quarta-feira, abril 12, 2017

CAMUS, CHAPLIN, BAURSCHEIT, PONCE, RAPTO DE PROSÉRPINA & SORRIR PRA VIVER!

SORRIA PRA VIVER - Imagem: arte de Ricardo Ponce. - Tem gente que ri de tudo, até da desgraça alheia. Pior os que choramingam por qualquer tostão perdido, esses os chatos mimados. Afora outras daquelas que dão um passo pra frente e trocentos pra trás, com sua vidinha inútil de quase não valer um cocô de lôro, feito uma pata choca, insossas quando não azedas e com os sentimentos mais ralos que caldo de piloro, entediadas com os dias que são outros, mas que parecem os mesmos desde ontem e anteontem, que coisa! Tem gente pra tudo, eu sei. Os risíveis são mais simpáticos, mesmo que a vida pareça pra eles uma madrasta inclemente. Zé Corninho, por exemplo, mesmo com tanto revestrés nos costados, não se exime de expor ao ridículo sua risada de boca banguela, tá nem aí. Biritoaldo é outro que vive cheio de nó pelas costas de aloprado azarento, destá, quando não tem de quem mangar, manga dele mesmo. Robimagaiver vive todo enrolado, endividado até o tampo, virado na porra e não se deixa esmorecer: uma pinóia por segundo e tudo vira piada pra risadagem. Isso pra você ver que rindo até os ocrídios com suas feiúras ficam, diga-se lá, atraentes. Pra eles, feiúra pouca é bobagem, mocreia é todo mundo. Conheço gente que não tem onde cair morto de tanto escorregar no asfalto com topada aos tombos e se mandam mesmo que nada dê certo e no final dê tudo errado mesmo, motejo que seja, estão vivos e pra cima, às gargalhadas. Quando algo dá um créu, nem esperam o enterro voltar, caçoam até de quem não viu. Se alguém chamar na grande, pode esperar: vão caçoar até da sombra de desenvultado. Pra qualquer sisudez pregam a maior zombaria, seja santo ou trepeça. Vivem como podem, não sabem o que é estresse, têm uma longevidade que nem parecem que são do tempo do ronca de tão rejuvenescidos; vez ou outra, raramente é que adoecem: acho que a doença é que se manda com medo da fealdade deles; trabalham que só cantiga de grilo e fazem amizade com gregos e troianos com a maior facilidade. Assim são felizes ao seu modo, estejam onde estiverem. Essa a lição, agora sorria, só há uma verdade: a vida; o resto tudo é mentira. © Luiz Alberto Machado. Veja mais aqui.

 Amar é... sorrir por nada e ficar triste sem motivos, é sentir-se só no meio da multidão, é o ciúme sem sentido, o desejo de um carinho; é abraçar com certeza e beijar com vontade, é passear com a felicidade,  é ser feliz de verdade!
Pensamento do escritor, dramaturgo e filósofo francês Albert Camus (1913-1960). Veja mais aqui, aqui, aqui e aqui.

Veja mais sobre:
Uma ou outra coisa que eu sei de mim, Rio Una, Fernando Pessoa, Robert Delaunay & Anikeev Sergey aqui.

