segunda-feira, março 08, 2010

PAUL HOOVER, DANY LAFERRIÈRE, HELOISA PRIETO, SCHIELE & É PRA ELA – CRÔNICA DE AMOR



TODO DIA É DIA DA MULHER – Uma campanha de homenagem perene à mulher, pela passagem do dia 08 de março, dia internacional da mulher, e 30 de abril, dia nacional da mulher!

É PRA ELA 
(CRÔNICA DE AMOR POR ELA)

Música & letra de Luiz Alberto Machado

É pra ela que eu dedico a poesia
Da luz de todo dia e o meu cantar
É pra ela que a vida brilha tanto
E eu faço o meu canto pra lhe dar

Eis que ela altaneira, fez-se tal porto seguro
Deu de si a vida inteira com o seu ventre maduro
Para a vida premiar

É de dia a companheira, na sua missão mulher
Quando é noite é verdadeira, ser pro que der e vier
E tudo compartilhar

Seu perfil é doação na magia do esplendor
No seio a concepção da ternura e do amor

Aonde quer que eu vá, vem seu resplendor freqüente
Ela é luz resiliente para tudo superar

É pra ela que eu dedico a poesia
Da luz de todo dia e o meu cantar
É pra ela que a vida brilha tanto
E eu faço o meu canto pra lhe dar

Ela é meu dia
Ela é meu chão
Ela é alegria
No meu coração
Ela é folia
Ela é devoção
Ela é poesia
Na minha canção

É pra ela que eu dedico a poesia
Da luz de todo dia e o meu cantar
É pra ela que a vida brilha tanto
E eu faço o meu canto pra lhe dar

Imagem: Weiblicher Akt mit langem Haar, do pintor do Expressionismo austríaco Egon Schiele (1890-1918)



DITOS & DESDITOSQuanto mais intensa e complexa a obra literária, mais condições ela abre para que o leitor reflita sobre seu lugar no mundo e, também, sua maneira de perceber o outro e a si mesmo. Pensamento da escritora, pesquisa e tradutora Heloisa Prieto.

PAÍS SEM CHAPÉU – [...] É nisso que dá passar quase vinte anos fora do seu país. Já não entendemos as coisas mais elementares. [...] Trecho do livro País sem chapéu (34, 2010), do escritor haitiano Dany Laferrière, tratando sobre suas memórias e o choque de culturas e sua influência sobre a pessoa.

POEMAS QUE POSSAMOS COMPREENDER - Se um símio conduz um automóvel / ao longo de uma colunata frente ao mar / e as palmeiras à esquerda são de estanho / nós não o compreendemos. / Queremos poemas que possamos compreender. / Queremos um deus para nos conduzir, / renomeando as flores e as árvores, / codificando a cena com cores, / fazendo os pássaros chamar pelos hóspedes. / Queremos poemas que possamos compreender, / nada de ébrios taciturnos fazendo passes / junto a um tatu, sem nada complexo / que equivalha a uma canção, / nada de correr por dentro e por fora dos muros / sobre a língua seca de um rato, / nenhuma coerção, nenhuma garota, nem mar que se mova / com toda a sua deliberada velocidade, ao seu próprio lado / e azul como a água, dentro de si mesmo e quieto, / nenhuma lagartixa sobre a mesa transformando-se em mãos absolutas. / Queremos poesia que possamos compreender, / as impressões digitais no vestido da mãe, / a dor dos mártires, os cientistas. / Por favor, nenhum coelho tirando outro coelho / de um chapéu amarelo, nenhum dorso tatuado / frente a milhas de deserto, nenhum vento. / Nos não o compreendemos. Poema do poeta e editor estadunidense Paul Hoover.

Veja as manifestações recebidas pela Campanha Todo dia é dia da mulher de:
Claudio Nucci,
Alberto de Oliveira
Maisa Cristina Vibancos – Pupila
Carmem Silva Pressoto – Vidráguas
Risomar Fasanaro
Bell Brasil
Gaqbi Fornells
Lucas Rafael Nolli Duarte
Ligia Leivas
Luly Diniz
Máclem
Nilson Carlos Batista Chaves
Mariozinho Telles
Anja Bittencourt
Syla Sieg
Nita Ferreira
Marcos Mendes & Settvideo
Maura Soares
Moshengo Cabanillas Péres - Peru
Fatima R. Vicente
Lia Helena Giannechini
Vania Mury
Analu Fernaandes
Laurivete de Oliveira
Edileuza Gurgel
Lidiane Amaral Ferro
Cida Linhares
Zenaide Giovinazzo
Solange Chagas
E
Cleidinha
mais poemas de Rosane Duá, entre outros. Para conferir, acesse a campanha TODO DIA É DIA DA MULHER  aqui.

Beijabrações
Luiz Alberto Machado
Escritor, compositor e radialista
luizalbertomachado@gmail.com 




Veja mais sobre:
A trajetória da mulher, Manuel Bandeira, Abade Vogler, Bastos Tigre, Augusto Boal, Cristina Gallardo-Domas, Silveira Bueno, Heather Graham, Steve Hanks, Herbalismo & Califasia aqui.

E mais:
Todo dia é dia da mulher - entrevista com uma viúva autônoma, Sandra da Silva, de Arapiraca – Alagoas aqui.
Entrevista com a costureira Jqueline, a musa da semana de Minas Gerais aqui.
Entrevista com Clélia, uma estudante de Cacoal – Roraima aqui.
Perfume de mulher aqui.
Lagoa Manguaba & Deodorenses, Jorge de Lima, Dominguinhos, Nando Cordel, Arriete Vilela & Nitolino aqui e aqui.
A Política aqui.
A poesia de Catulo da Paixão Cearense aqui.
Orientação sexual aqui.
Velta, a heroína brasileira aqui.
Sexo, sexualidade, educação sexual & orientação sexual para educação materna/paterna aqui.
A poesia de Braulio Tavares aqui e aqui.
Big Shit Bôbras aqui.
Os clecs de Eno Teodoro Wanke aqui.
A psicologia, os adolescentes & as DST/AIDS aqui.
Cidadania & Direito aqui.
Educação para vida e para o trabalho aqui.
A família, entidade familiar, paternidade/maternidade e as relações afetivas aqui.
Educação Ambiental aqui.
Probidade Administrativa aqui.
Contratos Administrativos aqui.
Musa Tataritaritatá aqui.
Responsabilidade Ambiental aqui.
Qualidade no Atendimento do Serviço Público aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.


CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Veja aqui, aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Recital Musical Tataritaritatá
Veja aqui.

LÁZARO DROZNES, PEDRO JUAN GUTIÉRREZ, VERA ALBERS, BRONOWSKI, ILANA YAHAV, ANITA CARRIJO, AORU AURA, NADIA BATTELLA GOTLIB & FÁTIMA FERREIRA

    TRÍPTICO DQP – É aqui. É agora. O primeiro degrau... Ao som de Violina , do compositor húngaro Frigyes Hidas (1928-2007), na interpre...