domingo, maio 20, 2012

MICHAEL PALMER, GISELLE BEIGUELMAN, TAKASHI MIIKE, HUGO BALL & LITERÓTICA.



O RITUAL DO AMOR – Imagem: Eternal Love, art by Jacqueline Ripstein - O seu mistério é o meu doce predileto. O meu refrigério. Tudo é repleto de magia quando ela chega com a sua carne trêmula, o seu olhar pidão, quando ela encena toda sua manifestação nos seus lábios saborosos que se esfregam nos meus abismos para nascer em mim o meu poema mais vigoroso, para que eu seja o seu almoço e jantar, seja a sua gula de nunca se empazinar numa eterna dança onde as suas pernas molhando o estio e o seu corpo esguio em quais lençóis desvelando o universo mágico recôndito sob a saia nascendo a fornalha que me abrasa por inteiro e a me fazer timoneiro insone por todo seu percurso abissal. É pra lá de legal quando alcanço toda sua majestade e ela já sem qualquer identidade desliza sobre mim com sua graça de querubim se agachando enquanto eu sussurro meu derradeiro verso obsceno ao seu ouvido. É aí que ela vira um mar revolto com ondas letais. É aí que ela perde o anjo e a domesticação dos animais para virar fera insaciável, com seu ritual inigualável a brincar de dares e tomares. Ritual onde ela me entrega a fechadura e faz de mim a sua chave caindo de boca sobre a minha lâmina iluminada e a cada abocanhada dou-lhe a lapada com a lapa do meu poder até desaguar abundante a invadir todas as cercanias amantes porque ela deu-me o prazer ao beber minha vida na festa de viver. © Luiz Alberto Machado. Veja mais aqui, aquiaqui.


 

DITOS & DESDITOS - [...] Os usos políticos de manipulação de imagem não são recentes, nem exclusivos da Internet. [...] Apesar da importância desse tema, a manipulação de imagens foge da discussão que se faz aqui. Importa agora precisar as relações entre as mídias sociais e as ações que culminaram na derrocada dos ditadores árabes do Egito e Tunísia e que estiveram em pauta no início dos levantes contra Kadhafi, na Líbia. [...] Muito se tem falado sobre se essas revoluções foram realmente feitas pelo Twitter e pelo Facebook, ou se isso tudo é apenas marketing dessas empresas e teria acontecido, de qualquer forma, por circunstâncias históricas. Nem uma coisa nem outra. Foram revoluções híbridas. Produzidas pelas pessoas, em um contexto histórico determinado, com os recursos do Facebook e do Twitter. Sem pessoas, obviamente, não ocorreriam. Sem as redes sociais, tampouco. Ocupá-las, relativizando suas funcionalidades meramente publicitárias, é hoje, por isso, questão política fundamental. Trechos extraídos do artigo Espaços de subordinação e contestação nas redes sociais (Revista Usp/92, 2012), da midiartista e professora Giselle Beiguelman.

 

ALGUÉM FALOU: Todo mundo tem complexos sobre seu corpo ou sua capacidade e habilidades e sonhar com um renascimento em algo diferente. Eu mesmo sempre tive esse desejo secreto de me tornar algo completamente diferente e promulgar vingança em certas coisas. Então eu faço isso através dos meus filmes. Meus desejos se tornam realidade no filme porque não pode se tornar real na vida real... Pensamento do cineasta japonês Takashi Miike. Veja mais aqui, aqui e aqui.

 

DIÁRIO – [...] O nosso cabaré 'Cabaret Voltaire' é um gesto ... Cada palavra dita e cantada aqui diz pelo menos uma coisa: que esta época humilhante não conseguiu conquistar o nosso respeito. [...] Estávamos todos lá quando Janco chegou com suas máscaras, e todos imediatamente colocaram uma. Então algo estranho aconteceu. Não apenas a máscara imediatamente exigia uma fantasia; também exigia um gesto bastante definido e apaixonado, beirando a loucura. Embora não o pudéssemos imaginar cinco minutos antes estávamos andando por aí com movimentos bizarros, enfeitados e drapeados com objetos impossíveis, cada um tentando superar o outro em inventividade... O que nos fascinava nas máscaras é que elas representam não personagens e paixões humanas, mas ... paixões que são maiores do que a vida. O horror do nosso tempo, o pano de fundo paralisante dos eventos, torna-se visível. [...] Trechos extraídos do Flucht aus der Zeit - Anotação do diário (1916), do escritor e filósofo alemão Hugo Ball (1886-1927), um dos principais artistas do Dadaísmo e inventor da poesia fonética.

