segunda-feira, julho 06, 2009

DRUMMOND, ADALGISA NERY, DOSTOIÉVSKI, RICOEUR, ORGASM DE TONY WARD & PALMARES


UMA CIDADE ESTA

ao meu rincão
que soletrei sílabas de todos os tons
deixo o meu desejo provinciano
foi nas tuas praças que descobri a poesia
foi na tua noite que desvendei mistérios
foi no teu dia que morri muitas vezes
foi no teu canavial  que deixei meu sangue
foi no teu rio que comunguei com a vida
dos bairros nobres ao baixo meretrício
dos bueiros da usina aos estudos da faculdade
da safra da cana à entressafra da razão
da incompetência da câmara ao sucesso dos loucos
dos desvarios comerciais aos crimes impunes
das damas hipócritas às jovens sedutoras
das reuniões inúteis às salas de dança
dos cultores do passado aos artistas malucos

me completei
me dizimei
e me consenti
com certeza te deixo o meu velório
e a paz de quem sorri.   

II ENCONTRO DOS PALMARENSES DE MACEIÓ – Numa tarde para lá de festiva, onde pude reencontrar velhos e grandes amigos conterrâneos, a exemplo de Zé Linaldo, Wilson Fotografias, Jeronimo Netto & Humoreco, Rubão, o poeta Pica Pau, Toínho Du Rego, o cantor Everaldo Souza, Rominho dos teclados, mais o cantor e compositor catendense Marcos Catende e uma penca de gente do coração.



TATARITARITATÁ - Na ocasião fiz abertura do evento com o meu cantarau Tataritaritatá, que foi apresentado pelo palmarense repórter televisivo, Sikera Junior.



O evento coordenado por uma trupe palmarense, entre eles Luiz Francisco S. Filho, Gilberto Lins, Valdemir Alves, Ricardo Alves, José Ribeiro Sobral, Paulo Lessa, Evaldo Oliveira, Virginia Ferreira, Valéria Sobral, Romulo Lessa, Taciane Lessa, Lalinha Guimarães e Hans Geronimo, aconteceu no último domingo no salão do Buganvilia, Maceió – AL, objetivando a confraternização dos conterrâneos, oportunizando o reencontro e contribuindo par manter vivas as tradições palmarenses.



DITOS & DESDITOSA vida é um paraíso, mas os homens não o sabem e não se preocupam em sabê-lo. Quanto mais gosto da humanidade em geral, menos aprecio as pessoas em particular, como indivíduos. Nada serviu tanto o despotismo como as ciências e os talentos. Compara-se muitas vezes a crueldade do homem à das feras, mas isso é injuriar estas últimas. Não será preferível corrigir, recuperar e educar um ser humano que cortar-lhe a cabeça? Todos somos responsáveis de tudo, perante todos. O dinheiro é uma liberdade sonante e valiosa, inestimável ao homem privado da verdadeira liberdade. A verdadeira verdade é sempre inverosímil. Sofrer e chorar significa viver. Sonho com um amor em que duas pessoas compartilham uma paixão de buscar juntas uma verdade mais elevada. É preciso amar, de fato, não por um instante, mas até o fim. Amar alguém é vê-lo como Deus o concebeu. Pensamento do escritor russo Fiódor Mikhailovich Dostoiévski (1821 - 1881). Veja mais aqui.

ALGUÉM FALOU: [...] o tempo torna-se tempo humano na medida em que é articulado de modo narrativo e a narrativa só atinge o seu pleno significado quando se torna uma condição da existência temporal [...]. Trecho extraído da obra Tempo e narrativa (Tomo I - Papirus, 1994), do filósofo francês Paul Ricoeur (1913-2005). Veja mais aqui.

