sexta-feira, janeiro 13, 2017

OS VÉUS DOS CÉUS & O PRAZER DO AMOR


OS VÉUS DOS CÉUS & O PRAZER DO AMOR – Imagem: foto da série Exercícios contemplativos, arte da poeta, artista visual e blogueira Luciah Lopez.- Hei de vê-la, amada minha, qual manhã radiante que se espraia no seu riso de Sol a me fazer o mais ressarcido salvo errante das noites entredormidas. Hei de vê-la luminosa Iaravi com seu perfume deslumbrante de cunhã caingang recém saída das águas caudalosas dos rios de suas fontes. Hei de vê-la deusa Freya mais que súbita magia a me enfeitiçar no claustro dos seus mistérios mais profundos para me iniciar na brandura de sua boca púrpura a me dar tudo quanto possa ter. Hei de vê-la Freyaravi a vida vertiginosa de dulcíssima musa, a me abrigar nos seus gestos desabridos ao alento de seu corpo enxuto, palma, dorso, ombros e desvãos. Hei de vê-la, amada minha, além do longo olhar das distâncias perdidas, por entre as curvas do seu corpo candente que me faz peregrino de frases lascivas do seu fogo ensandecido e incendiado sou mais que a entrega da lenha às labaredas do seu ser. Hei de tê-la, amada minha, à força bruta dos desejos desenfreados a me conceder em seu abraço o nosso lauto festim de gula, sobejos e ósculos sem fim. E ao tê-la noitedia a me conceder em seu afago a remissão de todas as misérias, e a me ouvir em versos derramados o que não foi perdido no presente achado. E tomar-lhe as mãos pra aquecê-las com meus beijos pagãos profanando seus esconderijos que me provocam a fúria do mar e nuvens enlouquecidas para que seja dela tudo que almejei por toda existência. E eis que ela, em retribuição, mulher de todas as horas, musa de toda poesia, fêmea de todos os prazeres, me concede a glória de saborear juntinhos, mãos nas mãos, corpo a corpo, o mais completo prazer do amor. © Luiz Alberto Machado. Veja mais aqui

 Eu amei a sua cara. Venha cá. É um prazer ouvi-la falar
Musical que nem um rio.
Que navio é você na praia, que visão, é um abismo pro coração
Sim, pelo que vejo você é a mais bonita filha da manhã
Suave beijo em lábios de maçã
Queria saber o que toca você
Queria chegar e poder te alcançar
Eu quero dizer que eu queria você
Oh luz do querer minha vida é você
Eu vou buscar o céu, o mar, o que de mais bonito há
Pra te presentear o céu, o mar, o que de mais bonito há.
Navio, música do álbum Não é azul, mas é mar (Columbia, 1987), do cantor, músico e compositor Djavan. Veja mais aqui, aqui e aqui.

Veja mais sobre:
Entrega na Crônica de amor por ela, Cesare Pavese, Theodor Adorno, Antonio Vivaldi, Ítalo Calvino, Ledo Ivo, Chiquinha Gonzaga, Luchino Visconti, Anne-Sophie Mutter, Maria Adelaide Amaral, Julião Sarmento, William Etty, Rosamaria Murtinho, Annie Girardot, Marize Sarmento & Grupo Carochinha – Maceió aqui.

E mais:
Paul Feyerabend, Gilberto Mendes, Chaim Soutine, Sandra Scarr, Brian de Palma, Edwin Torres & Penelope Ann Miller aqui.
Indagorinha: Educação Brasileira, Reino dos Mamoeiros, Arranca-rabo & a batida Teibei aqui.
Quando Tomé mostrou ao que veio aqui.
O poeta chora aqui.
A menina do sorriso ensolarado aqui.
O que tiver de ser será aqui.
Todo dia é dia da criança aqui.
O equilíbrio mortevida do malabarista aqui.
Marilda Iamamoto & o Serviço Social, Marilena Cahí, Nise da Silveira, Guiomar Namo de Mello & Arriete Vilela aqui.
A cidade das torres & Antônio Cândido aqui.
Proclamação da República aqui.
A Era Vargas & a República aqui.
A Monarquia Brasileira aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
A croniqueta de antemão aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

DESTAQUE: RAIN DE CHRISTINE JEFFS
O belíssimo filme Rain (2001), dirigido pela cineasta neozelandesa Christine Jeffs, é baseado no romance homônimo da escritora neozelandesa Kirsty Gunn, conta a história de uma jovem de treze anos que se encontra de férias com seus pais à beira de um divorcio, se envolvem numa tragédia que se desenrola numa trama de lirismo, paisagens paradisíacas e desencontros.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Era fim de tarde, final de semana. Há um ano era noite de todas as noites______nem os luzeiros do céu se mantinham acesos. ... Era noite!  Há um ano era noite na minha alma, que solitária, se deitava na janela dos meus olhos. Então, aconteceu plenilunio!  Plenitude no céu_____estrelas cadentes, cometas, estrelas azuis, verdes, vermelhas, amarelas_______galáxias imensuráveis se desdobraram na infinutude do meu amor para sempre seu...
Poemas e imagens da poeta, artista visual e blogueira Luciah Lopez.
Veja aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra: 
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.