segunda-feira, outubro 19, 2009

MISSIVA DO ESCONJURADO



MISSIVA DO ESCONJURADO



Ôi, mãe!!! Espia eu aqui, visse? E não se abufele com a ausência desse seu filho desnaturado.

A senhora sabe: é uma correria danada na garupa da sobrevivência para não cair morto em qualquer lugar ermo, porque pra gente só sobra assando-e-comendo, mais nada. Só desastre mesmo. E isso desde pirrototinho quando aprontava das minhas peraltices cabeludas, quase comendo todo seu juízo.

Pois eu sei que a senhora virou santa desde minhas travessuras infantis, meus disparates adolescentes e minhas errâncias de adulto. Por isso mesmo que a senhroa dizia que eu era mesmo seus pecados. Nada não.

Agora, metendo as mãos pelas pernas como sempre, quase tenho uma piloura de tanto estresse se não quase estourasse as coronárias antes. Por isso vou driblando os revestrés e cantando Itinerância com a minha pontaria vesga de Cantador pela vida para saltar as vicissitudes adversas, desatando cada nó-cego, tudo numa reação em cadeia, chega penso que a gente é um alvo arrodiado de bronca por todos os lados. É cada chapuletada no toitiço findando no escanteio das possibilidades, com o trauma de viver infincado num verdadeiro buraco negro. Nem tei nem bei: boiando na Alfa do Centauro, avalie.

Realmente, mãe, o Brasil num tá pra gente, não. Nunca teve. Tive uma esperançazinha quando saí da Faculdade com a Carta Cidadã no peito. Já se passaram tantos anos e o que deu? Imagine o que será de mim... a cagada daqui vem de tempos remotos, desde a invasão dos perós. Pá! De lá pra cá, só contramão braba. E os remendos são piores cada dia que se passa.

A coisa só anda certa no reino da Carochinha ou nas previsões do Doro que são pinóias de lascar. No mais, é só banda voou.

Os projetos? Ah, já pelejei demais, mas nunca fiz nada que prestasse. Estou na lona, a vida é só arrependimentos. O que vale é a presepada. Por causa disso eu vou errando mais do que devo.

Mas, mãe, saiba: estou com saudades.

Não leve essa minha distância na conta da ingratidão. É a labuta que é braba mesmo.

A senhora sabe que mora no meu coração e que um dia, quem sabe, Deus dará e eu vou poder estreitar nosso convívio, né?

Receba desse troncho-das-costas-ocas liliputiano aquele beijão melado no coração e saiba que escapando aqui e ali eu vou gritando: mãêêêêêêê!!!!!!!!!!!!! Eu quero a minha mãe!!!!!!!

Fui!



Veja mais sobre:
Salgadinho: de riacho pra esgoto, Boaventura de Sousa Santos, Imre Kertész, Friedrich Schiller, Millôr Fernandes, Ennio Morricone, Gustav Machatý, Emílio Fiaschi, Joseph Mallord William Turner & Hedy Lamarr aqui.

E mais:
A musica de Monique Kessous aqui.
Dicionário Tataritaritatá aqui.
Cidadania e dignidade humana aqui.
Literatura de Cordel: O cavalo que defecava dinheiro, de Leandro Gomes de Barros aqui.
Direitos adquiridos aqui.
A arte de Tatiana Cobbett aqui.
Tortura, penas cruéis e penas previstas na Constituição Federal de 1988 aqui.
Literatura de Cordel: Emissários do inferno na terra da promissão, de Gonçalo Ferreira da Silva aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.


CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Veja aqui e aqui.


CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
 Recital Musical Tataritaritatá
Veja aqui.


JOAQUIM CARDOZO, ERCÍLIA NOGUEIRA COBRA, FLORA TRISTÁN, MARIO SOUTO MAIOR & LÉO LUNA

PADRE BIDIÃO & DR. ZÉ GULU - Padre Bidião está sempre avexado. Desta feita, amontado no seu disco voador e acompanhado por seus nove c...