ISTO OU AQUILO - O dono da usina, entrevistado, explicou ao repórter que a situação é grave. Há excedente de leite no país, e o consumo não dá para absorver a produção intensiva: - Uma calamidade. Imagine o senhor que o jornal aqui do município reclama contra a poluição do rio, que está coberto por uma camada alvacenta. Não é nenhum corpo estranho não, é leite. Estão jogando leite no rio porque não têm mais onde jogar. Os bueiros estão entupidos. A população, como o senhor deve saber, é insuficiente para beber toda essa leitalhada ou comê-la em forma de queijo, requeijão, manteiga e coisinhas. – Insuficiente? Parece que a produção de crianças ainda é maior que a produção de leite. – Numericamente sim, mas não têm capacidade econômica para beber leite. Têm apenas boca, entende? Então nada feito. Se falta dinheiro aos pais dos garotos para adquirir o produto, ainda bem que se joga o leite fora, em vez de jogar os garotos. Crônica Isto ou aquilo, do poeta, contista e cronista Carlos Drummond de Andrade (1902-1987). Veja mais aqui.

PENSAMENTOS QUE REÚNEM UM TEMA - Estou pensando nos que possuem a paz de não pensar, / Na tranquilidade dos que esqueceram a memória / E nos que fortaleceram o espírito com um motivo de odiar. / Estou pensando nos que vivem a vida / Na previsão do impossível / E nos que esperam o céu / Quando suas almas habitam exiladas o vale intransponível. / Estou pensando nos pintores que já realizaram para as multidões / E nos poetas que correm indefinidamente / Em busca da lucidez dos que possam atingir / A festa dos sentidos nas simples emoções. / Estou pensando num olhar profundo / Que me revelou uma doce e estranha presença, / Estou pensando no pensamento das pedras das estradas sem fim / Pela qual pés de todas as raças, com todas as dores e alegrias / Não sentiram o seu mistério impenetrável, / Meu pensamento está nos corpos apodrecidos durante as batalhas / Sem a companhia de um silêncio e de uma oração, / Nas crianças abandonadas e cegas para a alegria de brincar, / Nas mulheres que correm mundo / Distribuindo o sexo desligadas do pensamento de amor, / Nos homens cujo sentimento de adeus / Se repete em todos os segundos de suas existências, / Nos que a velhice fez brotar em seus sentidos / A impiedade do raciocínio ou a inutilidade dos gestos. / Estou pensando um pensamento constante e doloroso / E uma lágrima de fogo desce pela minha face: / De que nada sou para o que fui criada / E como um número ficarei / Até que minha vida passe. Poema Pensamentos que reúnem um tema, da poeta e jornalista Adalgisa Nery (1905-1980). Veja mais aqui.


ORGASM – A publicação Orgasm (Last Gasp, 2000), reune a obra do ator, pintor e fotografo estadunidense Tony Ward, com texto de Bob Guccione, que utiliza a exploração do sexo como um ato criativo, uma série de acrobacias inspiradas na imaginação e gravadas em filme pelo artista.




Veja mais sobre:
A Síndrome de Burnout & o professor, John Donne, Anita Malfatti, Paul Hindemith, Kama Sutra de Vātsyāyana, Judith Ermert, Walter Hugo Khouri, Alan Moore, Gerontodrama & O lado obscuro e tentador do sexo aqui.

E mais:
Movimento sindical no Brasil aqui.
A poesia digesta de Glauco Mattoso aqui.
Função das agências reguladoras aqui.
Direitos Humanos Fundamentais aqui.
A responsabilidade do agente político aqui.
Educação no estruturalismo marxista aqui.
Meio ambiente: significação jurídica contemporânea aqui.
Direitos fundamentais e a Constituição Federal aqui.
Literatura de cordel: A mulher, de Oliveira de Panelas aqui.
O trabalho aqui.
Ética e Moral aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Leitoras participam da festa Tataritaritatá!
(Arte: Ísis Nefelibata)
Veja aqui e aqui.


CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Recital Musical Tataritaritatá
Veja aqui.
 

ANNE-MARIE DE BACKER, EUGENIO MONTEJO, JASON STANLEY & ROALD DAHL

    TRÍPTICO DQP: A certidão da sobrevivência... Ao som do concerto Delicate Sound of Thunder - Live in New York (1988), da banda britâni...