sábado, outubro 15, 2011

HABERMAS, INCLUSÃO FECAMEPA, REPÚBLICA & CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA


REPÚBLICA E CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA – [...] Uma sociedade não se inventa e, como se sabe desde Maquiavel, são várias as modalidades de república. E se é verdadeiro que os países, como as pessoas, têm biografias, tal como afirma Norbert Elias, imaginar a república no Brasil, a par da necessidade de retomar criticamente o repertório conceitual das repúblicas antigas e modernas, implica uma indagação sobre a nossa própria história, a fim de esclarecer sobre o que pode vir a ser o estatuto singular de uma república brasileira. Nesses termos, entende-se que a sua fundamentação não se encontra em uma ruptura do moderno com a tradição, mas no desvelamento das marcas que estabelecem linhas de continuidade no esforço civilizatório brasileiro, e que parece encontrar no direito e em suas instituições uma das suas idéias-força. A democratização social brasileira, desde meados dos anos 80, vem confirmando essa trajetória na crescente tentativa dos seres subalternos da sociedade de converterem interesses em direitos. E tem sido ela que, ao se encontrar, pela primeira vez, com as instituições da democracia política, tem promovido um processo de incorporação de todos à cidadania, inclusive a “ralé de quatro séculos”, da expressão de Maria Silvia de Carvalho Franco, como se faz presente no Movimento dos Sem Terra (MST), em suas lutas por deslocar, efetivamente, as bases societais do patrimonialismo brasileiro. É o Estado democrático de direito, pois, que tem tido êxito onde falharam, durante o Império e a Primeira República, o liberalismo, e, na Segunda e Terceira Repúblicas, o comunitarismo-organicista, matrizes que inspiraram processos civilizatórios fragilizados pela ordem patrimonial, sem cuja remoção não há cidadão e sim um indivíduo dependente da vontade de outro. [...]. Trecho extraído de República e civilização brasileira (Estudos de Sociologia – Unesp, 2000) dos pesquisadores do Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ), Luiz Werneck Vianna & Maria Alice Rezende de Carvalho. Veja mais aqui e aqui.

INCLUSÃO – [...] A inclusão significa que uma ordem política permaneça aberta à emancipação dos que são vítimas de discriminações e à integração daqueles que são marginalizados, sem os encerrar na uniformidade de uma comunidade homogênea do povo [...] as relações de reconhecimento jurídico de uma cidadania livre e igual não se reproduzem por elas mesmas –– elas requerem esforço cooperativo de uma prática civil a que ninguém possa ser constrangido pelas normas jurídicas [...] o papel do cidadão deve estar ancorado no contexto de uma cultura política fundada sobre a liberdade [...]. Trechos extraídos da obra Direito e Democracia – Entre Facticidade e Validade (Tempo Brasileiro, 1997), do filósofo e sociólogo alemão Jürgen Habermas. Veja mais aqui e aqui.

DORO ANALISANDO A SITUAÇÃO – Gentamiga, nessa brincadeira de cai-cai de ministro disso, ministro daquilo, o Doro chegou com seus pantins: - Ué? Tão caindo de podre! A política no Brasil é uma gangorra: o cabra sobre feito meteoro e vira mandão. Piscou um ôio: o fodelão já caiu enrolado de corrupção! Eita, Brasilzão véio, arrevirado e de porteira escandarada. Daqui só dá pra gente ficar só na torcida pela moralização da política brasileira. Enquanto isso não acontece, a gente só pode cantar na mangação dos defestrados: Cai, cai, balão!!! E vamos aprumar a conversa & tataritaritatá!


EITA, AÍ O DORO MANDA VER!!!! – Aí, quando o incançável e eterno candidato Doro viu essa manchete jogada num lixo, sapecou em cima da bucha a sua indignação: - Esse povim das Alagoa, não tá nem aí pra quem pintou a zebra! Aveve tudo com a cabeça nas nuve, pronto só mermo pruma boca-livre no finá de sumana. Ô povim festero esse, num tem dia qui num tenha um assustado, um batizado, um aniversáro, qui num teja tudo incoloiado num comi-e-bebe afulosado. Abasta só um gabiru, sanguessuga ou taturana desse convocá a mundiça, que tá tudo lá ancho feito boca-de-ponche com o circo pegano fogo e o pão rolano adoidado! Vixe! O desbocado estava ingicado mesmo. Não sei pra quê fui dar trela prestando atenção na baforada: - É isso mermo! -, rebateu injuriado: - eu que adefendo essa gentinha, nunca que tive consideração quarqué. Pudera. Vancê já foi nas biblioteca de quaiquer escola pública? Só tem livro de editora da Bahia. Purisso quesse povo guarda mania monarquista! Ainda tão no tempo de 1817, tangidos pelo Conde dos Arcos. Chega inté a pensá qui esse povo aveve de sê súdito sirvil, maria-vai-com-as-outras! Vai gostá de beijá pé chulezento de pulitico bandido assim na casa dum babaovo discarado, vai!!! Danou-se! Explico: é que mesmo enviezado nas campanhas mais erradas, metido a prefeito na campanha de presidente e vice-e-versa, o Doro nunca teve um voto sequer (nem o dele mesmo, nem dos dele), por isso esse vociferar todo desajeitado. Vamos aprumar a conversa & tataritaritatá!!! Veja mais das trelas do Doro aqui




Veja mais sobre:
O partoril de ponta de rua, Rainer Maria Rilke, Giacomo Puccini, Leucipo de Mileto, Jean-Luc Godard, Maria Callas, Katiuscia Canoro, Anna Karina, Louis Jean Baptiste Igout, Paolo Eleuteri Serpieri & Julia Crystal aqui.

E mais:
Papai noel amolestado, Maceió, José Paulo Paes, Egberto Gismonti, Paulo Leminski, Gerd Bornheim, Ralph Burke Tyree, Marco Vicário, Laura Antonelli, Daryl Hannah, Neurociência & Educação aqui.
O prazer do amor na varada da noite aqui.
Bloomsday, Ulysses & James Joyce aqui.
Sistema Tributário & o cordel de Janduhi Dantas Nóbrega aqui.
A retórica de Reboul, Cultura Popular & Jorge Calheiros aqui.
Gestão do Conhecimento & o Clima Bom de Jorge Calheiros aqui.
Chérie, Ma Chérie & LAM com Gal Monteiro no Programa Vida de Artista aqui.
O catecismo de Zéfiro & O rol da paixão aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
 Leitoras comemorando a festa do Tataritaritatá!
Arte by Ísis Nefelibata.
Veja aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra: 
  Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.



ARIANO, LYA LUFT, WALLON, AS VEIAS DE GALEANO, FECAMEPA, JOÃO DE CASTRO, RIVAIL, POLÍTICAS EM DEBATE & MANOCA LEÃO

A VIDA NA JANELA – Imagem: conversando com alunos do Ginásio Municipal dos Palmares - Ainda ontem flores reluziam no jardim ornando muros...