 

AUTOBIOGRAFIA - I - Todos os relógios são nuvens. / As partes são maiores do que o todo. / Um filósofo está morrendo de fome em uma pensão, enquanto chove lá fora. / Ele se considera apenas mais um sinal. / As rosas de inverno são invisíveis. / O gelo tardio às vezes canta. / A e Não-A são iguais. / Meu cachorro não me conhece. / Os violinos, como os sonhos, são suspeitos. / Eu venho de Kolophon, ou talvez de alguma pequena ilha. / O estreito congelou e as pessoas estão andando - algumas patinando - por ele. / Na praia crescente, um veado afogado. / Uma mulher com uma mão, as coxas em volta do seu pescoço. / O mundo é tudo o que foi deslocado. / Maçãs em uma barraca na esquina da Bahnhof, de amarelo claro a vermelho escuro. / A memória não fala. / Falta de ar, acompanhada de zumbido. / A gagueira do poeta e a do filósofo. / O eu é atribuído a outros. / Uma sala para a qual, em todos os momentos, a lua permanece visível. / Café de Leningrado: um homem sem o lado esquerdo do rosto. / Desaparecimento do sol do céu acima de Odessa. / Descrição verdadeira desse sol. / Um filósofo está em uma porta, discutindo a teoria das cores / com ele mesmo / a teoria do self consigo mesmo, o conceito de número, eterno retorno, o pulso sideral / lógica dos tipos, frases de Buridan, o lekton . / Por que agora aquela fumaça do lago? / Palavra e coisas são iguais. / Muitas vezes vi corvos brancos. / Que todos os planos são infinitos, por extensão. / Ela pergunta: Existe um mapa desses portões? / Ela pergunta: este é chamado de passagens ou aquele está a oeste? / Assim liberados, os anjos das trevas conversam com os anjos da luz. / Eles não são anjos. / Algo mais. II – O Livro da Companhia que / Eu coloco e não consigo pegar / O desaparecimento da Transiberiana, / o Trem Azul e o Trem das Sombras / Seu corpo com sulcos como o meu crânio / Duas crianças estão correndo pelo Cemitério do Leão / Cinco viajantes estão cruzando a Ponte do Leão / Um filósofo em uma porta insiste / que não há imagens / Em vez disso, ele sussurra: Mundos Possíveis / O problema mente-corpo / O conto do cravo colorido / Esqueleto do cavalo mais velho do mundo / O anel de O diminui / chiando em torno do buraco até sumir / A falsa primavera está rindo da neve / e logo além de cada janela / Pinheiros imensos com peso de neve / Um filósofo espalhado na neve / oferece sua Terceira Meditação / como uma estrela necrótica. Ele sussurra: / o arco e flecha está em declínio por toda parte, / fotografar a primeira perversão do nosso tempo / Alcance o fundo leitoso desta lagoa / para saber a sensação do osso, / uma junta do polegar do seu avô, / a clavícula materna, o familiar / arco da sobrancelha de um irmão / Ele era seu gêmeo, sem dúvida, / falsificador do labirinto unicursal / Minha querida Tania, Quando eu conseguir uma boa posição no pátio / Eu estudo seus rostos através da névoa / Cara Tania, não se aborreça, / por favor, nestas digressões / Eles estão soldando os generais / de volta em seus pedestais. III - Sim, nasci na rua conhecida como Glass - como Paper, Scissors or Rock. / Vários de meus ancestrais não tinham mãos. / Vários de meus ancestrais usaram suas canetas / de maneiras estranhas. / Uma criança de sete anos, orei para respirar. / Cada dia eu passava pelo X espelhado / em gotas de chuva coaguladas em torno da poeira. / Nunca me arrependi dessa situação. / Embora paciente como alquimista, não consegui aprender inglês. / Vinte anos depois, queimei todos os meus móveis. / Da mesma forma as vigas da minha casa / para alimentar a fornalha. / Uma vez comprei um barco velho. / Abandonei o livro tirânico dos meus sonhos / e escreveu sobre vestidos, joias, móveis e cardápios / oito ou dez vezes em um livro de sonhos. / Me faz sonhar quando tiro a poeira. / Nosso tempo é intermediário; melhor ficar fora disso. / Envie um cartão de visita ocasional para a eternidade ou algumas estrofes para os vivos / para que não suspeitem que sabemos que eles não existem. / Assine-os Atenciosamente, Atenciosamente, Pensando em Você ou / Arrependimentos mais profundos. / Rio Brown do lado de fora da minha janela, um velho barco navegando na correnteza. / O que mais gosto é de ficar no meu apartamento. / Então essa é a minha vida, sem anedotas. / Eu saio ocasionalmente para assistir a um baile. / Caso contrário, as alegrias habituais, preocupações e luto interior. / Ocasionalmente, em um barco velho, navego no rio / quando eu encontrar tempo. / A água engole os dias. / Eu acho que talvez seja só isso / Tenho que dizer / exceto que às vezes um coração irregular fala comigo. / Diz: Uma vela está consumindo o alfabeto infantil. / Diz: atente para cada detalhe do passado futuro. / Na noite passada, a lua foi dividida precisamente ao meio. / Hoje um vento terrível. Poemas do poeta estadunidense Michael Palmer, ligado ao grupo da Language Poetry.

