domingo, agosto 11, 2013

ESPIDO FREIRE, LARA BOYD, NINA DE CALLIAS,EMERSON, NIETZSCHE & CREPÚSCULO DE VCA

 

CREPÚSCULO DE VCA – As marteladas nietzscheanas indubitavelmente atuaram inexoravelmente no esfarelamento das múmias conceituais com seus ocos ídolos desvalorizantes da vida, incidiram contundentemente sobre as falsas divindades milenares que se mantinham pelo erro com as aparências ideais e sua degenerescência para negar o real e, consequentemente, desvelaram os privilégios das castas e o ilusório imoral que promoviam a incapacidade de imaginar o mundo e o universo. Proferidas com a carga do sarcasmo devastador e o ácido humor entre a repugnância e o fascínio, prometiam decretar o fim da fábula secular. A sagacidade dos aforismos trouxe à tona nossa desgraça e, diante dela: o melhor é aprender a dançar. E mais: “Só às almas mais espirituais, admitindo que sejam as mais corajosas, é dado viver as tragédias mais dolorosas: mas é por isso que estimam a vida, porque ela lhes opõe seu maior antagonismo”. A psicologia e a crítica avassaladora deste poeta trágico buscavam às orientações éticas para dizer Sim à Vida! E com uma compensação: “O que não me mata, me torna mais forte”. Assim, o anti-filósofo reiteradamente poeta consignou que o gênio esbanja sobre o triunfo dos imbecis ventríloquos da branquitude, deixando à mostra o drama existencial dos mortos-vivos que empunham as potestas romanas, a eugenia e a misoginia da civilização repressora, atacando, por sua vez, o alicerce do patriarcalismo e a religiosa cultura ocidental mantidas em nome da fanática moral legalista e fundamentalista da hipocrisia apolínea fria e fina, do ódio opressivo, da força bruta, da mutilação e da hétero normatividade, do controle violento e sobre os dominados, da exclusão e do corporativismo do poder em detrimento do dionisíaco. Não menos contundentes são as versejadas de VCA: “Diz respeito à decadência (e desvalorização) do falo na sociedade ocidental de homens sagrados, cabisbaixos, aposentados da volúpia, que se utilizam de um artifício...”. Tal proposição se vale do flagra que ele faz de Valéry a contemplar a eternidade da varanda (do seu espírito) para versar na sua própria Catedral: “Homens lentos fabricam o crepúsculo \ com utensílios de dias turvos. \ Sombras vicejam de trevas nutridas \ tributárias do esmo \ locatárias do olho...”. Como bem diz Virgínia Leal Crisóstomo no prefácio do volume: “A poesia viril de Vital é jovem, de paixão rebelde, em briga com os ancestrais e deles bebendo a fonte...”. E no arremate de Cláudio de Veras: “A verdade final é que Vital está sempre recém-inventando sentidos, cada vez mais novos, cada vez mais vivos”. Seguindo, então, a trilha do bigodudo pensador alemão, VCA sabe: a arte estimula a vida e dissemina a preciosa vontade de potência – como a insaciabilidade incessante de Platão e as máquinas desejantes de Deleuze, razão pela qual ele poetou um Quântico de louvor à vida (ou quase elegia surda química): “Vida, hábil teia que esmo torce \ acaso cria com sumos cavos \ espessos halos \ banho quântico de cálida sopa...”. No “Corpo partido tempo mutilado alma devastada” ele demonstra a ciência sobre a: “Queda dos dias já submersos \ na trama inamovível do passado...”, e entre “As impressões do crepúsculo (seis dísticos disfarçados)” poetou: “... Corpo do sonho das carícias \ acordando desejos exilados...”, como se o poeta mais que vivo fosse capaz de enfrentar o já crônico secular crepúsculo com sua extemporânea carta poética. Veja mais aqui, aquiaqui.

 


DITOS & DESDITOS - Todos nós tentamos aprender uma nova habilidade motora. Talvez tocando piano, talvez aprendendo a fazer malabarismo. Você teve a experiência de ficar cada vez melhor em uma única sessão de prática e pensar “eu consegui”. À medida que você usa uma região do cérebro, ela se torna cada vez mais excitável e fácil de usar novamente. E como seu cérebro tem essas áreas que aumentam sua excitabilidade, o cérebro muda como e quando elas são ativadas. Com o aprendizado, vemos que redes inteiras de atividade cerebral estão mudando e mudando. Então seu cérebro é tremendamente plástico e está sendo moldado estrutural e funcionalmente por tudo que você faz, mas também por tudo que você não faz. Pensamento da neurocientista e fisioterapeuta estadunidense Lara Boyd, autora da obra First Foods Fast: Delicious Simple Baby Meals from First Tastes to One Year (Luath Press, 2007). Veja mais aqui, aqui, aqui e aqui.

