domingo, abril 15, 2012

SHERE HITE, LEILA FERRAZ, PHILIP DICK & LITERÓTICA




ELA, A INCÓGNITA DO PRAZER – Imagem: art by Mark Tennant - Não sei se é noite, dia ou tarde. Eu só sei que arde. E com açoite faz alarde na minha temperança. É que não descansa, bole e atordoa. Ah, que coisa boa debaixo do chuveiro, quando sou seu ex-seresteiro e ela emerge dos confins gerais, sensual demais com sua tropical altitude. E vem largando as virtudes na sua nudez. Com completa mudez, tez luminescente, com seu corpo fervente pra me incendiar. Eu me deixo levar por sua boca safada que se diz preparada toda para mim. E se confessa assim com seu sexo molhado. E nele me farto aos bocados até a raiz -  do cóccix ao seu túmido veio, pelo entremeio de sua entrega donairosa, seu cheiro de rosa, sua ebulição. Faço na praça festa de peão, sou língua devassa de eterno freguês. E vou pelo vale dos seus ipês, correndo a sua serra do paraíso, todo seu córrego diviso com toda ganância. Eu bebo a sua fragrância com sede medonha, chega ela sonha de olhos virados, gemendo recados de que vai me pegar. E vendo seu esgar, mais me aproveito, sugando seu jeito inquieto a gozar. E a se esbaldar se derrete bem louca, ela vulva inteira na minha boca, chega a gemer e gritar. E me manda parar, depois diz que não, na sua alucinação nem sabe o que quer. Ela é toda mulher que mais se demora com seu gosto de amora no meu paladar. Ela quer mais se fartar e remexe agonia, se espremendo todinha, preu mais me ousar, até alcançar sua intimidade mais escondida, que ela me entrega rendida para eu me apossar. Não sei se sou dono, ou desbravador, se sou o patrono, ou o seu feitor. Sou só dominador da sua volúpia, só vou com argúcia asumir seu poder e todo seu querer, sua identidade, destronar sua majestade e roubá-la de si. No seu frenesi será dominada, submissa encantada que irá me servir. E como um grão vizir, lavrarei minha lei pra que ela faça a grei e cumpra à risca, minha servil odalisca, minha serva querida, minha fêmea homicida, minha escrava cortesã, que me dispõe sua chã, sua carne e beleza, que se digna ser presa para que dela eu me aposse, tomando total posse de tudo que é de seu. E ao me dar o apogeu e todo seu trono, sua alma por abono e tudo que se tem. E como me convém, ela fraqueja e ajoelha feito obediente ovelha, a me adorar. E procura seu maná, meu membro saliente, seu moquém requerente que quer abarcar. E a se lambuzar com minha seiva leitosa, a lamber tão jeitosa, chega a me enlouquecer. Não pára de mexer, tenaz felatriz a sugar tão feliz meu mais louco gozar. E não quer mais parar, feito faminta gulosa na minha pêia preciosa, que me toma à mão como um frágil Sansão rendido ao prazer. Ela mais manda ver e mais me explorar, até que eu chegue a esborrar toda força da vida. E retoma as lambidas de forma inclemente como quem inadimplente está pronta a pagar toda dívida que há, pra ser conivente que deve sucumbente de se ver eternamente na condição de me amar. © Luiz Alberto Machado. Veja mais aqui, aquiaqui.

 


DITOS & DESDITOSÉ mais importante saber que tipo de pessoa tem uma doença do que saber que tipo de doença a pessoa tem. Pensamento de uma dos mais importantes da história da medicina, o grego Hipócrates (460- 377 a. C.), também autor da expressão: Tudo quanto é excesso se opõe à natureza. Veja mais aqui.

 

ALGUÉM FALOU: A realidade é aquilo que, quando deixas de crer nela, não desaparece. Pensamento do escritor estadunidense Philip Kindred Dick (1928-1982), ou Philip K. Dick ou PKD, autor de diversas obras de ficção científica.

 

ARIADNE & JÚPITER - [...] Em um daqueles finais de tarde, comecei a sentir um estranho desejo que parecia vir das profundezas do meu corpo ou de algum lugar que eu não podia determinar com exatidão! Aprendi que as sensações podiam ser intensificadas movendo minhas pernas, com meu corpo apertado contra a cama. Se eu agarrasse o meu travesseiro, de bruços, sentia um prazer ainda maior. [...] Era uma doce tortura. Eu não sabia o seu significado. Um dia, quando fazia aquilo, tive a sensação de que estava acontecendo uma explosão deliciosa dentro do meu corpo. [...] Eu adorei. Quis fazer de novo e fiz, um milhão de vezes. Passei a fazer todos os dias. [...]. Trechos extraídos da obra A divina comédia de Ariadne e Júpiter: as surpreendentes e espetaculares aventuras de Ariadne e seu cão Júpiter no céu e na terra (Bertrand Brasil, 1996), da sexóloga e feminista teuto-americana Shere Hite (1942-2020). Veja mais aqui e aqui.

