sábado, abril 02, 2016

HISTÓRIA SEM FIM

HISTÓRIA SEM FIM - A encontra B e pergunta: - Pronde você vai? Estou procurando C! Então vamos. E foram. Encontraram D, E, F e G, até o Z. Mas não acharam C. Ficaram conversando até que a C chegou e ficaram no maior papo. Aí conversa vai, conversa vem, formaram o Alfabeto, ou melhor o Abecedário - ABC. Ficaram na maior brincadeira. Então A achegou-se a M que estava com O chamando R e formaram a primeira palavra: AMOR. Aí L quando viu aqui achou muito legal e puxou U que trouxe Z e formaram a segunda palavra: LUZ. Nossa! Duas palavras! Do outro lado V viu aquilo e futucou I trazendo D pra mais perto e que puxou A e formaram uma terceira palavra: VIDA. Ora, como as letras eram muito buliçosas demais, tagarelando umas com as outras, formaram inúmeras palavras e deram conta que elas, as letras inventaram a primeira palavra e com ela outras tantas que trouxeram a ideia pra formação de frases que formaram períodos com muitos sentidos e nascia a primeira história assim: era uma vez... um menino que gostava de brincar com as letras e com elas conversava muito contando isso, perguntando aquilo e o maior teitei de quem bebeu água de chocalho no maior teretetei. Letra vai, palavra vem, estava inventado o Dicionário – isso porque deu uma mania nelas de querer organizar as coisas. Todavia, de tão inquietas que eram, tudo saía do controle porque tanto trelavam demais a torto e a direito, que novas palavras surgiram com novos significados – nem sabiam que inventavam agora a Semântica. Com tantas possibilidades de dançarem quadrilha e todos os ritmos inimagináveis, foram surgindo substantivos, adjetivos, artigos, pronomes, numerais, verbos e mais advérbios, preposições, conjunções e o escambau a quatro. Quando deram fé, haviam também inventado a Morfologia para primeira gramática. E muito admiradas com tudo que tinham a capacidade e o poder de realizar, perceberam que a palavra AMOR sozinha podia ser mudada adquirindo outros sentidos e tantos sentidos, e confirmaram trocando cada uma delas de lugar: OMAR, MORA, AROM, RAMO e ROMA. Cada mudança de posição, um novo sentido. Juntas resultavam numa coisa confura. Rearrumaram pra lá, trouxeram pra cá e findaram inventando a Sintaxe: Omar e Arom são membros de um ramo de família que mora em Roma. Pronto. Estava organizada a frase como queriam e muito felizes: inventaram também a estilística. A partir daí misturaram tanto que a palavra MISTURAR originou outras tantas como miscigenação, heterogeineidade – palavras grandonas, vixe! Uma nova descoberta: palavrinhas, palavras e palavrões. Adoravam as pequenininhas como Pé, Azul, Pelé. Também as palavras como Amarelo, brincar, cocada. E os palavrões como Pindamonhangaba, inconstitucionalissimamente! Eita, vamos deixar os palavrões pras horas emergenciais, pois são muito difíceis de dizer e escrever. E não pararam de formar novas frases que davam em muitas e tantas novíssimas histórias, do menino que com elas se deleitava no entretenimento, ficou tão feliz dando asas à imaginação. Principalmente quando ele percebeu que cada historia podia ser contada e recontada indefinidamente formando novas e muitíssimas histórias sem fim. É exatamente por isso que inventei de ser contador de histórias, entrando pela perna de pinto, saindo pela perna de pato, agora vou contar uma história que deu da conversa entre o pato e o meu sapato reclamando do rato que comeu no seu prato, isso um desacato pra ele, a ponto de quase ter um infarto e morrer ali na hora, no ato. Ah, isso é outro fato. Vamos fazer um trato: conto na outra, tá? Grato! © Luiz Alberto Machado. Direitos reservados. Veja mais aqui e aqui

 Imagem a arte do pintor britânico William Holman Hunt (1827-1910).
 
Veja mais William Shakespeare, Casanova, Rainha Zenóbia, Hans Christian Andersen, contos de Magreb, Émile Zola, Federico Fellini, Max Ernst, Emmylou Harris & Harriet Hosmer aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
A arte do pintor e escultor alemão Max Ernst (1891-1976).
Veja aqui e aqui.


GRAMSCI, MORIN, COMENIUS, HUIZINGA, REGINALDO OLIVEIRA, MANOCA LEÃO & POLÍTICAS EM DEBATE

Livros, teatro & música infantis aqui . POLÍTICAS EM DEBATE - A semana que passou, posso dizer agora com convicção, foi pra...