 

ALGUÉM FALOU: Aquilo que persistimos em fazer se torna mais fácil, não que a natureza da tarefa tenha mudado, mas nossa capacidade de fazer aumentou. Pensamento do escritor e filósofo estadunidense Ralph Waldo Emerson (1803-1882). Veja mais aqui e aqui.

 

A POESIA – [...] Meu gosto, que é talvez contrario ao gosto tolerante, está assim mesmo muito longe de aprovar em bloco: de modo geral não gosta de aprovar, prefiro contradizer e até mesmo negar completamente... Isso é verdade para civilizações inteiras, isso é verdade para certos livros [...] Em certas línguas, nem sequer é possível aspirar ao que vemos realizado aí. Esse mosaico de palavras, em cada palavra por seu timbre, seu lugar na frase, a ideia que expressa, faz brilhar sua força à direita, à esquerda e no conjunto, esse mínimo na soma dos sinais – tudo isso é romano e, se se quiser acreditar em mim, o nobre por excelência. Todo o resto da poesia se torna, ao lado disso, alguma coisa popular – mera charlatanice de sentimentos... [...]. Trechos extraídos do Crepúsculo dos ídolos (Escala, 2008), do filósofo alemão Friedrich Nietzsche (1844-1900). Veja mais aqui e aqui.

 

MULHERES DO CHÃO AO CHÃO – [...] O tempo secou minhas palavras e murchou qualquer memória amigável. Por isso não podia dizer-lhe para ir embora ou para ficar, muito menos contar-lhe tudo o que tinha parado no meu coração e azedara como o bom vinho quando é abandonado. ele tinha me abandonado [...] Não sei como aconteceu nem por que fiquei ali sentado vendo as horas e minha vida passarem: sabendo que seria quase impossível alguém me encontrar e cogitando a possibilidade de morrer naquele lugar. Era um local quase perfeito: intacto e branco. [...] Preciso de algumas palavras de conforto - sussurrou. - Eu preciso há 30 anos e nunca consegui. Agora eu só quero que você morra e quero apagar você da minha mente o mais rápido possível. [...] Quando o frio mata você não sente mais. Era assim que meu pai falava. Agora ele se lembrava dessas palavras porque não as sentia mais. Vi a neve cair, mas não senti frio. Eu também não estava com medo. Lembrei-me de meu pai novamente, o calor de sua pele e a grandeza de suas palavras. [...] Eu só estava interessado em sobreviver e para isso as palavras de meu pai eram precisas. [...]. Trechos extraídos da obra Orosia: mujeres de sol a sol (Pirineum, 2002), da escritora espanhola Espido Freire (Laura Espido Freire). Veja mais aqui,

 

LA JALOUSIE DU JEUNE DIEU - Um estudioso estava visitando o Egito; \ tendo ousado \ Entre no horror das câmaras roxas \ Onde os antigos reis tebanos, em trajes sagrados, \ Deite-se sob a rocha profundamente escavada, \ Ele viu um pezinho de mulher, mas quebrado \ Por ladrões beduínos de amuletos ricos. \ O bálsamo havia sangrado nas bandagens, \ A henna reviveu os dedos com um tom rosado. \ Puro, este pé preservado em suas noites infernais \ O charme suave e frio do virginal escolhe: \ O amor de um jovem deus o tomou como uma criança. \ Tendo beijado este pé colocado no outro mundo, \ O cientista foi tomado por um profundo terror \ E morreu furioso na manhã seguinte. Poema da escritora, compositora e pianista francesa Nina de Callias (Anne-Marie Gaillard – 1843-1884).

