sexta-feira, junho 22, 2007

NAIPAUL, HUME, SOMERSET MAUGHAN, FERNANDA MONTENEGRO, MARYNA, ÍSIS, FECAMEPA & SAÚDE NO BRASIL



QUANDO O ESTREITAMENTO DO COMPADRIO ESTÁ ACIMA DA LEI, AÍ, MEU, AS PANELINHAS MANDAM VER E SÓ OS PRIVILEGIADOS SE BANQUETEIAM



"O Estado não é uma ampliação do círculo familiar e, ainda menos, uma integração de certos agrupamentos, de certas vontades particularizadas, de que a família é o melhor exemplo. Não existe, entre o circulo familiar e o Estado, uma gradação, mas antes uma descontinuidade e até uma oposição"
(Sérgio Buarque de Holanda, Raízes do Brasil).



Gentamiga, começo esta com uma risada estrondosa! Hahahahahahahahahahaha! 

Verdade. Tem coisa que só dá vontade mesmo de soltar umas gargalhadas das boas porque não seria outra a sensação resultante. Quando eu vejo um Fabo, sei logo: o homem é uma hiena mais desastrada, ri de sua própria desgraça. É mesmo. E é o mesmo o que dizem outros mais furiosos: quanto mais conheço o homem, mais admiro meu cachorro. Pode? Pois é. Vamos nessa.

De Fabo em Fabo se desconstrói um país. O Brasil como sempre digo, repito e reitero, é uma construção nova que desmorona arrebentando tudo e já vira museu antes mesmo de virar a novidade desejada. Tudo que chega agora já vem com gostinho de anteontem. Nem bem nasceu, ou não mais cai ao gosto do paladar ou já chegou passada da hora.


Pois é, hoje fica quase difícil distinguir um Fabo dum brasileiro. Os dois estão quase figadal e animicamente já encruados um no outro que, mesmo quem não tem nenhuma mínima vocação para Fabo, de uma hora para outra, diante de certas circunstâncias surgidas do inopinado, comete a asneira e entra no rol do aloprado. Isso mesmo. Isso por causa da cordialidade visceralmente entranhada e indisfarçavelmente duvidosa em ambos. Tanto é que o grande Sérgio Buarque de Holanda deu uma dentro e acertou em cheio quando uso a expressão do escritor Ribeiro Couto: "Já se disse, numa expressão feliz, que a contribuição brasileira será de cordialidade - daremos ao mundo o homem cordial. A lhaneza no trato, a hospitalidade, a generosidade, virtudes tão gabadas por estrangeiros que nos visitam, representam, com efeito, um trato definido do caráter brasileiro, na medida, ao menos, em que permanece ativa e fecunda a influência ancestral dos padrões de convívio humano, informados no meio rural e patriarcal". E foi dentro mesmo quando explica que essa cordialidade não representa apenas boas maneiras, bondades, civilidade. Nada disso. A discórdia e a inimizade também e muito mais coisas cabem nela do que possa perceber nossa despojada compreensão. Melhor dizendo, está em uma de suas mais importantes obras que: "No homem cordial, a vida em sociedade é, de certo modo, uma verdadeira libertação do pavor que ele sente em viver consigo mesmo, em apoiar-se sobre si próprio em todas as circunstâncias da existência. Sua maneira de expansão para com os outros reduz o individuo, cada vez mais, à parcela social, periférica, que no brasileiro - como bom americano - tende a ser a que mais importa. Ela é antes um viver nos outros". E é isso mesmo. Senão vejamos.
O brasileiro é cordial por excelência. O Fabo também. Nisso se inclui, por exemplo, que ele não resolve nada. Brasileiro não quer problema de jeito nenhum e só vive empepinado como a porra. Reza todo dia para os problemas vão para o vizinho, nunca pra ele. Mas não consegue viver um fiapo de instante sem pisar na bola.


