sábado, março 09, 2013

ZÉ LINALDO: A PERNAMBUCANDIADE RENOVADA!!!!




ZÉ LINALDO – o cantor e compositor palmarense Zé Linaldo, também conhecido como Linaldo Martins, é um daqueles sujeitos que a gente gosta pelo ser humano que é e pelo artista que se mostra.

Conheci este irmão conterrâneo quando ele batucava em bangôs, atabaques e tumbadoras e logo se juntou com Cikó Macedo, realizando uma das parcerias mais felizes que jamais acontecera pelas bandas pernambucanas. A dupla lançou um LP que foi um sucesso: Notícia extraordinária.


Não resistindo ao tempo, a dupla se desfez e Linaldo iniciou uma carreira solo com suas perfomances para lá de elogiáveis e demonstrando talento de compositor, violonista e percusionista dos mais promissores.

Tocamos juntos algumas vezes na noite, em shows e ensaios. Firmamos amizade e hoje sou mais seu admirador e fã que propriamente parceiro.

No Encontro dos Palmarenses de Maceió, tive a grata satisfação de reencontrar este amigirmão. Ele me trouxe o seu “Quilombo dos Poetas”, um cd contendo 11 músicas, de sua autoria, suas parcerias e de outros compositores como Ascenso Ferreira, Celso Adolfo e Paulo Maciel. Artista de uma pernambucanidade inconfundível e originalíssima, merece destaque a música título do cd, Quilombo dos Poetas, uma parceria dele com Manoca. Também merecem ser destacados outros parceiros do seu trabalho musical, como Antonio J. Ferreira, Josemar Gomes dos Anjos e Henrique Arruda.

Garanto que quem tiver acesso ao trabalho musical excepcional de Zé Linaldo, terá, com certeza, o prazer que eu tive de estar diante de um artista completo e uma das maiores promessas do cenário musical brasileiro. E assino embaixo o que meu conterrâneo escritor Luiz Berto disse dele no Jornal da Besta Fubana: “(...) Zé Linaldo é um dos músicos e compositores dos mais talentosos que já conheci na minha vida, além de ter uma belíssima voz, mas, infelizmente, desconhecido tanto de Pernambuco quanto do resto do Brasil. Desperdiçado e mal aproveitado naquela beira do rio Una. É celebridado apenas na região. Ele foi um dos músicos palmarenses que excursionaram Brasil a dentro com a peça de minha autoria, Peibufo, Etc. e Coisa e Tal, e ao qual eu devo muita homenagem pelo sucesso que o espetáculo obteve em tudo quanto é canto onde foi apresentado. Seu último disco, Quilombo dos Poetas, tem na contra-capa o logotipo de 20 firmas, isto mesmo: 20 empresas, desde casa funerária até farmácia, que apoiaram a produção, modesta mas com um conteúdo da bixiga lixa. Coisas de Palmares mesmo e que eu não tenho mais paciência pra falar sobre o assunto”.

Hoje ele firmou parceria com outro grande amigo meu: o poeta Genésio Cavalcanti. E juntos estão mandando ver na voz de Marquinhos Cabral.

Sucesso pra tu, irmão Linaldo!!!!




Veja mais: Crônicas Palmarenses