 


PSICOLOGIA DA CIÊNCIA - A Psicologia da Ciência investiga o impacto dos processos psicológicos e das características pessoais de um cientista em temas do desenvolvimento de suas teorias e pesquisas cientificas. Examina a forma pela qual as personalidades, os processos cognitivos, o histórico de desenvolvimento e as experiências sociais dos cientistas afetam o tipo de ciência que realizam e as teorias que criam.
PSICOLOGIA DA PERSONALIDADE – É o estudo cientifico das forças que tornam as pessoas únicas. Veja mais aqui.
 PERSONALIDADE – Originário do latim persona, referindo-se à mascara teatral utilizada na encenação de dramas romanos. Na psicologia é a organização constituída por todas as características cognitivas, afetivas, volitivas e físicas de um indivíduo. Para Atkinson e Hilgard (2011), são padrões distintos e característicos de pensamentos, emoções e comportamentos que formam o estilo pessoal de um individuo para interagir com o ambiente físico e social. Gazzaniga e Heaterton (2005) assinalam que se refere às características, respostas emocionais, pensamentos e comportamentos do individuo que são relativamente estáveis ao longo do tempo e em diferentes circunstâncias. Schultz & Schultz (2013) definem que se trata de um  agrupamento permanente e peculiar de características que podem mudar em reposta a situações diferentes. Os aspectos internos e externos peculiares permanentes do caráter de uma pessoa que influenciam o comportamento em situações diferentes. A personalidade pode ser entendida como mistura de fatores temperamentais (determinados pela biologia) e caracterológicos (determinados pelo ambiente).
Os aspectos principais da personalidade reunidos para ajudar a compreender a natureza complexa do individuo: aspectos inconscientes, o individuo é influenciado por eles, forças que não estão na consciência imediata; forças do ego, influenciado por elas, oferecendo uma identidade ou self; ser biológico, o individuo é único, com única natureza genética, física, fisiológica e temperamental; as pessoas são condicionadas e modeladas pelas experiências e pelo ambiente a sua volta; dimensão cognitiva, as pessoas pensam e interpretam ativamente o mundo a seu redor de forma única; conjunto de traços, habilidades e predisposições específicas; dimensão espiritual, em relação à própria vida, que os enobrece e os induz a ponderar sobre o significado de sua existência, não sendo meros robôs programados, mas que buscam a felicidade e autossatisfação; a natureza do individuo é uma interação continua entre a pessoa e determinado ambiente. Esses oito aspectos em conjunto auxiliam na definição e compreensão da personalidade humana.

TEORIAS DA PERSONALIDADE – Teoria é um conjunto de pressupostos relacionados que permite aos cientistas utilizar o raciocínio lógico-dedutivo para formulação de hipóteses testáveis. Relaciona-se intimamente com a epistemologia que é um instrumento utilizado pelos cientistas em sua busca pelo conhecimento. As teorias são constituídas sobre evidencias cientificas obtidas de maneira relativamente neutra. As teorias lidam com um amplo conjunto de afirmações sobre causas e consequências para dar sentido e ordem às observações, proporcionando um campo fértil para produção de hipóteses testáveis. São práticas e essenciais para avanço de qualquer ciência. Os pilares para construção de teorias são a especulação e a observação empírica. As teorias são constuidas sobre pressupostos sujeitos a uma interpretação individual; são reflexos da historia pessoal, experiências, filosofia de relacionamentos e o olhar para o mundo. Sua importância e utilidade repousa na capacidade de produzir pesquisa e de explicar os dados da pesquisa.
A taxonomia é a classificação das coisas de acordo com suas relações naturais e faz parte do desenvolvimento das ciências. Podem transformar-se em teorias quando produzem hipóteses testáveis e a explicar resultados de pesquisa.
A personalidade é um padrão de traços relativamente permanentes e de características singulares que confere ao mesmo tempo consistência e individualidade ao comportamento de uma pessoa.
Os traços da personalidade contribuem para a existência das diferenças de comportamento, de constância comportamental ao longo do tempo e de estabilidade de comportamento em meio às situações. Os traços podem ser únicos, comuns para alguns grupos ou compartilhados por espécies inteiras, mas seu padrão é diferente para cada individuo, vez que cada pessoa, embora semelhante a outras, em muitos aspectos, possui uma personalidade exclusiva.
As características são qualidades singulares de um individuo que incluem atributos como temperamento, psique e inteligência.
Robert McCrae e Paul Costa classificam as pessoas por meio de cinco traços permanentes de personalidade.
As teorias da personalidade estão baseadas nas informações referentes aos mundos histórico, social e psicológico de cada teórico na época que desenvolveram suas teorias.