Outra virtude fabal do brasileiro é deixar tudo para um bom tempo, depois, ou melhor, para a última hora. Só resolve na marra e quando mandam. Aí é implacável, inexorável. No comum, é driblando e escapando das broncas.


Quando não tem jeito de fazer, manda que outro faça e aí começa a corda-de-guaiamum. Na última hora finda pagando para que os outros façam o que é de sua responsabilidade. Deu bode, mas resolveu. Ufa!


Também tem outra: arruma um jeitinho para tudo. Na hora agá, molha a mão do guarda, do fiscal, ou de quem aparecer. Fila? Tá doido, é? Adora ser o privilegiado da vez e, para isso, faz de tudo para ser diferenciado dos demais, mesmo que isso lhe dê o maior arrocho de nó pelas costas na maior saia-justa, ou uma iminência da porra daquelas mais periclitantes impossíveis, ou mesmo uma urucubaca ineivada daquelas de deixar o cara liso com a mão no bolso. Isso é porque quer ser o primeiro em tudo, mesmo que não mexa uma palha sequer para se preparar nisso. De preferência já quer ser um Ayrton Senna mesmo que nem saiba dirigir direito. Esta é porque é empreendedor por natureza. Odeia receber ordens, cumprir as leis e fazer o que manda o riscado. De preferência é rebelde: prefere entortar que fazer o certo; prefere ultrapassar as etapas antes de concluir a primeira; e dá toque de arrodeio em tudo mesmo que finde em palpos de aranha. A coisa mais se estreita na amizade. Quando se afinam os gostos, difícil identificar o que é dele do que é do amigo. O estreitamento chega ao compadrio e em nome dele se arrepia a lei, remove montanhas e privatiza o público, misturando afeto, arrumadinho e interesses. E, com isso, vão surgindo as panelinhas que, valha-me toda iconoclastia exacerbada dos meus pandemônios, vão se avolumando na acumulação particular deles, a ponto de se acharem os privilegiados de sempre.

Quando eles caem no opróbrio, é um desastre. Mas basta alguns tiquinhos de anos para ganharem do esquecimento a simpatia tanto da corriola que se debandou na hora do pipoco, como de toda populaça. É que no calor do incêndio, todo brasileiro arreia a lenha e condena. Passou o tempo, a compaixão e o perdão imperam. Aí meu, dá o de sempre: ninguém mais sabe o que é familiar e o que é do Estado. E mesmo com a gritaria dos nepotismos, arruma jeito pra tudo aparecendo fantasmas, terceirizando recepções e lá vai teibei. Aí só os apaniguados se banqueteiam e o resto só o farelo amiudado para assanhar a fome no buraco do dente.


Como é que é, hem? Vamos aprumar a conversa & tataritaritatá!!!! (Luiz Alberto Machado). Veja mais aqui.



PENSAMENTO DO DIA – É a paixão e não a razão que nos leva a pesquisar. Pensamento do filósofo, historiador e ensaísta escocês David Hume (1711-1776). Veja mais aqui.

SAÚDE NO BRASIL - A persistência de uma ética, de um tipo de desempenho profissional não adequado à solução dos nossos problemas ainda é dominante; ao mesmo tempo, é fundamental o exemplo de uma nova consciência, de uma nova prática na área de saúde. Palavras do médico sanitarista Sérgio Arouca (1941-2003). Veja mais aqui, aqui, aqui, aqui & aqui.

CRENÇA & ATUALIDADE – [...] há necessidade de se acreditar em alguma coisa. Se não houver fé de cunho espiritual, será uma fé de cunho material, podendo ser um projeto, uma campanha, uma série de metas traçadas e aceitas pelos grupos envolvidos. O fato é que, se uma crença em alguma coisa, pouco ou nada será conseguido, e as pessoas estão desestimuladas pela falta de motivação que as conduza aos objetivos finais. [...]. No mundo do trabalho é indispensável a capacidade de integração entre a razão e a emoção, estimular a função afetiva da educação para receber e vivenciar as questões humanas com uma visão mais aberta, com um relacionamento o mais interativo possível. Acreditar na força dessa tríade, numa integração permanente e contínua, é saber conviver, pois é isto que torna uma equipe sinérgica, capaz de fazer a soma das partes maior que o todo, de desenvolver uma ética adequada ao tempo de nossas vidas, e ser criativa, isto é, fazer mais com menos. [...].  Trechos da obra O profissional do século XXI (Record, 2003), do pedagogo e professor Hamilton Werneck.