 

DOIS POEMAS - A OUTRA ESCRITA DA PELE: Das palavras apanhamos, de seus músculos esquivos, / com elas nos confundimos e nos acertamos. / Sofremos e nos flagelamos pelos pensamentos / que se vertem em poemas. / Um gesto louco e dominador nos joga sobre telas e papéis, / onde tatuamos nossas almas com tintas dolorosas e arrebatadoras / e nos expomos em roupagens orgásticas. / Esculturas arrancadas de seus conceitos / e colagens infinitas de sonhos revelados. / Meu corpo é o corvo que me devora o fígado. / Meu corpo é a cereja que escorre pelas tuas pernas. / Meu corpo é o livro que defloras página por página, / apesar das minhas súplicas. / Queres arrancar minha alma custe o que custar, / de seus temores e pudores, e da inquietude que a ilumina. / Queres me expor sem que eu exposta esteja. / Meu corpo de solfejos e pérolas é escravo de sua história. / É o laço. Um ponto. Uma linha. Um plano. DIGITO EM TUA LÍNGUA ESTE RECADO: Só faltam cinco. / Vou criá-las em preto e branco para que as cores não me seduzam. / Elas terão que ter suas próprias seduções. / Nascerão entre brancos, negros e acinzentados. / Uma palheta onírica e louca será usada para cometê-las. / Ultrapassarão todas as demências sem grandes alardes. / Santas madonas proscritas de suas sacrovestimentas. / Difícil será trazer um toque masculino no céu de tantas bocas. / Como será entrelaçar barbas em cabelos? / Procuro a vertigem dentro de vórtices escalando hermafroditas irracionais em suas diárias prestidigitações. / Inconsciente dedilho cada letra do imponderável sem caminhos de volta. / Refeita de tanto prazer eu me batizo amante. Poemas da poeta, ensaísta, fotógrafa e artista visual Leila Ferraz, autora dos livros Cometas (1977) e Poemas plásticos (1980).


PROGRAMA DOMINGO ROMÂNTICO – O programa Domingo Romântico que vai ao ar todos os domingos, a partir das 10hs (horário de Brasilia), é comandado pela poeta e radialista Meimei Corrêa na Rádio Cidade, em Minas Gerais. Confira a programação deste domingo aqui. Na programação de hoje as seguintes atrações: Saint-Preux, Milton Nascimento, Gal Costa & Roupa Nova, Nana & Dory Caymmi, Sonia Mello, Moraes Moreira, Ana Cañas, Djavan & Paralamas do Sucesso, Anna Ratto e Boca Livre, Luiz Alberto Machado, Yes, A-Ha, Duran Duran, Jessé, Jorge Vercilo, Luiza Possi, Ibys Maceioh, Geraldo Azevedo, João Bosco, Michael JacKson, Carly Reys, Neil Sedaka, Juanes e Paula Fernandes, Bon Jovi, Maria Gadu, Pepino de Capri, Caetano Veloso, Paulynho Duarte, Djavan, Lenine, Chico Buarque, Ná Ozzettti, Madona, Maria Bethania, MP4, Lulu Santos, Jorge Benjor, Cazuza & muito mais. Confira tudo isso e a festa toda aqui.


Veja mais sobre:
O presente na festa do amor aqui.

E mais:
Primeiro encontro, a entrega quente no frio da noite aqui.
Primeiro encontro: o vôo da língua no universo do gozo aqui.
Ao redor da pira onde queima o amor aqui.
Por você aqui.
Moto perpétuo aqui.
O uivo da loba aqui.
Ária da danação aqui.
Possessão Insana aqui.
Vade-mécum – enquirídio: um preâmbulo para o amor aqui.
Eu & ela no Jeju Loveland aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
O flagelo: Na volta do disse-me-disse, cada um que proteja seus guardados aqui.
Big Shit Bôbras aqui.
A chupóloga papa-jerimum aqui.
Educação Ambiental aqui.
Aprender a aprender aqui.
Crença: pelo direito de viver e deixar viver aqui.
É pra ela: todo dia é dia da mulher aqui.
A professora, Henrik Ibsen, Lenine, Marvin Minsky, Columbina, Jean-Jacques Beineix, Valentina Sauca, Carlos Leão, A sociedade da Mente & A lenda do mel aqui.
Educação no Brasil & Ensino Fundamental aqui.
Bolero, John Updike, Nelson Rodrigues, Trio Images, Frederico Barbosa, Roberto Calasso, Irma Álvarez, Norman Engel & Aecio Kauffmann aqui.
Por você aqui.
Eros & Erotismo, Johnny Alf, Mário Souto Maior & o Dicionário da Cachaça, Ricardo Ramos, Max Frisch, Marcelo Piñeyro, Letícia Bretice, Frank Frazetta, Ricardo Paula, Pero Vaz Caminha, Gilmar Leite & Literatura Erótica aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Veja aqui, aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra: 
 Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.





ANNE-MARIE DE BACKER, EUGENIO MONTEJO, JASON STANLEY & ROALD DAHL

    TRÍPTICO DQP: A certidão da sobrevivência... Ao som do concerto Delicate Sound of Thunder - Live in New York (1988), da banda britâni...