quarta-feira, agosto 31, 2016

REPENTE QUALQUER JEITO PARA VER COMO É QUE FICA!


REPENTE QUALQUER JEITO PARA VER COMO É QUE FICA! – Segura a onda que tudo agora é na base do umbigo: se deu, deu; se não deu, é pra ver como é que fica. Eu que não vou nessa. E se vai tocar fogo no circo, saiba de antemão: as consequências são impresíviseis e tudo pode acontecer, inclusive nada. Principalmente se estiver fora da panelinha da corda de algum graúdo guaiamum, aí é preciso ficar atento: nada sai além de farelos da farra dos escolhidos, afora broncas pra bode expiatório. É nessa hora que ou se pula fora ou morre afogado. Saber no que vai dar, ninguém sabe: todo tiro é no escuro - e eu que sou mais que gato escaldado, fico só na coxia me precavendo de culpa perdida que me queiram por carapuça. Hoje até quem não tem nada a ver é quem paga o pato; se for apartar briga, vá precavido: a vítima pode ser quem chega pro deixa disso – desconfie, tramóias e cruzetas a fole. Já vi do muito e sei tão pouco, quase nada: aprendi a ficar na minha, nem oito, nem oitenta, além das medidas e acima, de preferência. Se não der, saio pelas beiradas: nem de lado, nem de banda, escapando. Se for pra passar a limpo, vou firme assumindo todas as responsabilidades, senão pra boi de piranha não há heroísmo, os outros que folgam no óleo de peroba. Já foi o tempo das convicções, hoje reciclo minhas idéias sempre – todo dia administro o volume do lixo. Não tenho nem quero mais certeza alguma, sou interrogações ambulantes, nenhuma resposta e perguntas aos montes – escolho entre as cabíveis e descabidas, quais menos erráticas. Sigo adiante, cruzo caminhos, atravesso encruzilhadas aos pinotes: não há segurança alguma, só se valer do anjo da guarda – se ele não der um cochilo ou sair em férias, considere. Aí, babau. Do contrário, se o sinal estiver fechado, espere a vez dos outros. Quando chegar a sua vez, pouco importa que dê certo ou errado, vá pro tudo ou nada, pro que der e vier. Só conte com o que tem, o resto é conversa fiada. Abra o olho pra tudo e só feche quando quiser saber a verdade. Sorria que de cara feia o mundo está cheínho pela tampa! E se não tiver o que fazer vamos aprumar a conversa & tataritaritatá! © Luiz Alberto Machado. Direitos reservados. Veja mais aqui

 Curtindo os álbuns – box com 6 cds duplos e 3 simples - Jackson do Pandeiro, o rei do ritmo (Universal) e de uma levada só com o livro homônimo de Fernando Moura e Antônio Vicente (Pão de Açúcar, 2001), revivendo a trajetória e os maios sucessos do grande músico, cantor e compositor Jackson do Pandeiro (1919-1982).

PESQUISA: 
A arte atual continua a se insurgir contra todo tipo de especificidade exclusiva e a se abrir a todas as técnicas, a todos os cruzamentos possíveis entre essas técnicas e a todas as experiências estéticas.
Trecho extraído da obra A tecnologia na arte: da fotografia à realidade virtual (EdUFRGS, 2003), do artista digital francês Edmond Couchot que propõe sintetizar a pintura gestual, plástica e cinética no desenvolvimento de uma arte digital ou numérica.

LEITURA 
[...] ele está explicando por que papel higiênico colorido é tão pior do que o branco. Elisabeth sabe que vai ter muito pouco prazer em dormir com ele ou mesmo em fazer a revelaão que foi fazer ali. Talvez nem se dê ao trabalho. Às vezes fica estarrecida com quão longe as pessoas podem ir para enlouquecer. Ela causa espanto a si mesma. [...].
Trecho extraído do romance A vida antes do homem (Rocco, 2005), da premiadíssima escritora e crítica literária canadense Margaret Atwood. Veja mais aqui.

PENSAMENTO DO DIA:
O homem, enquanto é determinado a fazer alguma coisa pelo fato de ter idéias inadequadas, não se pode dizer absolutamente que age por virtude; mas sim, somente enquanto é determinado pelo fato de ter um conhecimento.
Trecho extraído da obra Da servidão humana ou das forças das afecções (Autêntica, 2009), do filósofo racionalista holandês Baruch de Espinoza (1632-1677). Veja mais aqui e aqui.

IMAGEM DO DIA; 
A arte do escultor do rococó veneziano Antonio Corradini (1688-1752).

Veja mais sobre Honoré de Balzac, Erasmo de Roterdã, François Truffaut, Catarina Ribeiro, Vladislav Nagornov, Anna Netrebko, Otto Lingner, Lilith & Camila Diehel, Alienação Social do Trabalho, Fanny Ardant & Sandra Lustosa aqui.

Mais sobre Ovídio, Machado de Assis, Oswald de Andrade, Georges Henri Tribout, Sônia Goulart, Ruy Guerra, Sarah Bernhardt, Julian Mandel, Victor de Aveyron & Célia Lamounier de Araújo aqui.

E mais sobre Eça de Queiroz, Molière, Pietro Ubaldi, Joni Mitchell, Bernardo Bertolucci, Giovanni Battista Tiepolo, Publílio Siro & Thandie Newton aqui e aqui.

DESTAQUE
A arte do fotógrafo Nikolai Endegor.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Imagem: The Presence, art by Victoria Selbach
Veja aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Arte de Leonel Mattos.
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.


A MULHER & BOM PASTOR, JEAN DE LÉRY, BARDAWIL, GALBRAITH, DESIGUALDADE, PICA-PAU & ARRELIQUE DE OZI

Livro, curso & consultas aqui . ARRELIQUE - Arrelique é coisa de menino, dona Judith, de menino levado da breca que sai bandolei...