DEPOIMENTOTive apenas um exemplar em casa, que mantive com muito zelo e dedicação num casamento que durou 56 anos de muito amor e companheirismo, (1952-2008) mas, na verdade acredito que era ele quem também me mantinha firme no relacionamento. Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência, lanço a campanha 'Salvem os Homens!' Tomem aqui os meus poucos conhecimentos em fisiologia da masculinidade a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam: 1. Habitat: Homem não pode ser mantido em cativeiro. Se for engaiolado, fugirá ou morrerá por dentro. Não há corrente que os prenda e os que se submetem à jaula perdem o seu DNA. Você jamais terá a posse ou a propriedade de um homem, o que vai prendê-lo a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente, com dedicação, atenção, carinho e amor. 2. Alimentação correta: Ninguém vive de vento. Homem vive de carinho, comida e bebida. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem, sim, e se ele não receber de você vai pegar de outra. Beijos matinais e um 'eu te amo’ no café da manhã os mantêm viçosos, felizes e realizados durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não o deixe desidratar. Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial. Portanto não se faça de dondoca preguiçosa e fresca... Homem não gosta disso. Ele precisa de companheira autêntica, forte e resolutiva. 3. Carinho: Também faz parte de seu cardápio – homem mal tratado fica vulnerável a rapidamente interessar-se na rua por quem o trata melhor. Se você quer ter a dedicação de um companheiro completo, trate-o muito bem, caso contrário outra o fará e você só saberá quando não houver mais volta. 4. Respeite a natureza: Você não suporta trabalho em casa? Cerveja? Futebol? Pescaria? Amigos? Liberdade? Carros? Case-se com uma Mulher. Homens são folgados. Desarrumam tudo. São durões. Não gostam de telefones. Odeiam discutir a relação. Odeiam shoppings. Enfim, se quiser viver com um homem, prepare-se para isso. 5. Não anule sua origem: O homem sempre foi o macho provedor da família, portanto é típico valorizar negócios, trabalho, dinheiro, finanças, investimentos, empreendimentos. Entenda tudo isso e apóie. 6. Cérebro masculino não é um mito: Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino, mas não gostam de mulheres burras. Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente não possuem! Também, 7 bilhões de neurônios a menos!). Então, aguente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração. Se você se cansou de colecionar amigos gays e homossexuais delicados, tente se relacionar com um homem de verdade. Alguns vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você. Não fuja desses, aprenda com eles e cresça. E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com as mulheres, a inteligência não funciona como repelente para os homens. Não faça sombra sobre ele... Se você quiser ser uma grande mulher tenha um grande homem ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ele brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ele estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda. Aceite: homens também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. A mulher sábia alimenta os potenciais do parceiro e os utiliza para motivar os próprios. Ela sabe que, preservando e cultivando o seu homem, ela estará salvando a si mesma. E minha Amiga, se Você acha que Homem dá muito trabalho, case-se com uma Mulher e aí Você vai ver o que é Mau Humor! Só tem homem bom quem sabe fazê-lo ser bom! Eu fiz a minha parte, por isso meu casamento foi muito bom e consegui fazer o Fernando muito feliz até o último momento de um enfisema que o levou de mim. Eu fui uma grande mulher ao lado dele, sempre. Depoimento da atriz Fernanda Montenegro. Veja mais aqui.

