amanheceres de vida desbotada, céu quase nenhum e rostos famélicos na multidão pelas calçadas de surpresas no rol dos havidos, por entardeceres nas esquinas do que não se sabe, abraços perdidos dos que nunca chegam, por anoiteceres solitários de estradas estranhas, rodagens de nunca, asfaltos esburacados, caminhos tortuosos do que é desencontro na possível esperança de que tudo pode acontecer. Andarilho vou, voo do que não tem ninho, nem onde pousar, o pai derrotado, a mãe enterrada e as amizades distantes em sombrias lembranças. caminhante sou com o feito desfeito, inútil perseverança na barreira da indiferença: o êxito que só vale o fundo do poço ou pelo absorto trajeto dos que vêm e que vão, desvendando o que se traduz ignoto no meio da escuridão. Andejo sou entre farpas e gumes, como quem foi embora e não mais voltou, a seguir pela lâmina afiada de um tempo suspenso na lonjura do espaço. Caminheiro vou nas horas ausentes, luz de dentro Sol afora e tudo nada mais é que o prazer de viver. © Luiz Alberto Machado. Direitos reservados. Veja mais das aqui

Curtindo o álbum com a suíte de sete movimentos The Planets (Deutsche Grammophon 1993), do compositor, arranjador e professor inglês Gustav Holst (1874-1934), com a Berlin Phillarmonic Orchestra, sob a regência do maestro austríaco Herbert Von Karajan (1908-1989).

PESQUISA: O BRINCAR COMO ACONTECIMENTO
[...] a sociedade exprime sua interpretação da vida e do mundo por intermédio do jogo e a cultura surge sob a forma de jogo [...] em suas fases mais primitivas a cultura possui um caráter lúdico, que ela se processa segundo as formas e no ambiente do jogo [...] uma atividade livre, consciente, tomada como não séria e exterior à vida habitual, mas ao mesmo tempo capaz de absorver o jogador de maneira intensa e total. É uma atividade desligada do todo e qualquer interesse material, com a qual não se pode obter qualquer lucro, praticada dentro de limites espaciais e temporais próprios, segundo uma certa ordem e certas regras. [...]
Trecho extraído da obra Homo ludens (Perspectiva, 2000), do professor e historiador neerlandês Johan Huizinga (1872-1945). Veja mais aqui, aqui e aqui.

LEITURA 
[...] Não é que busque ideais inalcançáveis. Não é tão imbecil para crer que encontrará alguém sem defeitos. Se de verdade ama alguém, os defeitos são colocados numa gaveta e não são lembrados constantemente. Tentou amá-la. Tal como tentou amar Tessa, Neusa e Marta. Daria a vida para se apaixonar por qualquer uma delas. [...].
Trecho do romance O porquê de todas as coisas (Globo, 2004), do escritor, tradutor, músico, roteirista e jornalista catalão Quim Monzó.

PENSAMENTO DO DIA: 
[...] em cada idade, desde o nascimento à morte, não há pensamento, sentimento ou ato do individuo que não comporte em si a busca hedonista, isto é, a pulsão libidinal. Não existe vida sã sem vida sexual sã e, inversamente, não há vida sexual sã num individuo doente ou neurótico. [...].
O papel da sexualidade no desenvolvimento da pessoa, trecho extraído da obra Psicanálise e pediatria: as grandes noções da psicanálise (Guanabara, 1988), da médica e pediatra francesa Françoise Dolto (1908-1988). Veja mais aqui e aqui.

IMAGEM DO DIA; 
O meu poema Vida verde viva (Canto Verde) abaixo da foto do Povoado de Desemboque, na capa do calendário 2009 dos produtos Queijos Scala – Scalon & Cerchi Ltda, de Sacramento – Minas Gerais.

Veja mais sobre Amazônia, Josué de Castro & o Brasil, Manuel Ugarte, John Cage, Pierre Sonrel, Stanley Donem, Jacques-Louis David, Raquel Welsh, Karita Mattila, Fenelon Barreto & Literatura Infantil aqui.

E mais: Doris Lessing, Jean-Claude Brisseau, Octave Tassaert, Virginie Legeay, Maria Martins, Doro & Jade da Rocha aqui.

DESTAQUE
O meu poema Espera publicado no fanzine Tom Zine Poesias & Afins - Frei Gaspar – MG, #17 Ano II,  editado pelo escritor e editor de fanzine Tom Zine, que também edita o blog Tom Zine.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Once upon a time at Ladies Bay there was a Woman, by Elena Esina.
Veja aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.