 




PROGRAMA DOMINGO ROMÂNTICO – O programa Domingo Romântico que vai ao ar todos os domingos, a partir das 10hs (horário de Brasilia), é comandado pela poeta e radialista Meimei Corrêa na Rádio Cidade, em Minas Gerais. Confira a programação deste domingo aqui. Na edição deste 20/05 do programa Domingo Romântico, comandado pela radialista e poeta Meimei Correa, está com uma programação maravilhosa, confira quem está participando do programa de hoje: Saint Preux, Silas de Oliveira, Milton Nascimento, João Gilberto, Maria Bethania, Djavan, Eugenia de Mello, Johnny Alf, Zeca Baleiro, Yes, Paco de Lucia, Roberta Flack, Rick Wakeman, Leila Pinheiro, Joe Cocker, Chico Buarque, Claudia Telles, Davi Moraes, Taiguara, Roberto Frejat, Fabio Junior, Cher, João Pinheiro, Tibério Gaspar, Walter Pepê, Cikó Macedo, Luciana Mello, Mariana Volker, Elaine Kundera, Lanna Rodrigues, Heitor Pedra Azul, Lyara Velloso, Moína, Sabor Brasil, Jessé, Mazinho (Jucimar), 14 Bis, Luiz Alberto Machado & muito mais! Confira mais aqui.





Veja mais sobre:
Ginofagia aqui, aqui e aqui

E mais:
O presente na festa do amor aqui.
Primeiro encontro, a entrega quente no frio da noite aqui.
Primeiro encontro: o vôo da língua no universo do gozo aqui.
Ao redor da pira onde queima o amor aqui.
Por você aqui.
Moto perpétuo aqui.
O uivo da loba aqui.
Ária da danação aqui.
Possessão Insana aqui.
Vade-mécum – enquirídio: um preâmbulo para o amor aqui.
Eu & ela no Jeju Loveland aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
O flagelo: Na volta do disse-me-disse, cada um que proteja seus guardados aqui.
Big Shit Bôbras aqui.
A chupóloga papa-jerimum aqui.
Educação Ambiental aqui.
Aprender a aprender aqui.
Crença: pelo direito de viver e deixar viver aqui.
É pra ela: todo dia é dia da mulher aqui.
A professora, Henrik Ibsen, Lenine, Marvin Minsky, Columbina, Jean-Jacques Beineix, Valentina Sauca, Carlos Leão, A sociedade da Mente & A lenda do mel aqui.
Educação no Brasil & Ensino Fundamental aqui.
Bolero, John Updike, Nelson Rodrigues, Trio Images, Frederico Barbosa, Roberto Calasso, Irma Álvarez, Norman Engel & Aecio Kauffmann aqui.
Por você aqui.
Eros & Erotismo, Johnny Alf, Mário Souto Maior & o Dicionário da Cachaça, Ricardo Ramos, Max Frisch, Marcelo Piñeyro, Letícia Bretice, Frank Frazetta, Ricardo Paula, Pero Vaz Caminha, Gilmar Leite & Literatura Erótica aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Leitora Tataritaritatá!!!!
Veja aqui, aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra: 
 Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.




ANNE-MARIE DE BACKER, EUGENIO MONTEJO, JASON STANLEY & ROALD DAHL

    TRÍPTICO DQP: A certidão da sobrevivência... Ao som do concerto Delicate Sound of Thunder - Live in New York (1988), da banda britâni...