TEMPERAMENTO – Refere-se às influencias inatas, genéticas e constitucionais que influem na personalidade, isto é, constituem a dimensão biológica da personalidade. Caballo (2011) identifica quatro dimensões do temperamento: Busca de novidade ou ativação comportamental, referindo-se à tendência genética a implicar-se em atividades exploratórias que levem à estimulação prazerosa ou a outras recompensas, bem como ao comportamento que evite o tédio ou a monotonia; impedimento do dano ou inibição comportamental, referindo-se à inibição de comportamentos que conduz ao castigo, às situações novas ou à frustração; dependência da recompensa ou manutenção comportamento, tendência constitucional a responder às situações reforçadoras e a manter comportamentos que continuam produzindo prazer ou que aliviam o castigo; e persistência, que é a tendência a continuar realizando um comportamento, apesar dos possíveis obstáculos ou dificuldades. Já Costa e McGrae apresentam cinco fatores temperamentais que formam a personalidade: neuroses, tendência ao mal-estar psicológico e ao comportamento impulsivo; extroversão, tendências a envolver-se em situações sociais e a sentir alegria e otimismo; abertura à experiência, curiosidade, receptividade a novas ideias e expressividade emocional; amabilidade, grau em que se mostra compaixão e hostilidade para com os outros; e responsabilidade, grau de organização e compromisso com os objetos pessoais.

CARÁTER – Refere-se a fatores psicossociais aprendidos, que influem na personalidade. Os esquemas são encontrados dentro do conceito de caráter, referindo-se às crenças básicas que um individuo tem para organizar sua visão sobre si mesmo, o mundo, as pessoas e o futuro. Eles são elementos organizados a partir de experiências e reações passadas que formam um corpo relativamente compacto e persostente de conhecimento, capaz de dirigir as valorizações e percepções posteriores. O caráter, incluindo os esquemas, reflete a dimensão psicológica da personalidade e são relevantes nos transtornos de personalidade.

REFERÊNCIAS
ATKINSON, Richard; HILGARD, Ernest; ATKINSON, Rita; BEM, Daryl; HOEKSENA, Susan. Introdução à Psicologia. São Paulo: Cengage, 2011.
CABALLO, Vicente. Manual de transtornos da personalidade: descrição, avaliação e tratamento. São Paulo: Santos, 2011.
FADIMAN, James; FRAGER, Robert. Teorias da personalidade.São Paulo: Harbra, 2002.
FEIST, Jess; FEIST, Gregory. Teorias da personalidade. São Paulo: Mcgraw-Hill, 2008.
FRIEDMAN, Howard; SCHUSTACK, Miriam. Teorias da personalidade: da teoria clássica à pesquisa moderna. São Paulo: Prentice Hall, 2004.
GAZZANIGA, Michael; HEATHERTON, Todd. Ciência psicológica: mente, cérebro e comportamento. Porto Alegre: Artmed, 2005.
SCHULTZ, Duane; SCHULTZ, Sydeny. Teorias da personalidade. São Paulo; Cengage Learning, 2013.


Veja mais sobre:
Amor imortal na Folia Tataritaritatá, Manuel Bandeira, Pedro Nava, Carlo Goldoni, Cacá Diégues, Carybé, SpokFrevo Orquestra, Luís Bandeira, Ana Paula Bouzas, Tatiana Cañas, Carnaval & Claudia Maia aqui.

E mais:
Jacques Prévert, A Paz de Ralph M. Lewis, Milton Hatoum, Eric Fischl, Jonathan Larson, Monica Bellucci, Madhu Maretiore & Sônia Mello aqui.
Fecamepa & Óleo de Peroba, Educação & Hilton Japiassu, Bresser Pereira & A psicanálise de Leopold Nosek aqui.
Erro médico & dano estético aqui.
A literatura de Hilda Hilst aqui, aqui, aqui e aqui.
O pensamento de Carl Rogers aqui e aqui.
O ativismo de Rosa Parks aqui.
A personologia de Henry Murray aqui.
Poetas do Brasil aqui, aqui e aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
A croniqueta de antemão aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA;
Leitora Tataritariutatá!
Veja mais aquiaqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra:
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja os vídeos aqui & mais aqui e aqui.





STELLA NYANZI, NASTASSJA MARTIN, AGUSTINA BAZTERRICA & SEMANA HERMILO

    Imagem: Acervo ArtLAM . Ao som dos álbuns Liszt: Piano Sonata & other works (Hyperion Records, 2015), Bach: The Art of Fugue (Hy...