ENTRE OS FIÉIS – [...] trinta e dois anos depois de sua fundação como estado religioso, uma pátria mululmana indiana, o Paquistão, permanecia em efervescência, e o islã ainda era uma saúda: o fracasso sempre levava de olta à afirmação de fé. [...]. Trecho extraído da obra Entre os fiéis (Companhia das Letras, 1981), do escitor britânico nascido em Trinidad e Tobago, Prêmio Nobel de 2001, Vidiadhar Surajprasad Naipaul. Veja mais aqui.

O PRAZER DE MARYNA NA FÚRIA DO ARPÃO – Ei-la nua e linda aléia sedutora com seus moinhos de vento e seu jeito adocicado nos meus olhos lunáticos, investida de poderes e errâncias por todas as escolhas enquanto meu coração sobressaltado vira chocalho na sua nudez. Seu corpo nu é o meu cadafalso por que Deus faz-se visível na sua expressão depravada tal anjo delicado que se profana para minha salvação no prazer e vira uma putinha vertiginosa para demover todas as minhas derrotas na remissão do prazer e me contempla tal Maria clarividente que salta à vista em pessoa: tudo flutuando na sua leveza e eu sucumbindo à tentação do meu desiderato. Na sua candura obscena faço-me fúria de arpão para conduzi-la às cãibras do ponto culminante onde toda seiva e energia emborram nossas horas tumultuadas. Lábio nos lábios, toda partilha do querer na lâmina aguda cortando a carne do sexo como a noite na tarde da alma e meu sexo revolvendo suas entranhas como navalha do desejo rasgando a vida em polegadas adentro enquanto a fogueira do gozo traz labaredas espalhadas na pele até tatuar nosso conluio sangüíneo. E tudo se faz explosão e na inquietude de sua dança murmura em segredo a troca da morte do cotidiano pela vida de instantes que varrem meus receios na armadilha da noite e escorrega na superfície do meu corpo no facho dos beijos pelas litanias. E que arrebenta o gozo sob blasfêmias histéricas onde tudo incha e treme à deriva dos nossos delírios loucos. É a nossa agonia desenfreada que explode pele umedecida no ataque da alquimia carnal como uma raiva pontiaguda rasgando todas as escaladas, vazando o mundo, talhos e trapos, suor e piedade na segunda pele e revira, fustiga, pega fogo e cruamente penetra e desfaz flamantes cicatrizes até abrir a última instância na trilha das nossas acrobacias trêmulas. E como um maçarico a quarenta graus de febre atiçando nosso holocausto eu vou nesta nossa explosão. E no restolho me esconjura aturdida enquanto goza obscena fazendo de agora o amanhã e depois e sempre e esse gozo nunca terminará na memória do ranger dos dentes, no paroxismo da paixão. © Luiz Alberto Machado. Direitos reservados. Veja mais aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui & aqui.

O DESTINO DE UM HOMEM – [...] Os eleitos zombam da popularidade; são mesmo inclinados a considerá-la prova de mediocridade, mas esquecem que a posteridade não faz sua escolha entre os escritores desconhecidos de um determinado periodo, e sim entre os conhecidos. [...] Trechos da obra O destino de um homem (Globo, 1951), do escritor britânico William Somerset Maughan (1874-1965). Veja mais aqui.