E mais:
Educação para além do capital de István Mészarós, A origem das espécies de Charles Darwin, O ateneu de Raul Pompeia, A música de Antonio Salieri & Montserrat Caballé, O batizado da vaca de Chico Anysio, a escultura de Pierre Le Gros, a pintura de Robert Delaunay, Hipermnestra & Liceu, Pedro Almodóvar & Infância, imagem e literatura: uma experiência psicossocial aqui.
Mandonismo da paixão & a pintura de Carolyn Weltman aqui.
Educação, afetividade, transversalidade & homossexualidade aqui.
Código de Defesa do Consumidor, Casa Grande & Senzala de Gilberto Freyre, Ensinar aprendendo de Içami Tiba, Papisa Joana & Johanna Wokalek, a música de Oswaldo Montenegro, a pintura de Giovanni Battista Tiepolo & James Gillray aqui.
Fecamepa: salve Dioniso, evoé Baco, a poesia de César Vallejo, a música de Franz Haydn & Teresa Berganza, o teatro de Augusto Boal, a pintura de Rosa Bonheur & William-Adolphe Bouguereau, Sabina Spielrein & Keira Knightley aqui.
Para fazer do Brasil um páis melhor tem que começar tudo em casa, A gaia ciência de Friedrich Nietzsche, Incidentes em Antares de Érico Veríssimo, Cidade do amanhã de Peter Hall, O desenvolvimento das cidades de Nelson Werneck Sodré, Geração 70 de Álvaro Manuel Machado, a música de Louis Moreau Gottschalk & Ivan Lins, a escultura de Alberto Santos & Candidato faz tudo cara de pau na maior responsa aqui.
É preciso respeitar as diferenças, A gaia ciência de Friedrich Nietzsche, a História do Brasil de Angela de Castro Gomes, o pensamento de Bernard Stiegler,  a cidade de Marshal McLuhan, a música de Jards Macalé, a literatura de Monica Ali, o cinema de Wong Kar-Wai & Maggie Cheung, a arte de Artur Barrio, a fotografia de Luiz Filho & Annie Leibovitz, . A gravura de DiMagalhães, Teatro na Rua, o cartun de Harvey Kurtzman & Canto paródia de mim aqui.
Depois da tempestade nem sempre uma bonança, A gaia ciência de Friedrich Nietzsche, A poética do romance de Autran Dourado, A ciência pós-moderna de Boaventura de Sousa Santos, o pensamento de Gilbert Simondon, a coreografia de Hisako Horikawa, o cinema de Júlio Bressane, a pintura de Nancy Bossert, a arte visual de Patti Smith & Mônica Nador, o grafite de Alex Vallauri, a fotografia de Alfred Noyer, Pombas Urbanas, a arte multimídia de Hudinilson Urbano Junior & Pra vida ofereço a outra face aqui.
A educação por água abaixo pra farra dos mal-educados, A ilusão jurídica de István Mészarós, A metáfora do rizoma de Gilles Deleuze & Félix Guattari, A gaia ciência de Friedrich Nietzsche, Serviço Social na Escola, a fotografia de Henri Cartier-Bresson, a arte de George Segal & Eulalia Valldosera, A morte sem nome de Santiago Nazarian, a música de Jussara Silveira, Teatro P com P, o grafite de Crânio, o desenho de Roger de La Fresnaye & Quando Ciuço Pacaru embarcou no maior revestrés aqui.
Judicialização do SUS: pra que saúde se não tem nem onde cair morto, Os objetivos da educação de Alain Touraine, A gaia ciência de Friedrich Nietzsche, Contos de Genji de Murasaki Shibuku, A educação escolar, a música de Hans-Joachim Koellreuter & Sérgio Villafranca, a pintura de Carlos Scliar, a charge de Latuff, As Meninas do Conto, a escultura de João Sotero, o cinema de Frances François Ozon, a fotografia de Eduardo Ramirez & Juan Esteves aqui.
As presepadas do Zé Corninho aqui, aqui, aqui e aqui.
As proezas do Biritoaldo aqui.
As doidices de Robimagaiver aqui e aqui.
História da mulher: da antiguidade ao século XXI aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
A croniqueta de antemão aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

Pensamento do ator, diretor, escritor, comediante, músico, roteirista e compositor britânico Charlie Chaplin (1889-1977). Veja mais aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra: The Abduction of Persephone by Hades, do escultor dos Paises Baixos do Sul, Jan Peter Van Baurscheit (1669-1728) – Na Roma Antiga, deste período marca início do feriado da Cereália, em homenagem a deusa Ceres, dos grãos e dos cereais, momento em que ocorre o Rapto de Prosérpina (Persephone) por Plutão (Hades).
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja os vídeos aqui & mais aqui e aqui.
 

DRUMMOND, RIMBAUD, LEMINSKI, MARITAIN, GILVAN LEMOS, JACOB DHEIN, GENÉSIO CAVALCANTI, CARIJÓ & SÃO BENTO DO UNA

CARIJÓ, SÃO BENTO DO UNA – Imagem: Céu de São Bento do Una , de Renatinha @Renatalcaet – Carijó, meu amigo, minhas mãos limpas e esta mis...