AS TARADICES DE ÍSIS (Foto: acervo Ísis Nefelibata)- Eu acordo no meio da noite assim, tarada por você... acordei afogueada por você... meu amor... minha buceta está impossível, meu cu então nem se fala... quero sentir você, chupar você... quero vicê, urgente, na minha bunda que é sua, amor... vem me foder logo, sua mulher tá doida pra lhe dar tudo o que é seu, só seu, vem... (vou te fazer uma surpresinha da próxima, tá?) quer? Meus dedos estão tocando o grelo que vai aguardar você pra se mostrar todo de novo... vem, meu safado, meu macho delicioso, vem, meu amor, vem....estou me tocando, enquanto faço um poema pra você, veja: E de que são feitas as lembranças? Do seu olhar de todos os dias faiscando desejos, cravando-me no peito saudades gritantes de tudo de nós. E a cada novo amanhecer, você me chega ardente após as noites incandescentes de todos os nossos sonhos... gostou? É pra você. Sabe, é triste estar sozinha, sentir desejos e ter que resolver sozinha... tantas vezes me toco dessa forma, me tocar, tantas vezes tenho que me tocar pra amenizar um pouco a vontade de você, epserar você, nesses momentos sonho com você, imagino que está aqui comigo, seja no meu canto, no banho, no chão, tem hora que dá um desespero tão grande, um fogo que tenho que me encostar na parede, no desespero de imaginar estar sendo acolhida por você... o travesseiro, tantas vezes o travesseiro me ajuda a sonhar... eu nunca fui assim desse jeito, com tanta intensidade, nunca me senti tão acesa e tão mulher como se sinto desde que vc entrou em mim pela primeira vez. Há anos me masturbo, vivi muitas aventuras quando jovem, mas depois me fechei pro mundo, não gosto de estar por estar, não gosto de me envolver por um dia, uma noite, um momento e depois tchau... há anos me sentia vazia, olhando os homens com muita indiferença, sempre tendo sim quem dava investidas pra cima de mim, sempre com alguém no meu pé, mas eu não dava confiança, porque eu me guardava e me sentia melhor assim... comigo mesma, se pintava uma vontade, me masturbava rapidamente e depois sentia nojo disso... você chegou e mudou tudo na minha vida, cabeça, coração, mente e corpo. Hoje sou viva por você, por isso digo, se a gente se perder, pelo menos eu vou seguir dessa vez com uma lembrança forte, um amor pra guardar no coração pro resto da vida, mas me fecharei pros desejos, só me recordarei do tudo da gente, mas não quero mais sentir nada, vou me esvaziar, me esquecer pra só lembrar de você, vou deixar de me sentir pra só sentir o que você deixou em mim... juro, meu amor, se a gente se perder, nunca mais serei mulher pra ninguém nem pra mim mesma, porque nem me masturbar eu vou mais me permitir, vou secar até o dia de ir embora, só com você no meu coração e alma... não quero ser de mais ninguém, nem de mim mesma, você arrancou tudo de mim e levou... ficará sempre com você, em algum guardado, em algum tempo, se a gente se perder um do outro... Estou chorando aqui... de saudade de você... meu gozo foi tão intenso, a cabeça doeu, o ventre revirou, os seios doeram, estão aí, dois gozos pra você... e ainda quero mais... pode? Só você, você é o culpado disso... nunca fiz, nem nunca fui assim... é seu... quero chupar você, chup, chup, chup, no seu falo que amo. Ditado indígena: depois que você comeu do meu alimento, bebeu de minha água e se abrigou em minha tenda, agora você faz parte integrante do meu ser... Meu ditado: depois que você me comeu, me bebeu, se abrigou na minha boca, cu e buceta, você é parte de emim, será pra sempre, eternamente, não posso, nem quero mudar isso em mim... saudade, vontade, taradice por você que nao sei explicar mais o que realmente é isso em palavras, preciso de alguma forma, fazer vc sentir isso em carne viva... te amo e estava aqui pensando e sentindo em mim o gozo daquela hora... poxa, amor, você faz coisas e coisas comigo e nem faz idéia... eu estava louca pra lhe dar a buceta e se enfiar nela, é tudo tão delicioso, que cada dia que passa, estou ficando mais depravada, safada e cheia de vontade de coisas e coisas com você... então, pelo visto vc vai me dar seu pau, né?... Hummm, eu quero o seu pau duro, a carne dele, a pele dele, claro, vou delirar com meu brinquedinho gostoso, quero seu pau a postos pra mim e você brincando comigo, tanto com seu pau na minha buceta como no meu cu... quero você no meu cu, todinho dentroo... acho que vou morrer com você fazendo isso em mim... imaginar você me bolinando toda, olhando pras minhas entranhas enlouquecidas pra você me foder toda, vai ser demais, algo inesquecível... a buceta já está aqui novamente molhada e assanhada, querendo mais... mas não faz idéia a falta que sentimos (eu, o cu e a buceta, tambem a boca) de você... Quando fui pro banho, andando nua pela casa, fiquei imaginando que você estava ali na sala, ou aqui na cozinha, olhando pra minha bunda e alisando o pau, todo ancho de pensar que é seu, sou sua, toda e pra sempre sua... imaginei você não aguentando e indo atrás de mim no banheiro, me fazendo sentar no vaso e me enfiando o pau na boca e eu louca chupando você de uma forma que nunca pensei na vida... imaginei você mijando entre os seios... eu lambendo de novo a cabeça do seu pau... hoje quero você enfiado na buceta, imagino ser seu cacete se enterrando nela... fui à loucura... é capaz de eu grudar no seu pau amor, e você correr o risco de ter que andar comigo pela rua, encangado mesmo, como dois mosquitos que voam sem se desgrudarem... vou andar com você enfiado em mim, poqque não quero que saia daqui nunca mais, viu? Quando seu pau jorra essa porra que é tipicamente sua, sua porra é você, é sua essência, ela é forte, branca, leitosa, deliciosa... eu fico louca, me arrisco a lhe dizer, não como uma ordem, por favor, nem pense nisso... um pedido, mas um pedido que também não precisa necessariamente ser atendido... é meu sonho, apenas, meus desejos: faça uma loucura por mim, por essa mulher que é só amor e carinho, paixão e desejo... por mais que eu pareça errada, louca, sou não, amor... eu te amo demais... por isso erro, acerto, pelo menos tento acertar, mais erro até, mas sou uma mulher apaixonadíssima, largadíssima e entregue a você... e confesso, adoro ser assim, me sentir assim porque só você me fez e faz sentir tudo isso... já amei na vida e muito, mas nada se compara ao que eu vivo e sinto por você... acredite em mim,viu? Amo você, quero você, beijo no pau,, bem na cabeça dele, estou esperando, venha, vem, vem... vou gozar... vem pro meu gozo, vemmmmmm. Texto pornoerótico de Ísis Nefelibata. Veja mais aqui, aqui, aqui & aqui.




Veja mais Helena Blavatsky, João Ubaldo Ribeiro, Stendhal, Cacá Diégues, Édouard Manet, Vital Farias & Jeanne Moreau aqui

E mais também a Constituição Federal, Beaumarchais, Terêncio, Sharon Tate, Yamandu Costa & Julie Dreyfus aqui e aqui.
 
FECAMEPA - Olá, pessoamiga, o Brasil, depois de todos os acontecimentos ocorridos desde 1500, deve ou não ser levado a sério? Antes, porém, para que você possa melhor avaliar, veja o texto FECAMEPA: QUANDO O BRASIL DÁ UMA DEMONSTRAÇÃO DE QUE DEVE SER MESMO LEVADO A SÉRIO PELO MUNDO! Confira aqui. e também os clips TATARITARITATÁ aqui
  
Quero sua opinião:
1. Sim, a gente tem que mudar o Brasil!!
2. Não, isso aqui não tem mais jeito!
3. Não sei, o problema não é meu.
4. Ah, vai te catar!!



CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Veja aqui e aqui.

Vamos aprumar a conversa & tataritaritatá!!! Ouça a Rádio Tataritaritatá!!!! É só ligar o som e curtir!

LOUISE BOGAN, EAGLETON, JOSTEIN GAARDER, SEARLE, IVAN BUNIN, HARRIET HOSMER, JOHN MCLAUGHLIN, HILARY HAHN, CRISTINA ARRUDA & FEMINISMO E LUTAS ANTISSISTÊMICAS

COMEÇOU O FINAL DE SEMANA, É SEXTA! - Imagem: art by Cristina Arruda . - UMA: ESCOLARIZAÇÃO PRA SER GENTE - Desde menino sempre ouviu: Es...